Governo do Estado diz que aumento de tarifas integradas não será nesta semana, mas anúncio será feito nesta segunda-feira

STJ atendeu pedido do poder público para aplicar reajustes previstos no início do ano

ADAMO BAZANI

O Governo do Estado de São Paulo informou que os reajustes que queria implantar no início do ano nas tarifas integradas entre metrô, CPTM e os ônibus municipais de São Paulo não serão aplicados nesta semana, mas as datas anunciadas até o final desta segunda-feira.

A declaração foi do secretário de transportes metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, em evento na manhã desta segunda-feira durante entrevista coletiva.

“Temos que dar um prazo, isso não vai ser feito de supetão Vai ser dado pelo menos uma semana, isso é o que nós pretendemos. Temos que informar a Assembleia Legislativa, a Prefeitura tem que informar a Câmara e também, dentro da razoabilidade, dar um prazo para as pessoas poderem se preparar”.

No mês de janeiro administração estadual, em conjunto com o prefeito de São Paulo, João Doria, queria um aplicar reajuste dos atuais R$ 5,92 para R$ 6,80 para a integração ônibus SPTrans, Metrô/CPTM e conceder aumentos no valor dos bilhetes únicos 24 horas e mensais que poderiam chegar a 50%. No entanto, no dia 6 janeiro, o Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu o aumento após ação da bancada petista na Assembleia Legislativa.

Houve uma verdadeira disputa jurídica que teve último capítulo na sexta-feira, 7 de abril, com STJ autorizando reajuste.

A tarifa básica de R$ 3,80 vai permanecer congelada.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes