CONGRESSO UITP: Toda frota de ônibus a diesel será substituída em 15 anos nos países avançados

Veículos com trações alternativas ao diesel são destaques em evento mundial sobre mobilidade

Aposta é de especialistas que participam de evento internacional. No Brasil, o desafio dos transportes informais ainda precisa ser superado

ADAMO BAZANI

Relato: Mário Custódio

Enquanto os países avançados estimam que entre 5 e 15 anos todas as frotas de ônibus urbanos e metropolitanos movidos a diesel serão substituídas por modelos menos poluentes, o Brasil ainda discute o problema da informalidade dos transportes.

Esses foram alguns dos temas no segundo dia do Congresso Internacional de Mobilidade e Trânsito que ocorre até hoje, 17 de maio de 2017, em Montreal, no Canadá, e é promovido pela UITP – União Internacional de Transporte Público.

Para a implantação de um número maior de ônibus que não dependem exclusivamente do poluente óleo diesel para funcionarem, são necessárias algumas respostas como o descarte das baterias, em casos de ônibus elétricos, e o que fazer com a imensa frota atual de ônibus diesel existentes no mundo.

Sobre a informalidade nos transportes em países como África do Sul, Brasil, Índia, México e Turquia, a saída principal apontada por especialistas está no aprimoramento das legislações. Na transformação do transporte informal em transporte complementar tem dado bons resultados

Viabilidade dos trólebus modernos também é caminho para os transportes mais limpos. Debate em painel

O pesquisador dos transportes, Mário Custódio está no evento, e manda ao Diário do Transporte as impressões e resumos das principais palestras que acompanhou

O primeiro palestrante do dia do diretor técnico da NTU – Associação Nacional dos Transportes Urbanos, André Dantas, que em conjunto com outros palestrantes abordou o importante tema do transporte informal.                       

Uma informação que todos passaram é a necessidade de se ter legislação aplicada. Além disso, os países representados, África do Sul, Brasil, Índia, México e Turquia, destacaram que regular o transporte e transformá-lo em complementar tem dado resultados satisfatórios.                       

Na sequência, assisti palestras sobre eletrificação de ônibus e ônibus alternativos ao diesel.                       

O assunto é recorrente. Foi relatado que na China, 80% da frota é elétrica, assim como 20% nos Estados Unidos e Canadá e 10% na Europa.                       

Foi dito lá também que os stakeholders devem estudar um novo modelo de transporte para cada sistema e que a situação é muito complicada, até porque para implantar sistemas sustentáveis de ônibus terão que ser realizados enormes investimentos.                       

Surgiram duas questões sem resposta:

  1. a) o que fazer com o ciclo de vida das baterias;
  2. b) o que fazer com a imensa frota atual de ônibus diesel existente no Mundo.

A voz coletiva é a de que entre 5 e 15 anos toda a frota de diesel deverá ter sido substituída por modelos sustentáveis. (nos países avançados)

Entre os modais apresentados estão ônibus a gás, ônibus elétricos e trólebus, além de algumas variantes sustentáveis.                       

Senti que as grandes corporações estão engajadas na sustentabilidade. E isso é bom para a humanidade.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Relato: Mário Custódio