Passageiros já pagam o valor antigo das integrações

Durante a madrugada equipes atuaram nos leitores e catracas de ônibus terminais e estações

ADAMO BAZANI

O passageiro que depende de transporte público, principalmente os que utilizam a integração entre os sistemas de ônibus da SPTrans e de trilhos da CPTM e do Metrô, já estão pagando o valor antigo de R$ 5,92 pela integração entre os diferentes modais.

Na tarde de ontem, o Tribunal de Justiça de São Paulo negou recurso do estado e manteve a suspensão decretada na sexta-feira, que anulou o aumento para R$ 6,80.

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Paulo Dimas Mascaretti, informou em sua decisão que as planilhas apresentadas no Diário Oficial de 31 de dezembro de 2016, eram simples e não traziam detalhes importantes para justificar o aumento.

Na primeira decisão, o juiz Paulo Filho considerou que o aumento da integração para manter a tarifa básica, congelada em R$ 3,80, poderia trazer problemas principalmente para quem mora mais longe e tende a ter uma renda menor.

Também foram suspensos os aumentos das modalidades integradas temporais do Bilhete Único.

Ainda respeitando a decisão, a partir do dia 13 de janeiro, sexta-feira, os ônibus intermunicipais gerenciados pela EMTU, que operam na área 5, correspondente ao ABC Paulista, com exceção do Corredor ABD, que teve licitação diferente, as regiões metropolitanas de e Sorocaba e do Vale do Paraíba/ Litoral Norte, voltarão a ter as tarifas praticadas até 7 de janeiro de 2017.

É que ação popular movida pela bancada do PT na Assembleia contra o reajuste contesta os valores divulgados no Diário Oficial de 31.12.16 e essas regiões foram incluídas.

As demais regiões da EMTU, 1, 2, 3, 4 e o Corredor ABD da Região Metropolitana de São Paulo, regiões metropolitanas de Campinas, Baixada Santista não estão incluídas na determinação judicial e terão os reajustes mantidos.

stm-1

stm-2

stm-3

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes