Doria diz que população não está preocupada com plano de metas e fala que viações não são “doidas” de mandar cobradores embora

Doria Doria apresentando 60 ações da prefeitura e balanço de 100 dias do governo nesta segunda-feira, 10/04/17. Reprodução – Facebook/ Texto: Adamo Bazani

Documento inicial foi criticado por entidades por não traçar números objetivos do que a prefeitura deve realizar

ADAMO BAZANI

No Plano de Metas de governo da cidade de São Paulo até 2020, não há, por exemplo, a quantidade de corredores de ônibus que a prefeitura espera fazer, um cronograma para implantação de ônibus menos poluentes ou o total de ciclovias que podem ser implantadas.

Diversas entidades, como as ONGs reunidas no movimento “Cidades dos Sonhos”, criticaram a falta de indicadores objetivos para temas importantes da capital paulista, como a mobilidade urbana.

Mas segundo o prefeito João Doria, para a população isso não importa. Pelo menos é o que disse entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, 10 de abril de 2017, após apresentação de 100 dias do seu governo e 60 ações para a cidade.

“Não adianta estar no plano de metas e no final não cumprir. A população não está com essa preocupação de plano de metas, está com a preocupação que a meta seja cumprida”

Ainda na área de mobilidade, por exemplo, o plano fala sobre a licitação dos transportes por ônibus, mas não traz nenhuma especificação nova, o que deve ocorrer somente após a publicação do edital.

O documento inicial diz que o objetivo da administração é aumentar em ao menos 7% o total de pessoas que utilizam transporte coletivo e em 10% os deslocamentos ativos, ou seja, a pé ou por bicicleta. No entanto, não especifica como vai fazer isso.

COBRADORES:

O prefeito de São Paulo, ainda na coletiva, confirmou que dentro de alguns anos a cidade de São Paulo não terá mais cobradores de ônibus. Doria confirmou a informação de que hoje 94% dos passageiros já pagam com bilhete único, no entanto, garantiu que os atuais trabalhadores não serão demitidos

“Zero desemprego. Esse é o compromisso. Tenho certeza que as concessionárias vão cumprir. Não serão doidas de descumprir um programa como esse. O principal cliente que elas têm é a Prefeitura de São Paulo”

AÇÕES

Entre a 60 ações apontadas pelo prefeito na apresentação estão os museus de artes de rua , o jardim suspenso na Avenida 23 de Maio,  regularização fundiária, a economia com cortes de contratos e cargos de confiança, e o programa “Asfalto Novo” para a qualificação das vias e melhoria da qualidade dos reparos das ruas e avenidas, que começa a partir do dia 02 de maio

Veja:

https://www.facebook.com/jdoriajr/videos/1405999346123539/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 comentários em Doria diz que população não está preocupada com plano de metas e fala que viações não são “doidas” de mandar cobradores embora

  1. Ao que parece, Doria não quer se comprometer em estabelecer metas claras com medo de não cumpri-las e se não fizer, vai dar a desculpa de que faltou verba, seja para construção de novos corredores, novas ciclovias e entre outros benefícios para a cidade. Esse plano de metas diz alguma coisa a respeito de melhorias em acessibilidade das vias públicas? Mais incentivos para lazer, como disponibilizar mais lugares para lazer ou programas de incentivo cultural para pessoas carentes por exemplo? Sobre veículos menos poluentes, o fato de ignorar certamente é pelo fato da tecnologia ser mais cara, afinal, Doria é um empresário e bem provável que vai favorecer o empresariado de transportes públicos a poupar de realizar mais investimentos, priorizando alternativas mais baratas colocando o custo operacional como prioridade, ação que pode ser comprovada também com a intenção de extinguir a função de cobrador da capital. Ouvi falar que Doria teria dito que os futuros “ex-cobradores” serão remanejados para funções administrativas e operacionais, porém, questiono se essas empresas terão demanda suficiente para absorver esse pessoal, seja para funções administrativas ou operacionais (motorista, mecânico, etc.). Essas medidas mostram a preocupação do prefeito com o bolso os empresários em detrimento da eficiência e melhora da qualidade do transporte coletivo em prol dos paulistanos.

    • Raphael, bom dia.

      Permita-me, um complemento.

      Por menor que seja o beneficio ao paulistano, qualquer beneficio so se faz com dinheiro, independentemente da cor do prefeito.

      O problema do Brasil e de Sampa e o desperdicio do dinheiro do contribuinte.

      Enquanto o desperdicio continuar firme e forte nenhuma cor de prefeoto conseguira fazer beneficio algum, ate por conta do “Efeito Lava Jato”.

      Veja o GPS do buzao de Sampa, ele existe ???; funciona ????.

      Veja os Aerotrens 7nacabados de Sampa e tantas faraonicas interrompidas ou rompidas apos a inauguracao.

      Muda Brasil.

      Att,

      Paulo Gil

  2. Amigos, boa noite.

    Que tal acabar com o carro “bota”; afinal há ou não GPS no sistemas de buzão de Sampa ????

    Sexta feira as 7: 50 eu vi 4 buzões na bota 2 da 8705 e 2 da 8019.

    Os buzões eram: 8 1182; 8 1845; 8 1073 e 8 1128.

    Já sei vão falar que foi por causa da chuva.

    Mas esse GPS não funciona na chuva ?

    Por que o tráfego não se comunica pelo ZAP ZAP ?

    Acorda Sampa !

    Att,

    Paulo Gil

  3. Estamos preocupados sim.

    Deviam parar de dar o microfone pra esse maluco pra ele parar de falar e começar a trabalhar.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: