Justiça suspende licitação de auditoria dos transportes em Belo Horizonte

Ônibus em Belo Horizonte. Prefeito fala em “caixa preta”

Certame foi promessa de campanha de atual prefeito para “abrir a caixa preta dos transportes”

ADAMO BAZANI

O juiz Wauner Batista Ferreira Machado, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, determinou a suspensão da licitação que iria escolher uma empresa de auditoria para fazer a verificação das contas do sistema de transportes de Belo Horizonte.

Os envelopes deveriam ter sido abertos nesta terça-feira, 10 de outubro de 2017.

De acordo com uma ação civil pública movida por um estudante e aceita pelo magistrado, a prefeitura descumpriu o rito de publicar a licitação no Diário Oficial do Estado.

Na alegação, o autor diz que os jornais onde houve a publicação são de circulação restrita, o que poderia impossibilitar a participação de empresas de fora de Belo Horizonte.

A prefeitura diz que a Procuradoria Geral do Município tem 15 dias úteis para analisar ação civil pública. Somente depois desta análise, é que vai decidir se entrará ou não com recurso.

A auditoria é uma promessa de campanha do atual prefeito, Alexandre Kalil.

Segundo Kalil, um dos objetivos é abrir a suposta “caixa-preta dos transportes” de Belo Horizonte.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: