CET confronta Polícia Militar e Samu, e garante que número de acidentes com vítimas nas marginais caiu em 2017

Publicado em: 10 de junho de 2017

Jornais que noticiaram levantamento da prefeitura apontam contradições nos dados oficiais

ALEXANDRE PELEGI

A Folha de SP de ontem (dia 9) trouxe matéria cujo título era: “Marginais têm aumento de acidentes pelo 4º mês seguido após novos limites”.

Hoje (dia 10), um dia depois, a Folha publicou nova matéria sobre o assunto, agora com o título: “Balanço de Doria das marginais aponta 1/3 dos feridos computados pela PM”. O Estadão preferiu outro título para a mesma matéria: “CET aponta redução de acidentes nas Marginais”.

Os dados divulgados ontem (9) pela CET afirmam que o número de acidentes de trânsito com vítimas nas Marginais do Pinheiros e do Tietê continuou caindo, mesmo depois do aumento dos limites de velocidade, medida adotada no fim de janeiro pela prefeitura. Os dados baseiam-se, afirma a CET, em boletins de ocorrência dos primeiros quatro meses do ano.

Por esses dados, o número de acidentes de vítimas reportados à polícia civil entre janeiro e abril caiu 25%, em comparação com igual período de 2016. A Marginal do Pinheiros registrou a maior queda (39,6%), de 101 casos em 2016 para 61 neste ano. A Marginal Tietê teve 6,3% acidentes a menos, de 79 para 74.

Tanto a Folha de SP, quanto o Estadão, no entanto, apontam contradições gritantes nos dados apresentados ontem pela Companhia de Engenharia de Tráfego. O Estadão escreve que os números apresentados “são bem inferiores aos ‘dados operacionais’ que a própria CET vinha divulgando desde que aumentou os limites de velocidade das Marginais de 50 km/h para 60 km/h nas pistas locais, de 60 km/h para 70 km/h nas centrais e de 70 km/h para 90 km/h nas expressas – isso a partir do dia 25 de janeiro deste ano”. Os ‘dados operacionais’ da CET são aqueles registrados pelos próprios agentes da companhia nas ruas da cidade.

A confusão de dados estatísticos mais confunde que esclarece. A Folha também repete a mesma estranheza do Estadão na matéria de hoje: “Esses dados, com base apenas em boletins de ocorrência analisados pela CET, porém, mostram um vácuo em relação a dados da própria companhia. Nesse novo balanço, a prefeitura fala em 113 acidentes (graves ou não) de fevereiro a abril. A própria CET, no início do ano, com base em dados operacionais (baseados nos relatos dos agentes), divulgou que havia registrado 223 acidentes com vítimas nos dois primeiros meses após o aumento das velocidades.

Não bastassem as incoerências com os dados da própria CET, o Estadão e a Folha lembram que a discrepância é ainda maior quando se comparam os dados novos da CET com os registros de acidentes nas Marginais feitos pela Polícia Militar. A PM apontou aumento de 56% nas ocorrências com vítimas nos três primeiros meses do ano, de 234 em 2016 para 367 neste ano.

A Folha lembra ainda que antes da divulgação dos novos dados da CET, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) informou que o número de atendimentos a vítimas de acidentes nas duas marginais triplicou após o aumento de velocidade das vias. Entre o dia 25 de janeiro e 10 de março deste ano, o Samu registrou 186 atendimentos, contra 65 no mesmo período do ano anterior.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. jair disse:

    Acho que agora irão aprimorar as estatisticas, mas os acidentes continuarão existindo, seja qual for a velocidade a ser multada.

Deixe uma resposta