Vereadores farão nova audiência pública para retirada de ciclovia e faixa de ônibus na região da Avenida do Cursino

Segundo requerimento, vias são estreitas e possuem alto fluxo de veículos. No entanto, Lei de  Mobilidade determina prioridade a ciclistas e usuários do transporte coletivo

ADAMO BAZANI

A faixa de ônibus na Avenida do Cursino e a ciclovia na região do Bosque da Saúde estão na mira de um grupo de vereadores que vão debater a retirada destes espaços destinados a ciclistas e usuários do transporte coletivo.

Liderados pelo vereador Aurélio Nomura, devem discutir numa audiência pública da Comissão de Finanças e Orçamento, a eliminação das vias delimitadas. Segundo o convite para o encontro, que deve ocorrer neste dia 11 de maio na Distrital Sudeste da Associação Comercial de São Paulo, o objetivo é debater a implantação no final da gestão passada da ciclovia e da faixa de ônibus em “uma via estreita e com grande fluxo de veículos.”

Já não é a primeira vez que parlamentares em uma parte de moradores e comerciantes querem as vias nos moldes antigos.

A faixa para ônibus na Avenida do Cursino foi implantada em 6 de abril de 2015, na gestão de Fernando Haddad, funcionando nos horários de pico. Segundo a prefeitura, na época, pelo local passavam 22 linhas municipais que transportam 153 mil pessoas por dia, em média, além de linhas metropolitanas da EMTU. A extensão é de 2,8 km.

Já a ciclovia avenida Bosque da Saúde atende ciclistas que pretendem seguir na direção de estações de Metrô e terminais de ônibus na região.

Na gestão passada foram implantados aproximadamente 300 km de novas faixas para ônibus e 400 km de ciclovias.

Até o momento, em cinco meses de administração, a gestão João Doria não ampliou esses espaços.

Em relação aos ônibus, não houve acréscimo e ainda alguns espaços que ofereciam exclusividade para o transporte coletivo, como viaduto Doutor Plínio de Queiroz, na região da Avenida Nove de Julho, no centro de São Paulo, foram modificados. No local, agora há apenas uma faixa à direita. No entanto, no final do viaduto, os ônibus encontram dificuldades para voltarem à esquerda e seguirem o corredor com destino à zona sul de São Paulo.

Alguns moradores e comerciantes dizem que as vias na região da Cursino são estreitas e que nos horários de pico, o trânsito é muito congestionado no local. Sem as faixas de ônibus e as ciclovias, argumentam, haveria maior fluidez para os carros.

A Política Nacional de Mobilidade Urbana, instituída pela Lei 12.587, de 2012, determina prioridade ao transporte coletivo e aos deslocamentos a pé e de bicicleta, mesmo que haja impacto do transporte individual motorizado.

COMISSÃO DE FINANÇAS E ORÇAMENTO Convida o público interessado a participar da Audiência Pública que esta Comissão realizará tendo por objetivo discutir a Implantação, no final da gestão passada, de ciclovia que tem início na Rua General Serra Martins e segue até Avenida Bosque da Saúde, altura do nº 1091 e a Implantação da faixa de ônibus na Avenida do Cursino, uma via estreita e com grande fluxo de veículos. Em atendimento ao Requerimento nº 25/2017 de autoria do Vereador Aurélio Nomura. Data: 11/05/2017 Horário: 19:00 h Local: Associação Comercial de São Paulo – Distrital Sudeste – Rua Afonso Celso, 1659 – Vila Mariana

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Vereadores farão nova audiência pública para retirada de ciclovia e faixa de ônibus na região da Avenida do Cursino

  1. Tem que tirar as fxs de ônibus do trecho urbano da Anchieta. O ônibus leva uma hora de Sbc ate o final da rua Verguiro no congestionamento que se forma por causa dela, e depois a utiliza por apenas cinco minutos

1 Trackback / Pingback

  1. Carros de passeio emitem 73% das emissões de poluentes em São Paulo, mas só transportam 30% das pessoas – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: