Greve de ônibus da EAOSA e Ribeirão Pires pela quinta vez seguida neste ano

Micro-ônibus da EAOSA. Serviços são precários

Novamente, o empresário Baltazar José de Sousa atrasou pagamentos de salários e benefícios.

ADAMO BAZANI

Pelo quinta mês consecutivo neste ano, os cerca de 25 mil passageiros que dependem diariamente dos ônibus da EAOSA – Empresa Auto Ônibus Santo André e Viação Ribeirão Pires não podem contar com serviços e transportes. Ao todo já foram sete paralisações.

O empresário Baltazar José de Sousa, dono destas companhias, atrasou novamente o pagamento dos salários e benefícios trabalhistas.

Os funcionários cruzaram os braços nesta sexta-feira, 11 de novembro, e no sábado a paralisação continuava.

A EMTU divulgou em seu site que deve altuar as viações “por cada partida não realizada”.

Os passageiros têm como alternativa a linha 10-Turquesa da CPTM.

As linhas da empresa Rigras ou então, em Mauá, seguir com ônibus municipal até a região central para depois continuar a viagem de trem, são algumas das opções.

No entanto para se deslocar desta maneira, o passageiro pode desembolsar um valor maior. Isso porque não a integração física e tarifária entre ônibus municipais e a CPTM no ABC Paulista.

O desconto tarifário entre os ônibus da Suzantur em Mauá e os trens da CPTM acabou na gestão Donisete Braga, atual prefeito e candidato derrotado à reeleição.

Novamente, o empresário alega que a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, gerenciadora de serviços, não realizou os repasses referentes às gratuidades.

A EMTU nega e diz que os repasses estão em dia.

Baltazar José de Sousa tem uma dívida com a Receita Federal de R$ 1 bilhão, de acordo com Ministério Público Federal, valor que é contestado pela defesa.

Baltazar responde a mais de 200 processos, entre os quais trabalhistas e tributários.

As empresas de Baltazar operam a Área 5 da EMTU, que nunca foi licitada por pressão dos próprios empresários de ônibus.

No início do ano que vem, o edital envolvendo toda a Grande São Paulo, inclusive o ABC Paulista, deve ser lançado pela EMTU.

Por estar com situação tributária irregular, o empresário que já fez parte do Grupo dos Mineiros não poderá participar.

O Grupo dos Mineiros, formado nos anos de 1980 de maneira informal, tinha como membros Constantino de Oliveira, fundador da Gol Linhas Aéreas e dono do Grupo Comporte, Mário Elísio Jacinto, Renato Fernandes Soares, Baltazar José de Sousa e Ronan Maria Pinto.

Adamo Bazani, jornalista especializada em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Marcelo disse:

    Mas uma vez a população do ABC prejudicada por essas empresas e ninguém faz absolutamente nada a respeito, isso é uma vergonha sem tamanho. Não critico os trabalhadores dessas empresas não, pois devem fazer greve mesmo, pois trabalham o mês todo e eles tem o direito de receber!

    Tenho a impressão que essas empresas prestam serviços gratuitos à população, pois o nível de comprometimento é nulo. Ônibus sucateados, falta de manutenção, não cumprimento de horários, etc…
    Acredito que o valor de R$ 5,05 que se paga entre, por exemplo Mauá-Vila Mercedes x São Caetano do Sul é absolutamente cara devido às condições de transporte impostas por essas empresas!

    Ter uma controladora como a EMTU é como deixar o ouro sem ninguém pra tomar conta, pois com ela ou sem ela dá na mesma.
    Do jeito que tá, ao invés de fazer licitação a EMTU deveria se retirar do ABC e deixar como era na década de 90, pois de lá pra cá só insucesso!

    Sem contar as linhas perdidas pelo ABC ditas deficitárias. Que não devem ser não. Pois que vai usar um ônibus caro, que nunca passa, ou sempre quebra, e não tem horário, que furam pontos de ônibus só porque tem um outro que o usuário pode pegar o dito “de trás”, ônibus fedidos, bancos desconfortáveis e sem contar a imundice???

    É o caos!!

    1. William de Jesus disse:

      Boa noite!

      Amigo Marcelo, voltar como era na decada de 90 é assinar um atestado de qie nao quer mudar a situacao! Se é ruim com a EMTU, imagine sem ela. Ai que o véio Baltazar nao sairá nunca mesmo

      1. Marcelo Moraes disse:

        William concordo plenamente com suas palavras. Mas quis dizer no sentido de que naquela época pelo menos os onibus eram bem melhorzinhos do que hoje. Por isso eu disse que sem ela ou com ela dá na mesma. Olha tenho saudades daqueles busões Scania que eles tinham!! rsrs

        Abraço!

  2. William de Jesus disse:

    Boa tarde!

    Olha, sinceramente nao sei mais o que a EMTU está esperando pra descredenciar de vez as empresas deste senhor. Por muito menos Cooperauhton e a Happy Play foram descredenciadas em São Paulo e, agora, a EMTU passa novamente a mão na cabeça de um empresário que não tem a mínima preocupação com a população.

    Enquanto a justiça de Manaus o protege ao invés de puni-lo, os usuarios são obrigados a pagar caro por uma passagem que nao compensa: onibus mal conservados, sujos e inseguros.

    Ja que tá um balaio de gato, por que nao contratam a Suzantur emergencialmente? Ela pode ter seus defeitos, mas em questão de frota é bem melhor, basta fiscalizar e administrar. Não dá pra ser a Suzantur, entao vão atrás de outras. O que nao pode é deixar isso ocorrer 5 vezes seguidas e nao tomarem providência

  3. Rafael disse:

    Eu quero ver um dia que a emtu vai acordar para tirar a empresas do Baltazar por que agora virou moda todo mês os funcionários tem para por falta de pagamento.

  4. edmison disse:

    Emtu de rio grande da serra / paranapiacaba não temos ônibus e nem trens da cptm como fica nossa situação isso que a cidade turística por favor venhao aqui filmar nosso sofrimento com os transportes assim a emtu e a cptm possa no ajudar

  5. Adriano disse:

    Colocar a suzantur não,já chega o que os petralhas Donizete e Paulo Eugênio fizeram em Mauá,se for a Leblon sim,essa foi a melhor empresa que já teve em Mauá, com ônibus novos e os ônibus passavam no horário certo, Jay a suzantur faz o que quer.

    1. William de Jesus disse:

      Boa tarde!

      Amigo Adriano, dificilmente a Leblon voltará a operar em SP, depois da sacanagem que o Donizete Braga fez! Infelizmente a realidade é essa! As empresas fazem o que querem porque as prefeituras permitem. Quem dera a Leblon em SP capital pudesse vir operar. Seu sonho é o mesmo que o meu

  6. orlando silva disse:

    Baltazar , ja passou da hora da prisão desse fascinora, alguem tem de meter ele no MP, pois o INSS é ele o campeão de falta de contribuição….A esta hora está rindo dos “trouxas”, coitados que precisam do transporte para trabalhar..A não ser que a EMTU tenha rabo preso com ele….isso se chama Máfia….Máfia….(Onde já se viu,colocar selo de qualidade em parabrisa de onibus caindo aos pedaços, hein?)..
    Ministério público, alguém tem de denunciar…..

Deixe uma resposta