Constantino é condenado por assassinato, mas vai responder em liberdade

Constantino se diz inocente. Foto Michael Melo - Metrópoles

ÁDAMO BAZANI

O empresário de ônibus e fundador da Gol Linhas Aéreas, Constantino de Oliveira foi condenado nesta quinta-feira, 11 de maio de 2017, a 16 anos e seis meses de prisão (13 anos e 6 meses pelo homicídio e 3 anos pela corrupção de testemunha) pela morte do líder comunitário o Márcio Leonardo de Sousa Brito, em 2001.

O empresário, de 86 anos, vai responder em liberdade.

A condenação é pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e cometido diante de dissimulação, além de corrupção de testemunhas.

Também foram condenadoso ex-vereador de Amaralina (GO) Vanderlei Batista Silva; o dono da arma usada no crime (13 anos), João Alcides Miranda (17 anos de prisão); e o ex-empregado do empresário João Marques dos Santos (15 anos de prisão).

Somente João Marques, que tinha antecedentes criminais e já estava detido, responderá preso.

O julgamento durou quatro dias e foi realizado no Tribunal do Júri de Taguatinga.

Todos os acusados alegam inocência e as defesas dizem que vão recorrer.

O crime aconteceu dentro de uma garagem de ônibus de Constantino.

A