Projeto de gestão de frotas de serviços públicos ganha prêmio de Cidades Inteligentes

Aplicativo permite acompanhamento por diversas secretarias de prefeitura de Ilha Bela, no Litoral de São Paulo, de frotas de ônibus, de caminhões de lixo, transportes escolares e até ambulâncias

ADAMO BAZANI

O que é uma cidade inteligente? Definitivamente não é apenas aquela que possui recursos tecnológicos, mas a que sabe privilegiar as pessoas no espaço urbano e que faz uso da tecnologia para melhorar a qualidade de vida de todos. Assim, a tecnologia não é um fim, mas apenas um meio para humanizar as cidades.

E a humanização passa por uma boa gestão, mas não o termo gestão em forma de marketing, e sim com soluções práticas e inteligentes para tornar mais eficientes e menos burocráticos os processos e os serviços, como de transportes.

E um exemplo de caso nesse sentido foi contemplado pelo o Prêmio InovaCidade, organizado Smart City Business America Congress & Expo (SCBAC&E),  entregue em Curitiba, no Paraná.

Trata-se de uma parceria entre a empresa Citttati e a prefeitura de Ilhabela, no litoral de São Paulo.

A empresa desenvolveu uma Plataforma de Gestão da Mobilidade Urbana que integra diversas secretarias e departamentos da prefeitura. O objetivo é que os diferentes órgãos tomem decisões em conjunto, sabendo das ações e problemas em tempo real e, com isso, aumentando a comunicação e a eficiência.

Por incrível que pareça, ainda hoje em muitas cidades, o que um departamento de trânsito faz, muitas vezes não fica sendo de conhecimento da gestora de transportes, por exemplo. Isso resulta em desencontros, gastos financeiros que poderiam ser evitados (algo essencial em época de ajuste fiscal), perda de tempo e esforços em vão.

A Cittati é conhecida por disponibilizar o CittaMobi, aplicativo de celular que permite saber em tempo real informações sobre a localização dos pontos de ônibus, sobre as linhas a previsão de quando o coletivo vai passar pelas paradas.

Mas no Projeto Ilhabela, a plataforma é mais abrangente, como explica a empresa em nota enviada ao Diário do Transporte:

O município de Ilhabela vai monitorar não somente a frota de 23 ônibus do sistema de transporte coletivo, mas também receberá informações dos 16 veículos de transporte de escolares, 9 ambulâncias da cidade, e 5 caminhões de lixo.

“Desta forma, o objetivo da prefeitura de Ilhabela é fazer a gestão da mobilidade de uma forma abrangente. A plataforma, ainda em fase de implantação, pretende gerar impacto não somente na vertical Transporte, mas também na área de Saúde, Educação, e Serviços Públicos. Os ganhos de gestão e melhoria de performance, que poderiam estar somente da na área de Transporte, serão observados nas demais áreas.

A empresa de tecnologia Cittati, que desenvolveu a plataforma, está implantando esse conjunto de soluções que seguem o modelo SaaS (Software as a Service) e funcionam totalmente em cloud (nuvem computacional). Devido a essas características, proporcionam escalabilidade de uso, alta disponibilidade, resiliência a falhas, e não necessita de infraestrutura local. Portanto, a necessidade de investimentos por parte da prefeitura de Ilhabela foi reduzida.””

O aplicativo de informações sobre transportes coletivos já está disponível para os passageiros da cidade com mapas interativos contendo todas as paradas de ônibus, dados das linhas e previsão de chegada dos coletivos aos pontos. Também é possível relatar ao órgão gestor, por meio do aplicativo, problemas como falta de limpeza e segurança do ponto, conduta inadequada do motorista e mau estado de conservação e higiene do veículo.

Devem ser implantados também dez painéis informações em locais de grande movimentação de pessoas em Ilhabela, como no centro comercial e pontos de ônibus com maior demanda. Os painéis vão avisar a previsão sobre a chegada dos ônibus nas paradas, além de mensagens institucionais e prestação de serviços e alertas ao cidadão.

A empresa também no mesmo evento ganhou o 1º lugar no concurso Desafio de Startups.

Segundo nota da Cittati, a abrangência do aplicativo, que não se limita ao conceito passageiro, mas o considera como cidadão, despertou a atenção da banca julgadora.

Em nota, a empresa mostra os recursos de interação com os usuários:

Muito mais do que indicar a previsão de tempo de chegada dos ônibus, a plataforma está pronta para interagir com o cidadão, com órgãos governamentais, empresas operadoras do transporte e até mesmo empresas fora do setor de mobilidade. 

Todos esses agentes da cidade podem se conectar à plataforma, fornecendo e consumindo informações, indicadores, e controles gerados com mais de 50 milhões de dados processados diariamente.

A Plataforma CittaMobi atua no conceito SaaS e IoT (Internet das Coisas), provendo soluções para:

  • Segurança: botão de incidente grave, dashboard de gestão de ocorrências;
  • Comunicação dos cidadãos para as empresas e governo;
  • Comunicação entre órgãos gestores e empresas operadoras, e entre esses e os cidadãos;
  • Serviços digitais: cadastramento, envio de documentos digitalizados, agendamento de atendimento;
  • Pesquisa digital: capacidade de gerar pesquisas em menos 12 horas;
  • Atendimento remoto;
  • Oferta de vagas de emprego geolocalizadas;
  • Recarga do bilhete único;
  • Mapeamento de origem-destino.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Projeto de gestão de frotas de serviços públicos ganha prêmio de Cidades Inteligentes

  1. Amigos, boa noite.

    Monitorar é fácil, até com um lápis preto número 2 dá.

    O problemas é usar as informações e fazer o que tem de fazer.

    O problema do Barsil é que nós somos o maior BIG DATA do mundo, porém
    sem uso prático.

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Att,

    Paulo Gil

  2. Bom dia, em quantas cidades esta instalado este sistema?
    Att.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: