Produtores querem antecipação do aumento do percentual de Biodiesel ao diesel fóssil

Ônibus em Guarulhos, na Grande São Paulo, destacando o uso da mistura com biodiesel

De acordo com entidades ligadas à produção, o momento é positivo por causa da queda de consumo de combustíveis

ADAMO BAZANI

Produtores distribuidores de biodiesel defendem a antecipação para julho deste ano da mistura obrigatória de biodiesel ao óleo diesel fóssil comercializado no Brasil.

Hoje a mistura obrigatória é a chamada B8, pela qual 8% de biodiesel estão presentes no diesel. O aumento para 9% está previsto para 2018.

Na última reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel (CSOB), realizada no final de março, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), os produtores alegaram que o momento é propício para a antecipação desta exigência, conforme nota publicada pela Ubrabio – União Brasileira de Biodiesel e Bioquerosene.

A mistura de biodiesel em vigor atualmente é de 8%, o chamado B8. Mas devido à queda no consumo de combustíveis, a indústria vem sofrendo com grande ociosidade. O aumento para B9 ainda em 2017 é apontado pelo setor como uma oportunidade para que o país reduza sua dependência de diesel fóssil importado e estimule a indústria nacional.

Ainda de acordo com os produtores e distribuidores, uma das vantagens do aumento do uso do biodiesel é reduzir a poluição de maneira significativa, sem grandes investimentos em tecnologia mais cara e resultados imediatos.

Em comparação com o óleo diesel, o biodiesel pode representar uma redução entre 50% e 70% de emissões de gás carbônico.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes