Carro elétrico da BYD será homologado para serviço de táxi em BH

Foto: Júnior Moreira/Itatiaia

Após testar o uso de ônibus e micro-ônibus 100% elétricos, a BHTrans quer colocar nas ruas de BH um táxi com zero emissão de poluentes para a atmosfera. Preço do veículo é o grande obstáculo

ALEXANDRE PELEGI

Nesta quinta-feira a BHTRANS, empresa da prefeitura de Belo Horizonte, fez a apresentação de um carro 100% elétrico que será homologado para prestar serviço de táxi na capital mineira.

Após testar o uso de ônibus e micro-ônibus 100% elétricos, a BHTrans quer colocar nas ruas de BH um táxi com zero emissão de poluentes para a atmosfera.

O modelo de uma empresa chinesa já foi homologado e nos próximos dias serão definidos os detalhes para iniciar os testes. O veículo é 100% movido a eletricidade por meio de uma bateria recarregável, e tem uma autonomia de até 400 Km.

Ele já foi aprovado em testes feitos por técnicos da BHTrans. Foram avaliados itens como conforto, segurança e velocidade, entre outros.

Trata-se do modelo E6 da empresa BYD, que roda com potência de 110 cavalos, semelhante a um carro 1.0 com motor a combustão. O modelo chinês oferece uma opção esportiva, com potência para 170 cavalos (semelhante a um veículo 2.0), mas com menor autonomia de circulação.

A empresa municipal de transporte e trânsito de BH afirmou que o carro elétrico vai se juntar a outras soluções sustentáveis de mobilidade, como os veículos híbridos que já estão em operação (eles funcionam com um mix de eletricidade e combustão).

De acordo com a empresa municipal, a iniciativa está alinhada com o plano de mobilidade da capital mineira e contribui para a construção de uma cidade mais sustentável.

O tempo médio para uma carga total do modelo E6 é de duas horas em um eletroposto, tempo que sobe para seis horas se a recarga for feita na residência do proprietário, e que depende também da voltagem utilizada. A durabilidade, além da emissão zero de poluentes, são os grandes diferenciais: a bateria do veículo, de 60 kWh de capacidade, tem vida útil de 40 anos.

PERÍODO DE TESTES:

A BHTRANS está em contato com o Sindicato Intermunicipal dos Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Minas Gerais (Sincavir) para a realização de testes operacionais com os carros elétricos. O objetivo é que os taxistas avaliem o veículo no dia a dia, e descrevam depois quais os benefícios da nova tecnologia. O período de testes deverá durar 30 dias, e vai depender não só do interesse dos taxistas, como das opções que lhes forem oferecidas para financiamento.

Testes já foram realizados em 2015 com ônibus elétricos, também fabricados pela chinesa BYD. Os modelos testados já circulam em Londres e, em breve, estarão rodando em Washington, nos Estados Unidos. Mas no caso dos coletivos, não há nenhuma previsão de incorporação da tecnologia à frota de transporte coletivo da capital mineira.

O problema do carro elétrico, no entanto, segue sendo o preço final para o consumidor. No caso dos taxistas, pior ainda: está longe da realidade da categoria.

O modelo E6 custa R$ 270 mil, valor que afasta qualquer possibilidade compra. Tempos de crise, somados ao cenário de forte concorrência com os aplicativos de transporte individual, como Uber e Cabify, são fatores que colocam o táxi elétrico num futuro ainda muito distante da realidade. Mesmo assim, a fabricante destaca um diferencial econômico: o veículo elétrico tem uma economia de até 85% no gasto operacional, quando comparado com os custos com combustível dos veículos convencionais.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

1 comentário em Carro elétrico da BYD será homologado para serviço de táxi em BH

  1. Amigos, boa noite.

    Esse bicho é bonito.

    O único que eu vi aqui em Sampa é preto, nessas cores ficou mais bonito ainda.

    Tem é de homologar para todo o Barsil e para uso comum também.

    ACORDA BARSIL

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: