Rápido Luxo Campinas diz que ônibus fiscalizados foram liberados logo após ação da Artesp

Empresa ainda conta que foram apresentados os protocolos para renovação de vistorias, mas documentos não foram aceitos por fiscais

ADAMO BAZANI

Na última sexta-feira ,31 de março de 2017, a Artesp, agência que regula os transportes no Estado de São Paulo, realizou uma operação nos terminais rodoviários de Jundiaí e Cabreúva, no interior paulista.

Na ocasião, a agência informou por meio de nota à imprensa que vistoriou 42 veículos da Rápido Luxo Campinas, aprendendo 21 ônibus.

No entanto, a empresa se manifestou nesta terça-feira , 4 de abril de 2017, dizendo que não houve de fato apreensão dos veículos. De acordo com a Rápido Luxo Campinas, os ônibus foram parados pelos agentes da Artesp, fiscalizados e liberados logo em seguida, prestando serviços no mesmo dia.

Na ocasião, a Artesp também veiculou que foram encontradas irregularidades como vistorias vencidas, atrasos e até pneus “carecas” nos ônibus.

Como resposta, a Rápido Luxo Campinas informou que sempre fez os pedidos de renovação dos cartões de vistoria nos prazos previstos, habituais no sistema de transportes, e que apresentou os protocolos destas solicitações, como prevê o contrato.  A empresa alega, porém, que estes documentos não foram aceitos pelos fiscais, como ocorria anteriormente.

Sobre os “pneus carecas”, a empresa admitiu que houve um caso que classificou de “pontual”, mas que este, ainda de acordo com a companhia, já foi solucionado.

A RLC – Rápido Luxo Campinas integra o grupo de Belarmino de Ascenção Marta, proprietário de outras companhias, como a Sambaíba Transportes Urbanos, da Capital Paulista, ValleSul Transportes e Turismo Ltda no Vale do Ribeira, , VB Transportes e Turismo Ltda., Viação Ouro Verde, Viação Caprioli, Viação Lirabus Ltda, , Viação Atual, Transguarulhense e Viação Campo dos Ouros Ltda, em Guarulhos e região.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes