Continua a greve de ônibus em Curitiba e região. Frota mínima deve aumentar para 80%

Proposta de reajuste pelas empresas foi de 6%. Trabalhadores inicialmente queriam 15%

ADAMO BAZANI

Continua a greve de motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e região metropolitana.

A justiça determinou aumento de frota mínima de 50% para 80% nos horários de pico e de 40% para 60% nas demais horas.

A categoria cruzou os braços no dia 15 de março de 2017, na última quarta-feira, quando aderiu ao dia nacional de paralisações contra a reforma da Previdência.

No entanto, os trabalhadores continuaram paralisados por questões salariais e também dos reajustes dos benefícios.

Na tarde desta terça-feira, 21 de março de 2017, em nova reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho, que teve a participação do Sindimoc, sindicato dos motoristas e cobradores de ônibus; do Setransp, sindicato das empresas de ônibus, da Comec, que gerencia os ônibus da região metropolitana; e da URBS, que gerencia os transportes na capital paranaense, foi apresentada a proposta de 6% de reajuste salarial.

Inicialmente a categoria queria 15% de aumento, mas depois reduziu para 10%. Já os  empresários, começaram com 3,81%, o que corresponde a 70% apenas da inflação acumulada nos últimos doze meses contados do reajuste de 2016, e depois de 5,43%, o total do INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor.

A proposta de 6% não foi aceita pela categoria de trabalhadores, nem a oferta de reajuste de R$ 30 no vale-alimentação. Os trabalhadores queriam aumento de R$ 75.

A desembargadora Marlene T. Fuverki Suguimatsu, vice-presidente do TRT do Paraná, diante do impasse declarou o fim da negociação e encaminhou o caso para dissídio coletivo.

A multa de R$ 100 mil por hora ao Sindimoc e ao Setransp pelo não cumprimento de frota mínima.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

3 comentários em Continua a greve de ônibus em Curitiba e região. Frota mínima deve aumentar para 80%

  1. Vergonha em cima de vergonha que política e essa que permite uma coisa dessa não tem reajuste pra ninguém….
    Tem muitas pessoas que nem vale alimentação tem é vai trabalhar numa boa erguendo tijolos baldes de massa tira trabalho braçal e vai trabalhar tranquilo pq é aquilo que sustenta em casa…. Agora esses motorista aí 20 à 10 anos de carreira ficam de brincadeira não quer trabalhar manda embora aí vai dá valor até no 10 reais de alimentação por dia agora as empresas não querem manda embora para não pagar os direitos…. Aí fica nesse vai e vem….

  2. Façam catraca livre ai dói no bolso srs feldais do trasporte público

  3. Porque não querem fazer acordo? Que raiva , motoristas e cobradores trabalham pra ter seu sustento em casa. Sem contar que correm risco de vida nos tubos , carros e terminais. Porque não acabam com isso de uma vez. Dêem o aumento esperado pelos trabalhadores e acabem con essa greve. Que enrolação é essa?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: