Acordo entre rodoviários e empresários em Salvador evita greve de ônibus nesta terça (23)

A greve dos rodoviários de Salvador, que ameaçava parar os ônibus da capital da Bahia nesta terça-feira, dia 23 de maio, teve hoje dia decisivo. Após proposta da Superintendência Regional de Trabalho Emprego, de 5,5% de reajuste, acordo foi fechado em 5%, e aprovado em assembleia da categoria

ALEXANDRE PELEGI

A greve dos rodoviários de Salvador, que ameaçava parar os ônibus da capital da Bahia nesta terça-feira, dia 23 de maio, teve um dia decisivo.

Ao final, tudo acabou bem: o reajuste de 4% que fora oferecido pelos empresários aos rodoviários em reunião hoje (dia 22), foi alterado para 5,5% por sugestão da Superintendência Regional de Trabalho Emprego (SRTE). No final, o acordo acabou fechado entre as partes em 5% de reajuste. A decisão foi aceita pelos rodoviários durante assembleia realizada agora à tarde.

NEGOCIAÇÃO

Na sexta-feira representantes dos sindicatos dos trabalhadores e dos patrões se reuniram com a mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e não conseguiram superar o impasse. A reunião ocorreu na sede da Superintendência Regional do Trabalho.

Os rodoviários encaminharam proposta de 9% de aumento no dia 30 de março, reivindicação até momento não atendida.

O secretário de Mobilidade de Salvador, Fábio Mota, tem atuado firmemente em busca de um acordo, após 60 dias de negociação.

Nesta segunda-feira (dia 22) pela manhã os empresários do transporte público de Salvador ofereceram como contraproposta reajuste de 4% para os rodoviários.

Os representantes dos trabalhadores estão avaliando a proposta, e a reunião continua.

Mesmo que haja acordo, ele terá que ser submetido à assembleia da categoria, marcada para esta tarde, para então suspender em definitivo a greve marcada para amanhã, dia 23.

No início da reunião desta manhã, a Superintendência Regional de Trabalho e Emprego (SRTE) sugeriu reajuste de 5,5% a partir de maio. As empresas ofereceram aumento de 3% a partir de novembro, e os rodoviários pediram 7%. Até agora, não há resposta sobre a proposta que avançou para 4% de reajuste.

Os rodoviários se encontraram também com o prefeito ACM Neto. O prefeito se comprometeu a manter a gratificação para os rodoviários que trabalharam no carnaval,e garantiu que não demitirá os cobradores. ACM Neto garantiu também o terreno para a sede do Sindicato dos Rodoviários.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: