Faixas de ônibus reduziram em 5% a poluição e aumentaram em 11% a velocidade do transporte público em São Paulo

Publicado em: 4 de outubro de 2016

Ônibus com prioridade é mais rápido, fica mais confortável e polui menos

É o que diz novo estudo do Iema -Instituto de Energia e Meio Ambiente

ADAMO BAZANI

As faixas de ônibus implantadas na cidade de São Paulo aumentaram a velocidade dos ônibus e também contribuíram para a redução da poluição.

É o que aponta um estudo realizado pelo Iema – Instituto de Energia e Meio Ambiente, que reúne técnicos e acadêmicos.

De acordo com o levantamento, na comparação entre 2012, quando havia cerca de 90 quilômetros de faixas de ônibus em São Paulo, e 2014, quando o total já era de 300 quilômetros, a velocidade dos ônibus em São Paulo subiu 11% (em média) e a poluição nos locais onde foram implantadas as faixas caiu 5%.

Em 2012, no horário de pico da manhã a velocidade média dos ônibus era de 13,2 km/h. Em 2014, subiu para 15 km/h –  aumento de 13,8%.

Já no pico da tarde em 2012, a velocidade dos ônibus antes da ampliação das faixas era de 12,8 km/h, passando para 14,1 km/h – aumento de 10,1%.

O estudo também destaca que em 86% das faixas de ônibus implantadas, a velocidade média aumentou em 18%.

Ônibus circulando com maior velocidade e com menos interferências nas vias significa também menos poluição, como mostra o estudo.

Foram registradas as emissões menores das seguintes ordens: Redução de 5% dos Gases Efeito Estufa – GEE (que contribuem para o aquecimento global), 6% das emissões de Material Particulado – MP e 7% das emissões de Óxidos de Nitrogênio – NOx, relacionados ao câncer e doenças respiratórias.

Os números poderiam ser melhores ainda se as faixas realmente fossem exclusivas para ônibus. Hoje táxis são permitidos.

Haveria ainda mais ganhos se a malha de corredores, estruturas mais adequadas para os ônibus, com maior separação do trânsito comum, fosse maior

Atualmente, São Paulo possui 516,9 quilômetros de faixas para ônibus, dos quais 426,9 quilômetros implantados na gestão Haddad.

O número é ainda pequeno em relação às necessidades de mobilidade e ao tamanho do sistema viário.

São Paulo tem 17 mil quilômetros de vias, dos quais circulam ônibus em apenas 4 mil 332 quilômetros. As faixas somam 516,9 quilômetros, que representam somente 11,9% das vias com ônibus e apenas 3% de todas as vias da cidade.

Há somente pouco mais de 130 quilômetros de corredores de ônibus à esquerda, sendo que apenas o Expresso Tiradentes é um BRT, com total segregação do trânsito e mais acessibilidade.

No levantamento, os técnicos do Iema consideraram 256 quilômetros de faixas que tinham pelo menos um quilômetro de comprimento. Eles utilizaram os dados gerados pelos GPS instalados em toda a frota dos ônibus municipais em São Paulo e calcularam a velocidade operacional entre os dois extremos das linhas. Assim foi considerado o tempo de viagem total, incluindo as paradas nos pontos, nos semáforos e interferências, mesmo nessas faixas. Também foram levadas em conta informações como tipo do ônibus (biarticulado, superarticulado, articulado, convencional, midi ou micro) e se o motor já segue ou não as especificações Euro V de redução de poluição ou, as mais antigas, Euro 3.

Este novo estudo reforça oos dados do Iema de 2013, divulgados pelo Diário do Transporte, que também apontaram para a redução da poluição por causa das faixas: Relembre em: https://diariodotransporte.com.br/2016/02/27/especial-cidade-de-sao-paulo-atinge-500-quilometros-de-faixas-para-onibus-nesta-segunda-feira/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Conteúdo de excelente qualidade, precisamos de mais investimento e novas ideias para poder proteger de forma melhor o meio ambiente!

Deixe uma resposta