Prefeitura de Indaiatuba vai descredenciar Rápido Sumaré por irregularidades e dívidas

Empresa deve R$ 1,6 milhão, diz prefeitura

Ônibus velhos, documentos com problemas e falta de manutenção estão entre os problemas apontados pelo poder público

ADAMO BAZANI

A Prefeitura de Indaiatuba, no interior de São Paulo, anunciou nesta quinta-feira, 27 de julho de 2017, que vai descredenciar a Viação Rápido Sumaré, do Grupo VB Transportes, responsável pelo transporte coletivo da cidade.

De acordo com o prefeito Nilson Gaspar, o processo para declarar a caducidade do contrato já foi aberto. Segundo nota da prefeitura, o contrato será rompido por inadimplência e descumprimento de cláusulas contratuais por parte da companhia de ônibus.

Entre os problemas apontados pelo prefeito com relação à concessionária estão ônibus velhos, irregularidades com documentação dos veículos e falta de manutenção dos ônibus, que quebram com frequência gerando atrasos e muitas reclamações de usuários. Essas ocorrências levaram a Prefeitura a emitir uma série de multas que somam R$ 1.690.500,00. Nenhuma delas foi paga, sendo que R$ 842.500,00 em multas já estão em Dívida Ativa. “Com tudo isso temos subsídio para pedir a caducidade para podermos rescindir esse contrato e fazer a contratação de uma empresa que realmente preste um serviço de qualidade. Quero que o transporte público do município atenda às necessidades da população e volte a ter credibilidade”, argumentou.

Logo que assumiu a Prefeitura, em janeiro deste ano, o prefeito se reuniu com a direção da empresa para pedir as melhorias necessárias ao serviço de transporte coletivo, que hoje é o principal motivo de reclamações por parte da população. “Como estavam assumindo os ativos de uma outra empresa, dei um prazo para se adequarem. Eles assumiram o compromisso de fazer as mudanças, se comprometendo em trazer vinte novos ônibus para a frota, em aumentar os pontos de recarga dos cartões e também aumentar o tempo do cartão integração de meia hora para uma hora. O prazo era maio, depois pediram até junho, estamos entrando em agosto e até agora nada aconteceu”, declarou. “Não posso castigar a população por conta de uma promessa de melhoria que nunca é cumprida. Tiveram 180 dias para isso e nada foi feito”, completou.

Desde a época da campanha eleitoral, o prefeito já anunciava o possível descredenciamento da empresa.

Na nota, a prefeitura ainda diz que todo o processo deve demorar dois meses.

“O secretário de Negócios Jurídicos de Indaiatuba, Wanderley José Boni, informou que o Departamento de Transporte Coletivo da Secretaria de Administração informações que vão gerar o processo administrativo de inadimplência para fins de declaração de caducidade, que deve resultar na rescisão do contrato com a empresa. Após a notificação será determinado um prazo para que a empresa apresente a defesa. A previsão inicial é de que o processo seja concluído em 60 dias.”

O próximo passo será realizar uma contratação emergencial de uma empresa de ônibus por até 180 dias, o que pode ocorrer sem licitação.

Ao final do prazo deste prazo de 180 dias, a Prefeitura de Indaiatuba deve licitar o sistema de transportes de maneira definitiva.

O Diário do Transporte tenta contato com algum representante da empresa de ônibus

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

5 comentários em Prefeitura de Indaiatuba vai descredenciar Rápido Sumaré por irregularidades e dívidas

  1. Ixi, olha o Belarmino dançando!!!

  2. Amigos, boa noite.

    Pena que eu não tenho nem um Carolina IV 1976.

    Mais um emergencial, digo, mais uma pizza com borda recheada de lucro.

    Quem vai morder essa ???

    Alguém já sabe ??

    Att,

    Paulo Gil

  3. Dalizio Francisco de Souza // 28 de julho de 2017 às 03:05 // Responder

    A VB TRANSPORTES /RÁPIDO LUXO CAMPINAS A MUITO TINHAM A INTENÇÃO DE ASSUMIR O TRANSPORTE MUNICIPAL DE INDAIATUBA COM O INTUITO DE MONOPOLIZAR O TRANSPORTE NA RMC, ADQUIRIRAM A VIAÇÃO INDAITUBANA E SUAS PENDÊNCIAS TRIBUTÁRIAS E JURÍDICAS POR PURO EGOCENTRISMO, A POPULAÇÃO DE IINDAIATUBA NADA GANHOU COM ESTA MUDANÇA, ÔNIBUS VELHOS CAMUFLADOS COM UM BANHO DE TINTA QUE O FAZEM PARECER NOVOS, MOTORISTAS E COBRADORES DESMOTIVADOS E DESPREAPARADOS E UMA INFINIDADE DE PROBLEMAS OUTREM, MESMO COM UMA CRISE POLÍTICO/FINANCEIRA QUE ESTAMOS VIVENCIANDO, AINDA HÁ EMPRESÁRIOS SÉRIOS NESSE SETOR,TEMOS QUE OBSERVAMOS E RESPEITARMOS OS TRÂMITES JURÍDICOS, MAS TAMBÉM HÁ A OBRIGAÇÃO DE SE OFERECER UM TRANSPORTE DESCENTE À POPULAÇÃO INDAIATUBANA VISTO QUE TODOS QUE USAM O TRANSPORTE COLETIVO PAGAM A VISTA E RIGOROSAMENTE ANTES MESMO DE USA-LO VISTO QUE O INGRESSO PELA PORTA DIANTEIRA OBRIGA-A A TAL AÇÃO, PORTANTO É PASSADA A HORA DO PREFEITO NILSON GASPAR DEFINIR E RESOLVER ESSA QUESTÃO E DEFINITIVO TRAZENDO NÃO SÓ NOVA EMPRESA PARA ASSUMIR O TRANSPORTE PÚBLICO MUNICIPAL, COMO TAMBÉM PARA ADOTAR UM NOVO SISTEMA DE TRANSPORTE NA CIDADE, A COMEÇAR PELA IMPLANTAÇÃO DE CORREDORES EXCLUSIVOS PARA ÔNIBUS ANTECIPANDO ASSIM A ABERTURA DE UM GARGALO NO SETOR, GARGALO ESTE QUE A CADA SE TORNA MAIS ESTREITO PRINCIPALMENTE NOS HORÁRIOS DE PICO QUE A CADA DIA QUE PASSA AUMENTA SENSIVELMENTE.

  4. William de Jesus // 28 de julho de 2017 às 05:12 // Responder

    Bom dia!

    Muito boa a coragem do prefeito! SE a empresa nao tá correspondendo, independente de qual grupo pertence, tem que descredenciar mesmo.

    Só fico imaginando se a empresa agora não vai resolver se mexer ou se não vai dar uma “de louca” e abandonar a cidade antes mesmo do prefeito ter um contrato emergencial.

    Será mais uma cidade sem transporte. Quem será que vai participar do certame: Piracicabana ou Suzantur?

  5. É ißso aí Sr Gaspar bota pra ferver mesmo indaiatuba merece um transporte melhor mesmo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: