Em Salvador, dívida com banco leva a confisco de ônibus da CSN

Retirada de veículos prejudica população. (Foto Ilustrativa apenas)

Crise tem batido forte nas empresas de ônibus da capital baiana. Recentemente os donos das companhias alegaram dificuldades financeiras ao questionar o contrato de licitação do setor

ALEXANDRE PELEGI

O Consórcio Salvador Norte (CSN), cujos ônibus circulam na orla e no centro da capital baiana, teve ontem (29) 20 ônibus apreendidos em duas de suas garagens. A determinação partiu da Justiça, e inclui ainda outros 30 veículos, que deverão ser confiscados a qualquer momento.

O confisco foi confirmado pelo diretor-executivo da CSN e ex-diretor do sindicato das empresas (Setps), Horácio Brasil. Ele conta que o motivo é por causa de dívidas das antigas empresas de ônibus com os bancos Bradesco e Volkswagen. Horácio afirmou ao jornal A Tarde, de Salvador, que a falta dos veículos prejudica a prestação do serviço à população, e que o pagamento aos credores já estava sendo negociado.

A crise tem batido forte nas empresas de ônibus de Salvador. Recentemente os donos das companhias alegaram dificuldades financeiras ao questionar o contrato de licitação do setor, firmado em 2014 com a prefeitura da cidade. Os empresários solicitaram o “afrouxamento” de cláusulas para que as três concessionárias que operam na cidade pudessem se recuperar da crise.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes