HISTÓRIA: O ônibus escolar brasileiro com cara de norte-americano

ônibus Na cor amarela e com itens de segurança e sinalização, Ford B 12000 Thamco Aquarius foi fundamental para o desenvolvimento dos transportes escolares no Brasil, apesar de poucas vendas.

Projeto foi encomendado no início dos anos de 1990 pelo antigo MEC- Ministério da Educação e Cultura. Havia versão para transporte rural

ADAMO BAZANI

Principalmente após o Programa Caminho da Escola, criado em 2007, os transportes escolares registraram uma evolução tanto em relação ao atendimento como no desenvolvimento dos veículos para atender estudantes nas áreas mais afastadas e de difícil acesso.

O Brasil é um país de dimensões continentais e com realidades econômicas, sociais, climáticas e geográficas diferentes em seu vasto território.

O mesmo ônibus que atende os estudantes em áreas mais urbanizadas nem sempre consegue fazer esse transporte com segurança nas regiões com menor em infraestrutura.

Porém, antes mesmo do Caminho da Escola, os Brasil já procurava oferecer um transporte escolar mais adequado.

E uma das páginas dessa história é de 1992, quando por sugestão do Ministério da Educação e Cultura, em parceria com a encarroçadora de ônibus Thamco, a Ford desenvolveu um veículo especial cuja aparência era muito semelhante aos famosos ônibus escolares amarelos norte-americanos. A Caio também teve uma versão escolar com frente parecida de caminhão também da Ford e outro da Mercedes-Benz (Ver mais Abaixo)

A cor amarela, de acordo com os especialistas na ocasião, adotada hoje pelos veículos comprados pelo Caminho da Escola e outros programas e há muito tempo pelos ônibus escolares norte-americanos, do Canadá e de parte da América Latina, não é à toa. Serve para chamar atenção. E foi justamente a cor escolhida para este novo veículo.

O modelo da carroceria era Aquarius, seguindo padrão semelhante aos nomes dos veículos da Thamco.

onibus

Ônibus tinha robustez para enfrentar áreas difíceis

Alguns elementos foram incorporados do modelo Scorpion, um dos ônibus urbanos mais vendidos da encarroçadora paulista fundada em 1985 pelo empresário Antônio Thamer Butros.

O ônibus escolar Thamco Aquarius era montado sobre plataforma F12000, membro da família F de caminhões da Ford, que foi lançada em junho de 1992. Com as adaptações para transporte de passageiros, a Ford chamou o chassi de Ford B 12000

A capacidade era para 50 passageiros.

rev-1

thamco-aquarius-1

thamco-aquarius-3

thamco-aquarius-2

rev-6

Entre os diferenciais, o modelo tinha porta de emergência traseira (também inspiração norte-americana), luzes de sinalização especiais, inclusive na parte superior dianteira e traseira e nas laterais, pega mãos acolchoados e brake lights.

“BOIAS FRIAS”:

onibus
A versão para transporte rural contava com longarina reforçada, tanque de água para os trabalhadores, espaço para ferramentas e até maca para acidentes na lavoura.

Pouco tempo depois, também em parceria com a Thamco, a Ford lançou no mês de novembro de 1992, o ônibus Ford B 12000. Era uma versão rural, que se propunha aliar conforto e segurança para os trabalhadores rurais.

Assim como a versão escolar, o ônibus tinha robustez para enfrentar ruas de terra, estradas mal conservadas e até mesmo cruzar pequenas corredeiras de água.

O protótipo foi projetado sob encomenda da Aracruz Industrial, uma empresa de reflorestamento sediada em Vitória, no Espírito Santo.

A capacidade era para 44 pessoas.

Carroceria era uma espécie de adaptação do Scorpion, modelo urbano de sucesso da Thamco
Carroceria era uma espécie de adaptação do Scorpion, modelo urbano de sucesso da Thamco

Espaço para guardar de ferramentas e aumentar a segurança, não deixando as ferramentas cortantes junto aos passageiros –  o que poderia ser fatal mesmo em colisões leves –, bagageiros com seis portas (três de cada lado da carroceria) e um tanque d´agua eram alguns dos itens que chamavam a atenção.

Mas as diferenças em relação ao modelo escolar não paravam por aí. O entre-eixo foi alongado dos 5,4 m da versão escolar para 6,6 m do rural. A longarina também recebeu reforço.

O Thamco Aquarius Rural também vinha de fábrica com uma maca dobrável para atender quem eventualmente se acidentasse na lavoura.

rev-4

Mas ainda não havia uma cultura e incentivos de fato para aperfeiçoar o transporte escolar e o transporte rural.

CAIO MOBILE E CAIO TAGUÁ:

Nesta mesma época, a encarroçadora Caio também teve ônibus estilo escolar diferenciado, mas destinados ao transporte urbano.

Na verdade eram dois modelos que foram apresentados oficialmente ao mercado em setembro de 1994.

Eram o Caio Mobile, sobre chassi Ford B 12000, e Caio Taguá sobre plataforma Mercedes-Benz 1214.

As propostas dos veículos eram as mesmas: oferecer um transporte mais adequado a estudantes.

O Caio Mobile tinha porta dos dois lados, auxiliando o embarque e o desembarque em pátios escolares mais apertados

caio-mobile-1

caio-mobile

tagua

Tanto o Taguá como o Mobile tinham como base o micro Caio Carolina e o urbano Vitória.

Todos estes veículos, tanto da Caio como da Thamco, não tiveram grandes vendas no mercado, mas certamente foram decisivos na história da evolução dos transportes especiais voltados para o campo e para os estudantes nas áreas mais carentes de infraestrutura.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes