Ônibus em Curitiba vão parar por 24 horas no dia 15 de março

Decisão é do Sindicato dos Motoristas e Cobradores em apoio ao movimento que contesta a reforma da Previdência. Metrô de São Paulo também pode parar

ADAMO BAZANI

O Sindimoc – Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana decidiu em assembleia na madrugada desta quinta-feira, 9 de março de 2017, que vai parar os transportes na capital e região metropolitana no dia 15 de março por 24 horas.

A entidade sindical aderiu ao movimento chamado “Todos contra o Fim da Aposentadoria” , que reclama das propostas de reforma da Previdência apresentadas pelo Governo Federal.

Desde esta quarta-feira, foram realizadas assembleias nas garagens das empresas Redentor, Expresso Azul Filial, Araucária Filial, CCD, Sorriso, São José dos Pinhais Matriz, Viação do Sul, Santo Antônio, Glória e, hoje, NA São José Filial, as maiores do sistema, que reúnem em torno de 8 mil motoristas e cobradores. Caravanas também devem se dirigir à Brasília.

A  Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., responsável pelo gerenciamento do sistema municipal, vai pedir circulação mínima de 50% da frota em horários de pico e 30% nos demais horários.

Em torno de 1,5 milhão de passageiros devem ser atingidos.

O sindicato que representa as empresas de ônibus, Setransp, diz que as companhias vão acompanhar o movimento e recorrer de eventuais multas aplicadas pela Urbs.

O movimento não tem relação com indicativo de greve aprovado nesta quarta-feira após não haver acordo com o sindicato das empresas de ônibus sobre o reajuste salarial da categoria. As viações apresentaram nova proposta de reajuste de 5,43% com base no INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, entre 1º de fevereiro de 2016 e 31 de janeiro de 2017, mas os funcionários pedem 15% de aumento.

METRÔ DE SÃO PAULO:

Por causa desse protesto contra a reforma da Previdência, quem também corre o risco de ficar sem transporte coletivo, são os 4,5 milhões de passageiros do Metrô de São Paulo. Em assembleia nesta semana, a categoria mostrou indicativo de que deve participar do movimento.

A decisão, entretanto, vai ser tomada em outra assembleia, a ser realizada no dia 14 de março.

O sistema de Metrô de São Paulo tem cinco linhas que transportam em torno de 4,5 milhões de pessoas por dia. A malha é de cerca de 70 quilômetros. São quatro linhas sob administração e operação pública do Governo do Estado (Linha 1-Azul, Linha 2-Verde, Linha 3-Vermelha, Linha 5-Lilás) e a linha 4-Amarela é privada. Também faz parte da rede a Linha 15-Prata, que é de monotrilho e opera entre duas estações com 2,3 quilômetros. A exemplo das composições da linha 4, não há operadores (maquinistas) no monotrilho.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Ônibus em Curitiba vão parar por 24 horas no dia 15 de março

  1. Boa tarde vai ate que dia esta greve alguém pode me enforma por favor

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: