Empresas de ônibus economizam 32 milhões de litros de água com reuso, mas número poderia chegar a 51 milhões

Sondagem inédita pela CNT – Confederação Nacional do Transporte ainda mostra que cultura nas garagens tem mudado. Simulador e manual ajudam garagens a implantar sistemas. Baixe aqui

ADAMO BAZANI

As empresas de ônibus em todo país economizam a cada vez que lavam seus veículos, 32 milhões de litros de água. No entanto, nem todas as garagens ainda possuem sistema de reuso que, se caso já tivesse sido implantado na totalidade da frota brasileira, poderia gerar uma economia de até 51 milhões de litros.

É o que revela a sondagem CNT de Gestão Hídrica, da Confederação Nacional do Transporte.

O levantamento é inédito e foi realizado entre 6 de dezembro de 2016 e 19 de janeiro de 2017.

De acordo com os dados, hoje a frota brasileira possui aproximadamente 180 mil ônibus e 64,1% das garagens possuem sistemas de tratamento de água e 49% a reusam.

Grupo Leblon no Paraná diz que poupou 147 mil de litros de água nos três primeiros meses deste ano

Os 32 milhões de litros de água economizados quase que diariamente, já que na maior parte dos casos os ônibus são lavados todos os dias, representam 50,6% do total gasto em cada ciclo de lavagem de toda a frota. Esse total economizado é suficiente para suprir o consumo diário de uma cidade de aproximadamente 200 mil habitantes, considerando o gasto médio de 154 litros de água por pessoa a cada dia.

EMPRESAS GASTAM MUITO DINHEIRO, MAS NÃO SABEM:

Além de trazer benefícios ambientais, os sistemas de reuso de água e tratamento de efluentes podem trazer também redução de custos.

Mas de acordo com a sondagem, os empresários do setor não sabem exatamente o peso do consumo de água em seus custos.

São “altos percentuais de entrevistados que não sabiam ou não responderam ao questionamento, sobretudo, no segmento urbano (70,2%). De outra forma, 14,8% do total alegaram não ter gastos com o consumo de água – recurso proveniente de poço artesiano, captação direta e/ou chuva – e 14,5% apontaram valor até R$ 5.000,00, tendo essa categoria destaque no transporte rodoviário (40,0%). Em relação aos demais intervalos de resposta, os percentuais são baixos. Por exemplo, somente 3,1% dos participantes indicaram gastos superiores a R$ 20.000,00 por mês (…) Esses dados mostram que há espaço para aprimoramento da gestão de custos com vistas a melhorar o desempenho financeiro das empresas de transporte coletivo de passageiros. A correta mensuração dos gastos na lavagem dos veículos, especialmente, do custo da principal matéria-prima desse processo – a água – é essencial para os gestores, pois irá auxiliá-los no planejamento, controle e desenvolvimento dos negócios e nas tomadas de decisões. A manutenção de indicadores de consumo e gasto com água diminui os riscos dos empreendimentos – proporcionando informações detalhadas sobre a realidade financeira da empresa – e contribui para a precificação mais adequada dos serviços de transporte, uma vez que os custos da lavagem dos veículos devem ser cobertos pelo valor pago pelos usuários. Considerando que pode haver diferença nos métodos de lavagem empregados, destaca-se a oportunidade de algumas empresas reavaliarem seus procedimentos visando à redução do consumo de água e, consequentemente, dos gastos financeiros com essa prática. É importante mencionar que, nas cidades sondadas, o custo do m3 da água varia de R$ 5,57 até R$ 60,43, considerada a faixa de consumo compatível com uma garagem de ônibus. Assim, nas garagens que recorrem a concessionárias, quanto maior for a tarifa da água, maior será o benefício de uma gestão adequada desse recurso.”

Os gastos com lançamento de esgoto/efluente na rede coletora também são altos, no entanto, também pouco considerados pelos empresários.

Sistema da Transwolff, na zona Sul de São Paulo, permite economia de 7.800 litros, de acordo com a empresa

A CNT também informou, em nota à imprensa, que a maior parte das companhias que não possuem sistema de reuso de água tem interesse em disponibilizar os sistemas na frota Acompanhe:

Dados principais da Sondagem com as empresas de ônibus urbanos e rodoviários


Sistemas de tratamento e reúso de água:

• 64,1% possuem sistemas de tratamento de água (que, em geral, retiram óleos, graxas e sólidos em suspensão).
• 49% possuem tratamento de água e a reúsam. Desses 49%, praticamente todos utilizam recurso de pós-tratamento na lavagem de veículos.
• Em média, as garagens reutilizam 79,6% do volume de água tratada.
• Entre aquelas empresas que não têm sistemas de reúso implementados, a maioria (58%) tem interesse em investir na reutilização do recurso.
Lavagem de ônibus:
• Em 85,9% dos casos, a lavagem de ônibus é realizada pela própria empresa. O serviço é terceirizado em apenas 14,1% dos casos.
• O principal método de lavagem da parte interna dos ônibus é o manual (84,7%), e o principal método de lavagem da parte externa é o uso de sistema automático de rolos (70,7%).
Principais fontes de obtenção do recurso hídrico:
• 64,1%: utilizam água fornecida por concessionária.
• 55,6%: utilizam poços artesianos.
• 28,9%: utilizam água da chuva.
Programa Despoluir (da CNT e do SEST SENAT):
• 70,8% conhecem o programa e as suas ações pela sustentabilidade no setor transportador.
• Do total dos participantes atendidos pelo Despoluir, 93,9% avaliam que o programa é ótimo ou bom.
• 80,9% das empresas adotam ações de combate ao desperdício de água, como realização de campanhas de educação dos funcionários.
Utilização de sistemas de gestão ambiental:
• 43,0% possuem sistemas de gestão ambiental implementados nas garagens. Além do gerenciamento hídrico, esses sistemas permitem a gestão de combustível, energia, resíduos e outros recursos.
• 59,3% dos que não possuem sistemas de gestão ambiental têm interesse em implementá-los.
Análise sobre o consumo de água na lavagem de ônibus

Frota de ônibus:
Urbanos: 107.000 veículos
Rodoviários: 76.923 veículos
Total: 183.923 veículos

Consumo médio de água para lavar um ônibus (resultado da Sondagem CNT de Gestão Hídrica):
Urbano: 364,1 litros
Rodoviário: 316,1 litros

Consumo estimado de água para lavar todos os ônibus de uma única vez:
Urbanos: 39 milhões de litros
Rodoviários: 24 milhões de litros
Total: 63 milhões de litros

Quanto é possível economizar com a implantação de sistemas de reúso de água?
Cerca de 80% do total consumido para a lavagem de todos os ônibus pode ser reutilizado, ou seja, 51 milhões de litros de água.

Atualmente, sistemas de reuso de água são utilizados pelas empresas de ônibus urbanos e rodoviários?
Sim, cerca de 49% das empresas já implantaram sistemas de reutilização.

Qual a economia estimada com os sistemas já existentes?
Nos ônibus urbanos, a economia estimada é de 23 milhões de litros de água.
Nos ônibus rodoviários, a economia estimada é de 9 milhões de litros de água.
No total, o setor já economiza 32 milhões de litros de água, o que corresponde a 50,6% do volume gasto em um ciclo de lavagem de toda a frota (63 milhões de litros).

 

Quanto o setor já economiza do total possível?
A economia atual (32 milhões de litros) é equivalente a 63,3% de toda a economia que seria possível (51 milhões de litros), caso todas as empresas de ônibus implementassem sistemas de reúso.
MANUAL E SIMULADOR:

Para orientar as empresas de ônibus, a CNT lançou um manual de gestão hídrica que pode auxiliar a implantação de sistemas de reuso de água na lavagem de ônibus, ensinando passo a passo sobre como instalar as estações de tratamento, podendo haver uma economia de 80% no consumo de água e redução em torno de 75% dos gastos com a conta.

Esse recurso economizado pode ser direcionado para outros investimentos dentro das empresas ou mesmo para reduzir os impactos der outros custos, como gratuidades e elevação do preço do combustível antes do reajuste da tarifa,
A entidade também disponibilizou um simulador para verificar os impactos desses sistemas nas diferentes frotas, de acordo com a realidade específicas de cada empresa:

MANUAL –

Manual CNT de Gestão Hídrica Transporte Rodoviário Coletivo de Passageiros

Simulador:

http://www.cnt.org.br/paginas/simulador-cnt-reuso-de-agua

 Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes