Maio Amarelo: Mobilidade a pé é tema de evento que vai reunir especialistas em São Paulo

Pedestres estão entre as maiores vítimas do trânsito. Mobilidade ativa (por meios não motorizados) aproxima pessoas e deve ser estimulada, com condições e segurança

ADAMO BAZANI

Fazer os deslocamentos a pé nas cidades não só ajuda a reduzir o trânsito e a poluição, como traz benefícios para saúde e aproxima as pessoas, algo cada vez mais difícil em estruturas planejadas majoritariamente para os carros.

Mas hoje as pessoas não se sentem seguras ou estimuladas para andarem pé. São várias as questões envolvidas, desde falta de prioridade ao pedestre no espaço urbano até culturais. Muitos ainda não têm o hábito de deixar o carro em casa, mesmo podendo. É o famoso “tirar o carro da garagem para ir à padaria na esquina”.

Quais são os caminhos para mudar esse quadro? É o que vai debater, dentro das atividades do Maio Amarelo, promovidas pela Secretaria de Mobilidade e Transportes da cidade de São Paulo, a Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz – UMAPAZ, no Parque do Ibirapuera.

Nesta sexta-feira dia 19, das 9h às 17h serão realizadas palestras e atividades com autoridades, especialistas em mobilidade urbana, direito e organizações não governamentais.

O evento é gratuito, mas é necessário se inscrever pela internet.

Confira abaixo o cronograma e como participar:

MANHÃ

9h às 9h30: Abertura – Mobilidade a pé na Cidade Educadora

9h30 às 13h: Roda de Conversa

Convidados:

Fernando Guimarães Rodrigues (Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania)

Meli Ermelina Malatesta (Doutora em mobilidade, Arquitetura e Urbanista, esteve 30 anos na CET. Hoje se dedica aos movimentos em prol da mobilidade a pé em São Paulo)

Rafael Calábria (Geógrafo do IDEC, representante do movimento CIDADEAPE)

Rafael Drummond (apē – estudos em mobilidade)

Shirley Neves (Caminhada nas Quebradas)

Vagas: 120 pessoas.

 

TARDE

14h as 14h20: Prática Integrativa: ampliando percepções e sentidos com Adriano Galhardo

14h20 as 17h: Prática de Trilhas Educativas: Potenciais educativos do caminhar na cidade.

Serão vivenciadas, confirme escolha prévia, três possibilidades de trilhas educativas, seguida de uma roda de compartilhamento de experiências.

 

Facilitação:

Ana Marília Souza, Hellen Almeida, Flávia Damaceno e Marcela Garcia (Estagiárias UMAPAZ);

Lia Salomão e Débora Pontalti (Programa Carta da Terra em Ação – UMAPAZ);

Marieta Colucci Ribeiro (apē – estudos em mobilidade).

Vagas: 120 pessoas

 

Dia: 19 de maio de 2017, sexta-feira

Horário: das 9h às 17h

Local: Sede da UMAPAZ – Parque Ibirapuera. Av. Quarto Centenário, 1268.

Pedestres: Portão 7A.

 

Estacionamento: Portão 7 da Av. República do Líbano (Zona Azul).

Inscrições: As inscrições para as atividades do dia estão separadas pelos períodos manhã e tarde e é necessário se inscrever para os dois períodos, caso queira participar durante o dia todo. Clique aqui: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdbu_VIXYjFbxttwN7lL19DOODNtfLEOro4JhXCLfVKJtl9Xw/viewform

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Maio Amarelo: Mobilidade a pé é tema de evento que vai reunir especialistas em São Paulo

  1. Amigos, boa noite.

    Hiospício ou circo ?

    Tanto faz.

    Estão começando a construir a casa pelo telhado.

    SAMPA ESTA FÉTIDA E IMUNDA.

    Andar a pé como ??

    Sábado passado dei uma bela caminhada por Sampa e nunca vida Sampa tão FEDIDA.

    Andar a pé em Sampa não é novidade eu já faço isso desde garoto bem como muitos paulistanos fazem.

    Mudem o tema, porque o que precisa mesmo é cândida e sabão.

    E cuidado com os COCOZÕES, Sampa está cheio deles.

    Alguém duvida ?

    Dê uma volta em Sampa e confira com seus próprios olhos.

    # SAMPA FEIA E FEDIDA.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: