Polomex ,da Marcopolo, projeta crescimento e venda de 2 mil ônibus neste ano

Somente para a IAMSA, foram cem unidades do MP 180

Hoje em segundo lugar, empresa com capital brasileiro prevê alcançar liderança no mercado de carrocerias em 2020

ADAMO BAZANI

A Polomex, empresa do Grupo Marcopolo, com sede em Monterrery, no México, anunciou nesta quarta-feira, 31 de maio de 2017, que prevê crescimento nas vendas e participação no mercado naquele país já neste ano.

Hoje a empresa ocupa a segunda posição no ranking mexicano de carrocerias, mas o diretor-geral, Paulo Andrade, projeta que a Polomex atinja a liderança em 2020, com 30% de participação no mercado, além de aumentar a presença em países vizinhos pelas exportações.

Para este ano, a empresa acredita que deve comercializar em torno de dois mil ônibus, entre o mercado mexicano e vendas para as Américas, com crescimento mais forte no segundo semestre.

“No que diz respeito ao potencial de mercado, o México é o segundo maior da América Latina na produção de ônibus, atrás apenas do Brasil, e temos capacidade para produzir 4,5 mil unidades/ano na planta de Monterrey”, disse Paulo Andrade, em nota.

De acordo com o executivo, as estimativas de crescimento ocorrem mesmo diante de sinais de uma diminuição no ritmo do mercado nesse segundo trimestre, no entanto, novos negócios em vista, como ampliação e renovação de frotas de sistemas de BRTs (corredores de ônibus) devem contribuir para os bons resultados. O gás natural deve ser o combustível dos ônibus de alguns destes sistemas.

“Apesar de sinais de diminuição no ritmo da demanda neste segundo trimestre de 2017, sobretudo em razão das incertezas políticas e econômicas, continuamos acreditando nas possibilidades de crescimento … Há muitos negócios surgindo nos sistemas BRTs, novos e expansão dos atuais projetos, planejados para o ano, como Querétaro, León, Tijuana, Puebla, CDMX, Guadalajara e Monterrey. Também existe a possibilidade de inclusão de ônibus movidos a gás nesses sistemas”

A empresa também prevê o crescimento no mercado de ônibus rodoviários.  Somente em relação ao MP 180, ônibus de dois andares de alto padrão, o executivo acredita que serão vendidas em torno de 150 unidades.

“Este ano, vamos comercializar quase 150 unidades do MP 180, um fato histórico, pois nunca havíamos passado de 50 unidades em um ano. Além disso, devemos produzir cerca de 170 ônibus MP 135, o nosso modelo mais vendido”, destaca Andrade.

Somente nos primeiros quatro meses, a Polomex vendeu para a IAMSA, uma das maiores empresas de ônibus do México, 100 ônibus de dois andares.

A Polomex passou também a produzir em sua fábrica, em Monterrey, no ano passado, os rodoviários Marcopolo MP 180 MX, MP 135 MX, MP 120 MX, MP 105 MX, MP 70 MX e o urbano Marcopolo MP 60, além do Torino e o Boxer com novo design, que já faziam parte da linha.

No ano passado, a Polomex consolidou a vice-liderança geral no mercado mexicano com 1203 unidades vendidas e ampliou a participação no segmento de ônibus rodoviários, de 14,85% em 2015, para 19%, com 346 unidades entregues aos clientes, contra 175 no ano anterior.

A empresa diz que considera importante também a produção de ônibus com diferentes marcas de chassis representou 63% dos negócios realizados, “o que demonstra o acerto na estratégia adotada como armadora de ônibus.” A Polomex surgiu como joint venture entre Mercedes-Benz e Marcopolo.

“Entre os importantes negócios que aumentaram a participação da Polomex no segmento rodoviário em 2016 destacam-se também a venda de 206 unidades do modelo MP 135 MX para a Estrella Blanca, além do fornecimento a diferentes clientes de Turismo em nível nacional, de outros 60 ônibus Marcopolo MP 120 MX de 14 metros de comprimento.” – complementa e empresa em nota.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 comentários em Polomex ,da Marcopolo, projeta crescimento e venda de 2 mil ônibus neste ano

  1. Amigos, boa noite.

    Bela parceria, MB e Marcopolo.

    Bem que voces podiam desenvolver um O 371 Urbano, modernizado, ia ser um show em todos os sentido, beleza, qualidade, conforto e faturamento.

    Pensem nessa ideia com carinho.

    Att,

    Paulo Gil

  2. São duas Estrelas que brilharao mais gostei muito sucesso 👏👏👏

  3. marcelo da silva // 2 de junho de 2017 às 11:40 // Responder

    Lembrando que essa fábrica foi no começo (1994) a parceria Mercedes/Caio, onde produziram alguns Vitória e (acho) Monterrey, porém, com os problemas a Caio abandonou a parceria e assim a Marcopolo entrou e está até hoje!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: