Marcopolo lança Torino S com ênfase na manutenção e operação

Lançamento ocorre mesmo em situação difícil no mercado de ônibus

ADAMO BAZANI – direto do complexo industrial da Marcopolo, em Xerém, Rio de Janeiro

Foi justamente o momento de dificuldade enfrentado pelo mercado de ônibus urbanos que motivou a Marcopolo a lançar uma nova versão do modelo Torino.

O Marcopolo Torino S (Soluzione) trata-se​ de um desenvolvimento do atual Torino, lançado em 2013/2014.

O principal objetivo foi criar soluções para deixar a manutenção e operação com menores custos, mas sem interferir no conforto.

Entre os diferenciais em relação ao modelo Torino lançado em 2013/2015, que continua em produção, se destacam:

– Faróis traseiros redondos que podem ser trocados separadamente (luz de direção, de ré e lanterna);

– Largura do posto de motorista ampliado em 60 mm;

– Acionamento de abertura de portas com válvula lateral;

– Maior largura externa, 2.550 mm;

– Maior largura interna, 2.480 mm;

– Vidros de todas as portas iguais, para facilitar troca e estoque;

– Saia (parte inferior) reta. Na atual geração ela é arredondada. Isso, segundo a Marcopolo, reduz custos com funilaria;

– Sinaleiras e faróis dianteiros redondos e intercambiáveis;

– Ar condicionado com dutos até o painel frontal;

– Para-choque traseiro dividido em três partes. A placa da traseira é afixada acima do para-choque;

– Possibilidade de entrega em 30 dias. Os modelos atuais variam entre 60 e 90 dias.

marcopolo_traseira_lateral

marcopolo_frente_sinaleira

marcopolo_traseira_sinaleira

De acordo com o diretor de operações comerciais da Marcopolo, Paulo Corso, o modelo em si não é mais barato que o Torino atual para aquisição, mas a estimativa é que ao longo da operação e vida útil, o custo de manutenção pode ficar entre 5% e 10% menor que o custo do modelo atual nas mesmas versões, dependendo das condições de operação.

O Torino S será encarroçado somente nos chassis MAN Volkswagen 15.190 OD e 17.230 OD e da Mercedes-Benz​ OF 1519, OF 1721 e OF 1721L.

Para estes modelos são dez configurações e os comprimentos variam entre 11,2 m e 13,2 m.

De acordo com Paulo Corso, hoje são várias as dificuldades no segmento urbano, como as indefinições em relação às tarifas (muitas cidades com novos prefeitos congelaram o valor das passagens), licitações travadas e a dificuldade de créditos para a compra de veículos novos.

O Refrota 17, programa de renovação de frota de ônibus urbanos com recursos do FGTS, anunciado oficialmente em dezembro do ano passado pelo Governo Federal, ainda não decolou.

Mas Paulo Corso se diz otimista.

“Havia entraves, burocracia e exigências não compatíveis com a realidade, como o pedido da Caixa Econômica Federal para que os ônibus tivessem seguro total. Isso deixaria a situação impraticável pelo custo. Fizemos umas 25 reuniões e a coisa agora deve andar nos próximos dias”.

100 MARCOPOLO TORINO PARA A CAPITAL PAULISTA

Paulo Corso também revelou que depois de vários anos sem ter presença na capital paulista, nos próximos meses a cidade de São Paulo terá Marcopolo Torino em operação.

São em torno de cem unidades do atual Torino em produção que devem circular em empresas do subsistema local (ex cooperativas).
A renovação ocorre prestes do lançamento do edital de licitação do sistema como um todo.

O mercado de cooperativas, de alimentadores e subsistemas locais, invisíveis para a indústria há cinco anos, agora desperta atenção da indústria.
Este segmento está no radar da Marcopolo também, inclusive para o Torino S.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

FotoTorino atual (esquerda) e Torino S (branco). Design parecido, mas com diferenças funcionais

MARCOPOLO_ANTIGO_NOVO

 

14 comentários em Marcopolo lança Torino S com ênfase na manutenção e operação

  1. A melhor parte da notícia é a final: “100 Marcopolos em Sampa” quase nem dá pra acreditar…

  2. Prezados, favor retificar o nome da empresa no título da matéria (Marcopolo). Favor mencionar também que o lançamento foi realizado na Marcopolo Rio (Xerém, Duque de Caxias – RJ), e não em Caxias do Sul.
    Obrigado!

  3. MARCOS NASCIMENTO // 12 de maio de 2017 às 00:23 // Responder

    Mas báh tchê! O modelo TORINO G8 tradicional fabricado desde o fim de 2013 (e ainda em produção) agora conta com esse TORINO G8 Soluzione mais simples (para manutenção) no entanto visualmente mais bonito que o TORINO G8 e o mais incrível é: o PREÇO de ambos é o mesmo! E havendo diferença deve ser algo imperceptível.

  4. Muito bom ver a Marcopolo voltar fornecer carros do modelo Torino para o sistema da capital paulista.
    E muito bom as empresas manter a variedade de modelos nas suas frotas, podendo assim deixar o sistema mais interessante competitivo.
    São Paulo hoje tem frota de aproximadamente 15000 ônibus e com as renovações de frota que vão ocorrer, tem espaço sim para ônibus Marcopolo , neobus e mascarelo.
    Parabéns a Marcopolo pelo modelo recém lançado e pelos negócios em SP.
    Continue assim!

  5. Glaucio oliveira // 12 de maio de 2017 às 17:26 // Responder

    Parabéns minha querida marcopolo. Muito feliz pela venda para Sp capital. Marcopolo faz parte da história da mobilidade da cidade. Como grande admirador desde início dos anos 70 tenho conseguido nos últimos anos conseguido mesmo morando na região de campo limpo onde fica a sede da viação campo belo,a menina dos olhos do grupo ruas/induscar conseguido andar + em marcopolos. Esse ano com uma vantagem de + de 20 graças aos marcopolos da pirajuçara + de 30. Transspass também 30. Meus lindos torinos 07 e volares da transwolf e os volares da transcap. Sejam bem vindos e contagem regressiva para andar em todos eles. Vivas mil

  6. Eu sou apaixonado por ônibus e vejo que a marcopolo acertou mais uma vês eu já tive o privilégio de visitar a fábrica em Caxias do Sul e sua linha de produção do onibus G7 eu fiquei muito feliz de receber esse privilégio

  7. Eu gostaria de comentar algumas reclamações sobre o nossos onibus urbanos os acentos ou melhor os bancos são muito estreito e apertado o espaço do motorista e muito apertado os vidros das janela froxa rápido o ar as vezes da vazamento de água devemos corrigir e também colocar aiwai nos ônibus urbanos mais mesmo assim eu sou um motorista apaixonado se eu pudesse teria um ônibus em minha garegem só para passear eu gosto muito

  8. Eu gostaria de ganhar um ônibus usado que eu posso passer com minha família a eu seria o homem mais feliz em poder mostra o meu sonho eu Quando estava trabalhando eu me sentia o melhor sou rodoviário com muito amorgulho e amo a carroceria marcopolo desde o tempo do Veneza que me apaixonei pela marca

    • Dario Soares, boa tarde.

      Eu também tenho o mesmo sonho que você.

      Se eu pudesse comprava um NEW ROAD DD 399, Scania, 8 rodas de Inox e tudo mais e ia rodar o Brasil até o dia o meu último dia.

      Se eu ganhar na loto te dou um de presente na cor que você quiser.

      Só pelo carinho com que você falou de dirigir um buzão.

      Abçs,

      Paulo Gil

  9. Amigos, boa tarde.

    Até que enfim, gostei da padronização dos vidros das portas.

    Agora sempre tive uma dúvida comigo:

    Por que não padronizam os tamanhos das janelas ???

    Eu sei que tem vários comprimentos de chassis, mas não dá para padronizar entre cada um ???

    Se tem algum motivo, gostaria que a Marcopolo me explicasse, pois na minha cabeça não entra uma carroceria com 3 ou 4 tamanhos de janela.

    Ficou bonito, tenho de admitir, mas apresento uma sugestão.

    Não gosto e nem sei pra que serve aquela carenagem vermelho sujo (apagado) que envolvem as lanternas traseiras.

    Se dependesse de mim eu supria essa peça.

    Eu não entendo como o CONTRAN, IMETRO, ANTT, ou sei lá que órgão for, permitem essas lanternas pequenas nos buzões e em caminhões.

    Pra mim as lanternas traseiras tinha de ter 160 mm de diâmetro isso sim.

    Nos bitrens de 30 metros, tinha de ter 200 mm de diâmetro.

    Aguardo a resposta da Marcopolo quanot a padronização do tamanho das janelas.

    Att,

    Paulo Gil

  10. WELLERSON CEZAR // 24 de maio de 2017 às 15:30 // Responder

    O que ficou ruim foi o sistema de abertura de portas, tanto do Torino 2014 quanto do Torino S, a Marcopolo tinha que colocar esse tipo de chave como opcional ou somente nos Paradiso e Viaggio que não abrem as portas o tempo todo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: