Liberadas novas tecnologias para ônibus em São Paulo

Publicado em: 21 de setembro de 2016

Ônibus em faixa exclusiva em São Paulo. Capital ocupa apenas o 3º lugar no ranking de prioridade ao transporte coletivo sobre pneus, segundo pesquisa IDEC

Veículos terão novos sistemas de Wi-Fi, monitoramento por GPS e até botão
de pânico para os motoristas. Aprovação foi dada por órgãos certificadores,
restando autorização da SPTrans para viações comprarem os novos
equipamentos. Primeira empresa de tecnologia já foi homologada

ADAMO BAZANI

Os ônibus municipais da capital paulista poderão ter em breve novos
sistemas de tecnologia embarcada de acordo com o que propõe a secretaria de
transportes na nova licitação do sistema, que ainda deve ser relançada.

A compra dos equipamentos, porém, pode ser feita antes do certame, que foi
liberado pelo TCM – Tribunal de Contas do Município em julho e deve ser
retomado após as eleições.

Nos próximos dias, a SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora do
sistema de ônibus da capital paulista, já deve dar o aval para as viações
interessadas em comprar os equipamentos.

São novas soluções de Wi-Fi, GPS, antenas de transmissão de dados, telas
que ficam no  painel do motorista pelas quais é possível o condutor se
comunicar com a garagem ou CCO – Centro de Controle Operacional, câmeras de videomonitoramento on line e até botão de emergência.

A primeira empresa a oferecer os equipamentos de tecnologia e a integração
já foi homologada.

Trata-se da EtraBras, filial brasileira da empresa espanhola  ETRA.

A certificação foi dada pela TUV Rheinland, órgão creditado pela SPTrans.

“Com certeza é um avanço para o sistema de transportes. As empresas que já
possuem alguns dos equipamentos exigidos, dependendo da tecnologia, não
precisarão trocá-los, exemplo dos painéis embarcados e sistema de áudio.  Podemos fazer a integração com novos sistemas e com os outros equipamentos que serão exigidos” – disse ao Diário do Transporte, o gerente de Novos Negócios da EtraBras, Flavio Beraldi.

Botão de Pânico pode ser conectado à polícia

Botão de Pânico pode ser conectado à polícia

A maior parte dos equipamentos que serão exigidos pela nova licitação deve
ser conectada remotamente ao CCO – Centro de Controle Operacional previsto
pelo poder público.

Um dos exemplos é o botão de emergência ou botão de pânico.

A tecnologia permite habilitar o sistema de comunicação em modo de escuta
com o CCO ou mesmo com a polícia.

Outras empresas de tecnologia também poderão tentar certificação.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Poxa finalmente, tomara que recoloquem os Wifi nos ônibus logo.

Deixe uma resposta