Volare completa 19 anos com 60 mil ônibus de pequeno porte comercializados

Marca lidera segmento de leves e somente para o Programa Caminho da Escola já forneceu 10 mil veículos

ADAMO BAZANI

As necessidades em relação aos transportes são as mais variadas possíveis e os ônibus devem ter diversos portes e configurações.

Para atender os diferentes segmentos, é necessário que a indústria brasileira de ônibus seja bastante flexível e criativa.

Da mesma forma que os grandes e médios sistemas necessitam de ônibus de alta capacidade, como articulados, superarticulados e biarticulados, e que o setor rodoviário precisa desde ônibus mais robustos para enfrentar áreas de difícil acesso até veículos de alto padrão, com dois andares e serviços de bordo, também são necessários veículos menores e mais ágeis.

E foi com este intuito que surgiu a Volare, em 1998, Unidade de Veículos Comerciais Leves da Marcopolo, que completa 19 anos de atuação neste ano.

A trajetória, em parceria com a fabricante nacional de chassi Agrale, começou com modelos de tamanho reduzido, como o A5, e posteriormente, o A6

volare-98-marcopolo

Volare A 5 ainda com a marca da Marcopolo

.

De acordo com a empresa, desde a criação da marca já foram 60 mil unidades comercializadas. Somente para o programa Caminho da Escola, do Governo Federal, que permite o acesso à educação para alunos em área de difícil acesso, foram 10 mil veículos comercializados e que trafegam em diversos municípios brasileiros.

Atualmente, a linha da empresa oferece desde veículos mais simples e de pequeno porte até leves de dimensões maiores com capacidade para 36 passageiros e de alto padrão.

Os modelos atuais são: Volare Cinco, V5, V6, V8, V8L, V9L, W-L, W6, W7, W8, W8 Fly, W9, W9 Fly, W9 Fly Limousine, W9 Fly Visione, W12, DW9, DW9 Fly, Access  e 4X4.

Além da tradicional parceria com Agrale , desde 2010 também algumas versões da Volare recebem plataforma e motor Mercedes-Benz, identificadas com a sigla DW.

volare-98

Volare A 5 para empresa de fretamento do ABC Paulista

Assim como a Marcopolo, cujo nome nasceu de um modelo bem sucedido nos anos de 1970 ( anterioemente a empresa chamava-se Carrocerias Nicola por causa do sobrenome dos fundadores), o nome Volare também surgiu para designar um modelo e hoje é uma marca.

“Nesses 19 anos, conquistamos a liderança de mercado no Brasil para veículos leves até 10.000 kg de PBT, com mais de 50% de market-share. A Volare é reconhecida pelo contínuo lançamento de novos modelos e versões que transformaram a marca em referência no transporte, desde para a aplicação urbana até para o uso no turismo ou como veículo de transporte de estudantes”, explica o gestor do Negócio Volare, João Paulo Ledur.

 

A Volare possui duas unidades fabris, em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, e em São Mateus, no Espírito Santo. Em 2017, comercializou 1.368 unidades, das quais mais de 400 para o mercado externo.

861_1365621891_volarefire

No início dos anos 2000, a Volare começou a investir em mini-ônibus cujas atribuições extrapolavam o transporte de passageiros. Foram apresentadas versões como carro de manutenção, link de TV, ambulância, bombeiro, escritório e central de monitoramento.

O primeiro miniônibus com piso baixo, suspensão pneumática total e motor traseiro; o primeiro Escolarbus e o modelo voltado para acessibilidade também são destaques em nota emitida pela Marcopolo/Volare, além do primeiro miniônibus nacional 100% elétrico que recebe tecnologia da BYD.

Acompanhe:

BYD-3

BYD-4

Volare E, primeiro miniônibus elétrico, em parceria com a BYD, de Campinas

Além de todos os modelos desenvolvidos, a Volare, ao longo de sua trajetória, apresentou diversas inovações no mercado como o Escolarbus, em 1999, primeiro modelo projetado para o transporte de estudantes e que se transformou em referência para o mercado nacional. Outras novidades importantes foram os modelos com tração 4×4, piso baixo e suspensão pneumática, além da utilização de conceitos automotivos inéditos na indústria do ônibus.

 Em 2015, a Volare lançou o Access, o primeiro miniônibus com piso baixo, suspensão pneumática “Full Air” e motor traseiro. O novo veículo foi projetado e concebido para oferecer total acessibilidade, mais conforto e segurança para os passageiros e atender à crescente demanda nacional por um transporte coletivo, seletivo e Escolar, com o mais elevado padrão de qualidade.

 O Volare Access foi desenvolvido com o objetivo de ser uma importante referência em seu segmento. “Desenvolvemos um veículo que alia a agilidade e a versatilidade de um miniônibus, com padrão de conforto, segurança e acessibilidade superiores, somente encontrados em modelos tecnicamente mais avançados” destaca Ledur. O veículo vem sendo utilizado com grande sucesso nas mais diferentes aplicações, desde o transporte urbano, como na cidade paulista de Santos, ou no Balneário de Camboriú, em Santa Catarina, até a versão escolar exportada, no ano passado, para o DTC (Dubai Taxi Company/School bus Division), operador de transporte de Dubai, nos Emirados Árabes.

 No ano passado, a marca lançou o Volare Cinco, modelo inédito e diferente de todos os veículos para o transporte de pessoas existentes no mercado brasileiro, que oferece aos passageiros e motorista os mais elevados padrões de conforto, ergonomia, segurança e eficiência. O Volare Cinco reúne as principais características e vantagens de uma van, como agilidade, dirigibilidade, manobrabilidade e baixos consumo de combustível e custo de aquisição, com os atributos de um ônibus pequeno (quantidade de lugares, poltronas confortáveis, robustez (durabilidade), custo de manutenção, visibilidade, rede de pós-venda, preço de revenda e imagem da marca).

 Este ano, a Volare prepara-se para lançar o primeiro miniônibus com motorização 100% elétrico produzido no Brasil. Em parceria com a BYD – empresa líder mundial no desenvolvimento de powertrain para veículos elétricos, o novo modelo deverá entrar em testes ainda em 2017 e é único em sua categoria em todo o mundo, pois tem comprimento e peso reduzidos e conta com piso baixo, suspensão pneumática e zero emissão de poluentes. Sua autonomia é de 250 quilômetros.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Volare completa 19 anos com 60 mil ônibus de pequeno porte comercializados

  1. Amigos, boa noite.

    A Volare precisa desenvolver algo parecido com o INVEL, também precisamos de um modelo parecido, com custo acessível a quem não é nem lambari.

    Bem como um substituto do INVEL será muito útil e vendido para o transporte de idosos.

    Marcopol, dê atenção as minhas ideias e sugestões.

    Não esqueçam de comprar a letra da minha música “Motorista de Coração para o lançamento do G-8.

    A ergonomia dos Volares, principalmente para os pilotos precisa melhorar e muiiiiiiiiiiito.

    Já tiraram o degrau interno alto do Volare 5 e diminuiram aquele bruta painel, dá para fazer uma grande redução de custos, é muito painel a toa.

    Dos Volares, só gosto desse modelo da BYD e do motor traseiro que vi na SAE Brasil, creio que no ano passado ou retrasado.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: