Rodoviários fazem Marcopolo retomar crescimento

Segmento registrou aumento de 15,3%

ADAMO BAZANI

A Marcopolo informou nesta segunda-feira, 07 de agosto, que já está sentindo melhoras no mercado brasileiro de ônibus, apesar de a retomada ser gradual.

Neste primeiro semestre, empresa registrou receita operacional líquida de R$ 1,295 bilhão nos seis primeiros meses de 2017, com crescimento de 23,6% ante o primeiro semestre de 2016 (R$ 1,048 bilhão). Já o lucro bruto e o EBITDA cresceram 8% e 0,8%, respectivamente, e alcançaram R$ 171,4 milhões e R$ 48 milhões. No período, o lucro líquido recuou 43,8%, com o total de R$ 29,2 milhões.

Além das exportações, o segmento de ônibus rodoviários contribuiu para este crescimento. A alta foi de 15,3% nos seis primeiros meses de 2017 na comparação com o primeiro semestre de 2016.

Apesar dos números positivos, a empresa está cautelosa.

“Ainda estamos distantes dos volumes históricos realizados no mercado brasileiro, porém o desempenho do segundo trimestre de 2017 ensaia o que pode ser uma retomada gradual, especialmente no segmento de ônibus rodoviários”, analisa, em nota, José Antônio Valiati, diretor de Relações com Investidores e de Controladoria e Finanças da Marcopolo. No primeiro semestre de 2017, a Marcopolo produziu 541 unidades de ônibus rodoviários para o mercado interno, 29,1% mais que no mesmo período de 2016.

Francisco Gomes Neto, CEO da Marcopolo, acrescenta que reestruturações na empresa auxiliaram no resultado.

“Fizemos a nossa ‘lição de casa’ e agora estamos ainda melhor preparados para atender com mais efetividade a demanda brasileira, na medida de sua recuperação”, destaca o executivo.

Mas no mercado geral de ônibus, levando em conta todas as marcas, o crescimento dos urbanos foi maior que dos rodoviários, conforme a Anfavea. Relembre

Produção de ônibus cresce, mas vendas acumulam expressiva queda

 

Na nota, a Marcopolo destaca ainda o segmento de micro-ônibus e o desempenho da Polomex, no mercado externo.

No mercado brasileiro, a produção da Marcopolo, incluindo exportações, foi de 3.933 unidades, ainda longe do recorde de 9.121 unidades fabricadas no primeiro semestre de 2013. O segmento de rodoviários apresentou crescimento de quase 40% em relação ao primeiro semestre de 2016 (1.445 unidades contra 1.049). Em contrapartida, o segmento de urbanos teve queda de 24,7% no mesmo período (838 unidades contra 1.113, em 2016).

 

O segmento de micro-ônibus também apresentou crescimento forte de volumes, com aumento de 341,1%, (772 unidades contra 175 no primeiro semestre de 2016). A unidade de negócios Volare registrou crescimento de 54,7% no semestre (888 veículos fabricados contra 574 unidades), o que indica também a retomada no segmento de miniônibus.

 

Nas unidades externas, os destaques positivos ficaram por conta das operações da Polomex, que produziu 742 ônibus nos primeiros seis meses de 2017 contra 378 unidades no mesmo período de 2016, com aumento de 96,3%. Isto é resultado das mudanças no modelo de negócio da unidade, da conquista de novos clientes e de uma linha mais nobre de produtos, sobretudo no segmento de rodoviários.  A África do Sul aumentou em 53,5% os volumes fabricados em relação ao mesmo período de 2016, com a ampliação no fornecimento de modelos para o mercado africano. Já a unidade Superpolo, na Colômbia, cresceu 33,7% (337 unidades contra 252) e manteve alta participação no mercado local.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: