Marcopolo registra crescimento de 29,5% de receita líquida no primeiro trimestre

Mas lucro líquido cai 63,6%.  Para o ano, empresa aposta em retomada das vendas, principalmente de rodoviários. Participação no segmento de rodoviários vai para 68,2% e de micros, para 52%.

ADAMO BAZANI

A Marcopolo divulgou nesta segunda-feira, 8 de maio de 2017, o resultado do desempenho financeiro do grupo no primeiro trimestre deste ano.

Segundo o balanço, entre janeiro e março deste ano, houve crescimento de 29,5% na receita líquida em comparação com o mesmo período do ano passado. A receita líquida foi de R$ 554,6 milhões no primeiro trimestre deste ano, contra R$ 428,3 milhões obtidos no primeiro trimestre de 2016.

O mercado externo puxou o bom desempenho. Segundo a Marcopolo, o “resultado reflete o forte trabalho que a empresa vem realizando, especialmente desde o final de 2015, para conquistar mercados no exterior, com a ampliação das exportações em 107,1% e das receitas de suas operações no exterior em 46,3%.”

A empresa ainda informou que o aumento da receita líquida consolidada tem como principais motivos “ o maior faturamento nas exportações e nas operações internacionais, que apresentaram o aumento de 75,9% e 107,9%, respectivamente, no volume de unidades físicas, e representaram 73% da receita total realizada pela Marcopolo no primeiro trimestre de 2017.  A receita líquida também foi impactada positivamente em R$ 84,9 milhões pela consolidação da Neobus.”

De acordo com o diretor de Relações com Investidores e de Controladoria e Finanças da Marcopolo, José Antonio Valiati, em nota, o desempenho da Neobus somente passou a ser incluído no balanço da Marcopolo no segundo semestre de 2016, a partir de agosto. “Mesmo assim, sem a consolidação, a receita líquida da Marcopolo foi 9,7% superior em relação ao primeiro trimestre de 2016”..

PRODUÇÃO TAMBÉM AUMENTA:

A produção de ônibus pela Marcopolo também cresceu nos três primeiros meses deste ano: foram feitas 1349 carrocerias no Brasil, com volume 29,4% maior que nos três primeiros meses de 2016. Já no exterior, foram feitas 616 carrocerias de ônibus, o que significa volume 113,9% maior do que o produzido no mesmo período de 2016.

Apesar do crescimento, a Marcopolo diz ter a consciência de que o país ainda enfrenta dificuldades e que o volume ainda é abaixo do registrado historicamente nesse período.

Apesar de ter dado sinais de início de retomada, o mercado brasileiro de ônibus apresentou, no trimestre, volumes ainda abaixo dos níveis históricos e normais de produção, o que impediu um melhor desempenho. A produção total brasileira foi 33,5% inferior à do 1T16, com 1.366 unidades contra as 2.055 unidades produzidas no mesmo período do ano passado”, salienta Valiati.

PARTICIPAÇÃO NO MERCADO CRESCEU:

Em seu balanço, a Marcopolo também divulgou que sua participação no mercado de carrocerias no Brasil cresceu, somando todos os tipos de ônibus, entre rodoviários, urbanos e micros.  A Marcopolo juntamente com a Neobus respondeu neste primeiro trimestre por uma fatia de 46,8%. No primeiro trimestre do ano passado, a participação foi de 32,2%.

No segmento de rodoviários, o grupo da Marcopolo obteve 68,2% de participação no mercado no primeiro trimestre deste ano, resultado 16 pontos percentuais maior que no primeiro trimestre de 2016. Já no segmento de micro-ônibus, o aumento foi de 35,9% para 52%, o resultado é explicado pela incorporação da Neobus.

LUCRO LÍQUIDO CAI:

No entanto, nem tudo são boas notícias já que o país ainda tem enfrentado dificuldades.

De acordo com a Marcopolo, o lucro líquido caiu 63,6% na comparação entre o primeiro trimestre deste ano e o mesmo período do ano passado. Neste ano, o lucro líquido foi de R$ 3,2 milhões e, no primeiro trimestre de 2016, foi de R$ 8,8 milhões.

Os motivos, de acordo com a Marcopolo, foram situação da economia brasileira, a redução de dias de faturamento por causa de férias coletivas, valorização do real frente ao dólar afetando as margens de exportações, a consolidação da compra Neobus e o que foi gasto para pagar as rescisões decorrentes das demissões.

“O desempenho ainda fraco do mercado interno brasileiro tem prejudicado o desempenho dos resultados consolidados. O lucro bruto do 1T17 atingiu R$ 61,0 milhões, com margem de 11,0%, contra R$ 56,2 milhões e margem de 13,1% no 1T16. A margem bruta foi pressionada pela redução de dias de faturamento, decorrente das férias coletivas em janeiro e março, bem como pela valorização do real frente ao dólar americano, que afetou as margens na exportação. O resultado bruto também foi afetado pela consolidação da Neobus, pelo mix mais leve de produtos destinados ao mercado interno brasileiro e pela provisão com rescisões decorrente de reestruturação interna da companhia. Com isso, o lucro líquido foi de R$ 3,2 milhões, 63,6% inferior aos R$ 8,8 milhões registrados no 1T16.” – explica a nota.

DIFERENÇAS:

A receita líquida, que teve alta, se refere às vendas totais já descontadas devoluções, impostos e custos de operações.

Já o lucro líquido, que registrou queda, é a diferença entre toda a receita e todos os custos e gastos.

O lucro líquido é assim o total de rendimentos menos as despesas, como os custos de produção, depreciação, bancários, publicidade, etc.

APOSTA PARA 2017:

A Marcopolo aposta que 2017 feche com números positivos. O setor de rodoviários deve puxar o bom desempenho:

O mercado de ônibus no Brasil já mostra sinais de recuperação. As perspectivas de demanda, tanto no mercado interno como no mercado externo, indicam retomada nas vendas, especialmente no segmento de rodoviários. A regulamentação de acessibilidade, vigente a partir do próximo mês de julho, e a obrigatoriedade de redução da idade média da frota nas linhas interestaduais e internacionais afetará positivamente o segmento.

 No segmento de urbanos, a queda no primeiro trimestre demonstra que a demanda segue pressionada, especialmente devido às incertezas relacionadas aos reajustes das tarifas e indefinições acerca de processos licitatórios para renovação de concessões.

 No mercado externo, a demanda continua forte e as exportações permanecem aquecidas em todos os segmentos, o que deverá contribuir para o desempenho da companhia. As unidades externas, com ampliação de seus negócios, confirmam a expectativa de crescimento, com destaque para a controlada Polomex, localizada no México.

De acordo com a perspectiva da Marcopolo, o setor de ônibus urbanos ainda deve sentir as instabilidades políticas, principalmente em relação a tarifas e licitações. O Reforta 17, programa do Governo Federal, para renovação de ônibus urbanos não foi citado pelo comunicado da empresa.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 comentários em Marcopolo registra crescimento de 29,5% de receita líquida no primeiro trimestre

  1. Muito fácil falar que a participação disparou usando a Neobus junto. Quero ver com as marcas separadas.

  2. José Antonio Valiati, em nota, o desempenho da Neobus somente passou a ser incluído no balanço da Marcopolo no segundo semestre de 2016, a partir de agosto. “Mesmo assim, sem a consolidação, a receita líquida da Marcopolo foi 9,7% superior em relação ao primeiro trimestre de 2016”..

  3. Valter Antônio Gomes Pinto era chamado na Alemanha: Sr. Gomes Pinto. Ele se sentia orgulhoso de pertencer a um dos membros-dirigente na administração da MARCOPOLO S.A. e sí expressava com essa frase: “Um bom negócio é uma belas-artes”; “Quem encomenda a música, paga a banda”; “A melhor doença não presta para nada”; ” Passar o dia vestido com calcas de jogging, é perder o controle da vida! “; ” Se você não aguenta um vento mais frio, o que vai fazer no topo da montanha ?”

    Ele era uma ESTRELA silenciosa ( não se sabia, o que ele pensava ). Um empresário-acionista poderoso nas finanças tinha um nível altamente qualificado na educação profissional, falava inglês e era um talento em organização, a maneira de ele escrever se podia comparar a uma comida chinesa ( tudo picadinho ). Isto quer dizer, não precisava mastigar era só engolir! Ele não fazia o uso de SMS ou E-MAILS. Para fazer contato, dava preferência para chamada ao telefone ou celular, a correspondência particular era por via Correio & Telegrafo e o relato era escrito à mão.

    Ele tinha bom sentido de humor: “Quem elogia o Céu, nunca esteve lá !” “Compartilhar em discussão… Jogo de Futebol – Escutam-se mais respostas do que perguntas !” Ele sempre se despedia dessa forma: “Tudo tem um fim, somente a salsicha tem dois.” – Vamos ver, se ainda volto por aqui?”

    O que ele não concordava, podia se entender pelo olhar por cima das lentes dos óculos. Atencioso com qualquer classe social, se trajava muito elegante! Ele possuía uma excelente memória !

    A viagem de negócios dele era participação na Feira Internacional do Ônibus na Alemanha, Bélgica e visitas na indústria de alta tecnologia, tais como: Daimler-Benz; MAN ( Alemanha )-Van Hool ( Holanda )-Scania ( Suécia )-Tata ( Índia ) e Hyundai ( Coreia do Sul ). Ele carregava uma maleta-piloto junto com documentos, agenda, brindes, prospectos, revistas e catálogos de ônibus e indústrias, jornal sobre a bolsa de valores, livros literários, piadas, guia de viagem e uma caixa com medicamentos. Pendurado no cinturao levava uma camara fotográfica e celular.
    Entretanto na Feira, ele jantava negociando com executivos das Firmas brasileiras e representantes tais como: Filho do fabricante de onibus Jonckheere; presidente Buses International Association USA e o café-da-manha tomava junto com compradores de onibus.

    Durante a viagem do ponto A à B; sí ele nao cochilava dentro do carro, recitava as piadas do livro:
    A mulher foi fazer uma consulta com o Neurólogo:
    Neurólogo: ” A Sra mim parece muito nervosa ! Quantas vezes vai prar cima do colchao ?”
    Mulher: “Uma vez por dia !”
    Neurólogo: ” Prar reduzir o nervosismo, aconselho à fazer sexo, no dia da semana que contenha a letra U !”
    À noite, quando o marido chegou em casa. Ela logo contou a recomendacao do médico.
    Marido: “Que dia é hoje ?”
    Mulher: “dUmingo !”

    Era hábito visitar o amigo Irlandês, que era um boêmio e proprietário do restaurante JOHN’S PLACE, o qual cantava as baladas de Frank Sinatra e assava carne encima de uma pedra vulcanica, na mesa do cliente. Na penumbra no cantinho do terrasso no restaurante; Sr. JOHN fumando um charuto “batendo-papo” com Sr. Gomes Pinto, na mesa tinha uma garrafa de Champagner e uma tijela cheia com morangos.

    Ele rejeitava severamente a visitar lugares de crueldade como da Segunda Guerra Mundial, mas encantava-se com a limpeza nas ruas da Alemanha, a disciplina do trânsito, a velocidade na autoestrada, a pontualidade alemã, o estacionamento de carros subterrâneos e as casas de enxaimel. No aeroporto de regresso ao Brasil, ele tinha saudades do Ary Barroso e cantava baixinho Aquarela do Brasil para sí mesmo.

    Frequentava o restaurante BODE CINZENTO para apreciar a música folclórica acompanhada por um sanfoneiro e saborear a comida ( a sopa de feijão picante húngara, batatas, arroz, chucrute, salsichas e joelho de porco ).
    Um dos pratos mais conhecidos da gastronomia alemã é sem dúvida o Eisbein (Bein = perna, Eis = gelo). Perna de gelo? Ninguém conhece, ninguém nunca comeu isso! O Eisbein é o famoso joelho de porco normalmente servido bem quentinho, acompanhado de batatas e chucrute ).O aperitivo digestivo Frenet, Steinhaeger, entre outros, não faltavam em seu cardápio. Ele não gostava do vinho da maça… e o molho do Spaghetti devia ser servido separado. Bebia vinho branco e tinto de 1a. qualidade, a cerveja ele só experimentava dando gole contudo admirava a folia da FESTA da CERVEJA ( OKTOBERFEST ). Ele não comia ou bebia tudo o que estava no prato ou no copo, apenas provava um pouco de cada, porém saboreava o prato de sua sobremesa favorita que era o Tiramisú ou fatia da torta de maça acompanhado com canela e calda de vanila à ponto morno.

    Comparecia nos restaurantes gourmet de 2 Estrelas para valorizar parceiros-econômicos e funcionários da Marcopolo S.A.

    Hospedava-se na Europa em hotel na categoria de 05 estrelas porque reconheciam a sua nobreza no caráter. Nestes hotéis, teve a oportunidade de ver pessoalmente essas personalidades ilustres: O presidente da Rússia Michail Gorbatschow; ministro alemão de relação exterior Hans Dietrich Genscher; presidente da Índia Zail Singh; primeiro ministro da Índia Rajiv e esposa Sonia Gandhi; o bilionário Dr.Oetker ( fabricante de massas congeladas, dono de Cervejaria,Termas,cadeia hotel de luxo ); o patriarca Giovanni Agnelli da FIAT S.p.A. no elevador do hotel The Westin Excelsior em Florenca/Italia; o playboy Gunter Sachs foi o marido da Brigitte Bardot e era neto de Ernst Sachs ( fabricante industrial de motor-embreagem-freios e cano de escape tambem chegou a ser o maior fornecedor de pecas automotivas do carro OPEL ( hoje a indústria pertence a norte-americana GENERAL MOTORS ); guitarrista irlandês rock star Bono; artista James Bond Roger George Moore; ator alemão Mario Adorf; atriz Faye Dunaway ( naquela ocasião, ela era “convidada de honra” no BAILE de GALA na ÓPERA de VIENA ) e cumprimentar com aperto de mão o príncipe de Mônaco Albert II.

    Ele era devoto e esteve visitando os três principais locais sagrados do Cristianismo: JERUSALÉM-ROMA-SANTIAGO DE COMPOSTELA; também as GRUTAS DE LOURDES e FÁTIMA, e La Cueva de Altamira ( caverna pré-histórica ). Da mesma maneira, reservava o tempo para assistir a MISSA. Estava planejando comprar 02 SINOS de Torre na Áustria para doar a Catedral de Caxias do Sul.

    Para se recuperar da fadiga cotidiana, sentava-se no banco da Praça Pública, tomando sorvete, observando o comportamento dos pombos nos arredores e escutando o soar do badalo de sinos da Igreja, às vezes, olhava o carrossel do pátio, com um ar de querendo montar no cavalinho de madeira no parque florestal e fazia questão de bater fotografias com perfeição.

    Além de zelar as simples amizades… Ele adorava as boas coisas da vida: O ritual dos banhos das TERMAS FRIEDRICHSBAD e CARACALLA (algo comum e tradicional na Alemanha) ; Passeava na Floresta Negra para deliciar o Presunto com Melao ! Gostava do desfile da banda musical grupos de FANFARRAS, contemplar minuciosamente a ARQUITETURA e QUADROS de belas-artes, apreciar a ÓPERA ( em Verona e Dresden ); PALIO ( Siena ); CONCERTO de VIOLINOS dentro das Igrejas de Prague; CONCERTO de música clássica, (Filarmônica de Viena ) com a valsa de Viena de Johann Strauss; MUSEU Tecnológico de Munique ( Deutsches Museum ); Museu PERGAMON em Berlim; Museu GUGGENHEIM em Bilbao/Espanha e respirar o ar livre da MONTANHA ( Mont Blanc-Matterhorn-Zugsptize-Großglockner ) e apreciar o panorama ao longo do Rio RENO com passeios de barcos, os CASTELOS; RUINAS e PALÁCIOS, a lenda da LORELEY ( SEREIA ) e o alinhamento das PARREIRA DE UVAS inclinada no monte. Nesta excursao estava presente o chairman da Firma KODAK dos Estados Unidos da América do Norte.

    Nesta região, ele se divertia e ficava surpreendido de ver a alegria dos turistas na cidade de Rüdesheim e a famosa rua estreita DROSSELGASSE que ele brincava apelidando de TORRE DE BABEL (pessoas de várias nacionalidades). Aqui, ele tinha amizades com a família vinicultora OTTES que o explicava a técnica de cultivo da videira, a cultura do tratamento das uvas e a diferença entre o sabor da uva cultivada no solo Latitude e Altitude. Essa família residi em uma das esquinas ( com um cartaz fixado na muralha: ” O bom vinho está na curva ” ). Durante a degustacao mastigou o queijo em forma de um cubo usado prar tira-gosto e salientou-se como Guru: ” Muito bom, muito bom… mas é que em Caxias do Sul temos o melhor evento da Serra Gaúcha: A FESTA da ÚVA!”

    Gostava de relembrar a cartilha escolar com os lábios torcidos: “O IVO viu a ÚVA – O OVO É DA AVE”; a caixa de emergencia para Mangueiras Contra-Incendio instalada na rua: “No caso de perigo, quebre o vidro e tire a chave” ; comentava os filmes faroeste da infância: Randolph Scott e a troca de 2 Gibi por 1 Almanaque na porta do cinema, também lhe provocava sorriso falando da fotografia dos familiares com “Diploma de Datilógrafo” e da palhoça do nordestino que alugava só para os ganchos, mas o hóspede devia trazer a própria rede para dormir. Recordava o xarope Biotônico Fontoura ( Zeca Tatu), o galo com botas, o leite de Magnésio amargo, o pão Plus Vita, a cesta de Colombo e o carro Gordini e também a Companhia de Viação Aérea: PANAIR.

    O saudoso Sr. Gomes Pinto possuía uma resistência física que aguentava a atividade às 07h00 e durava até depois da meia-noite, porem, nao fazia pensamento de estar na idade de aposentado.
    Ele seguia o caminho na tradição da vida do cidadão “brasileiro-caxiense”: Decente, uma pessoa muita fina, culta e muito especial que me deixou com saudades! Eu continuo tendo muita estimação por esse amigo com um Espírito Sadio, o qual o conheci no ano de 1983 no antigo Hotel Intercontinental de Frankfurt. A partir daí, fui sempre contratado via TELEX para servir como motorista privilegiado nas jornadas dele. Ele deixava eu circular com carros alugados da marca Daimler-Benz : Limousine ou Van.

  4. Glaucio oliveira // 10 de maio de 2017 às 13:23 // Responder

    Muito legal o espaço memória e parabens minha querida marcopolo que admiro desde 73 com 10 anos e os lindos venezas que a viação tupa da minha cidade taboao da serra. Grande SP. Também tinham nicolas e a região todas as empresas de bus tinham nicolas e venezas . E para aumentar minha alegria a cidade era o início da br 116 Régis Bittencourt e os marcopolos novos que vinham para região sudeste e nordeste passavam aqui e me deleitava apreciandos. Fora os marcopolos 2 e 3 da penha que iam para o sul e das outras empresas e fretamento. Hoje mesmo com a concorrente caio dominando mais de 80% dos urbanos na grande SP consigo andar + de marcopolo e neobus. Parabéns mesmo. Vivas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: