São Bernardo do Campo receberá 55 micrões no lugar de micros e mais 15 articulados

Modelos são maiores que micros e menores que convencionais

De acordo com prefeitura, substituição vai ampliar a oferta de transportes em 660 lugares

ADAMO BAZANI

A cidade de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, vai receber até o final do ano 55 ônibus midi, tipo micrão, em substituição aos veículos menores, os micros.

De acordo com a prefeitura, enquanto os micros possuem 20 assentos, os midis oferecem 32 lugares sentados, assim deve haver mais  660 assentos no sistema até o final do ano.

Neste sábado, já começam a circular as 20 primeiras unidades.

Em setembro, devem entrar em operação outros 20 midi-ônibus e mais 15 até dezembro.

De acordo com a prefeitura, os veículos terão equipamentos como wi-fi e monitores de TV. Cada midi-ônibus comprado pela SBCTrans, do Grupo ABC, custa em média R$ 400 mil, já equipado. O investimento total será de R$ 22 milhõe nestes veículos.

Os midi ônibus são da marca Caio Apache Vip, Mercedes-Benz

Também há previsão de circulação de 15 ônibus articulados novos até o final do ano. Cada veículos, com capacidade para 120 passageiros, entre em pé e sentados, custará em torno de R$ 650 mil, com investimento total de R$ 9,7 milhões.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em São Bernardo do Campo receberá 55 micrões no lugar de micros e mais 15 articulados

  1. Amigos, boa noite.

    São várias as notícias de que houve queda de passageiros no buzão.

    Então não dá para entender por que há aumento de oferta de lugares se a demanda vem caindo.

    Os micros são mais ágeis e eu particularmente, não vejo vantagem em retirar micros.

    Acredito que é uma questão de custo benefício para as empresas, pois o custo dos micros não parecem ser “agradáveis” em relação aos micrões, considerando-se inclusive o consumo de combustível, cuja diferença deve ser ínfima.

    Isto é apena uma opinião de orelhada, pois os micros nunca decolaram.

    Mas enfim. fica ai a observação.

    Por isso o buzão não vai, parece que o setor não gosta de agilidade.

    Att,

    Paulo Gil

  2. Quer dizer então que é melhor transportar as pessoas em pé no micro do que sentadas no micrão?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: