Dívida da prefeitura de São Paulo com empresas de ônibus chega a R$ 193 milhões

Publicado em: 16 de setembro de 2016
ônibus São Paulo

Ônibus do subsistema estrutural para o qual os débitos da prefeitura são maiores

 

Valor é de repasses referentes gratuidades e complementações. SPTrans diz que não há atrasos

ADAMO BAZANI

As dívidas da Prefeitura de São Paulo pela operação dos transportes por ônibus municipais na capital paulista chegaram nesta sexta-feira, 16 de setembro de 2016, a R$ 193 milhões.

O valor é referente aos repasses que deveriam ter sido feitos às empresas de ônibus que operam o subsistema estrutural (viações com ônibus e linhas maiores) e local (as empresas que tiveram origem nas cooperativas).

Nesta sexta-feira, a SPTrans -São Paulo Transporte / SMT – Secretaria Municipal de Transportes, gerenciadora do sistema, realizou o pagamento de R$ 5 milhões, referentes ao saldo da dívida gerada pela operação do dia 27 de agosto e também a 70% do dia 28 de agosto.

Com isso, só em relação ao sistema estrutural, para o qual os débitos são maiores, a prefeitura ainda tem de pagar R$ 128,8 milhões, valor referente ao restante do dia 28 de agosto e o período de 29 de agosto a 07 de setembro.

A maior parte desses valores se refere a gratuidades; diferenças pelas integrações nas quais os passageiros pagam uma passagem, mas realizam mais de uma viagem; e, também, ao congelamento da tarifa nos bilhetes únicos temporais cuja passagem não teve aumento.

Por dia, as empresas, tanto do sistema local como do estrutural, devem receber, em média, R$ 22 milhões. Mas há variações entre os dias, com diferenças entre dia útil, sábado, feriados e fins de semana.

No final do mês passado, motoristas e cobradores de ônibus ameaçaram cruzar os braços diante da possibilidade de as empresas atrasarem na época, o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados, de R$ 1300 para cada trabalhador, valor acertado em convenção.

Após negociações com o Sindmotoristas, sindicato que representa os trabalhadores, as empresas realizaram o pagamento da PLR, eliminando a possibilidade de greve.

NÃO HÁ ATRASOS, DIZ SPTRANS

Em nota, a São Paulo Transporte diz que a conta do sistema vai fechar no final do ano, como ocorreu em anos anteriores e que não há atrasos. Também citou que algumas empresas têm dificuldades em receber de outras cidades onde também operam, mas que cobram a capital paulista mais rapidamente

Os pagamentos estão sendo feitos dentro do cronograma estabelecido, a Prefeitura está cumprindo com seus compromissos. Esse quadro apontado pela reportagem é sazonal. Assim como em anos anteriores, as contas fecham normalmente ao final do exercício.

 Deve-se considerar situações em que, eventualmente, as empresas têm problemas efetivos de recebimentos de município próximos, onde também prestam serviços, e passam a cobrar recursos da Capital o mais rápido possível.

 Reiteramos que não se trata de atraso. Em linhas gerais, haveria postergação se o prazo ultrapasse 30 dias, o que não ocorre.

Tanto as companhias do sistema local, como do sistema estrutural, dizem enfrentar dificuldades por causa dos atrasos nos repasses do poder público.

O Diário do Transporte apurou, com base no fluxo de caixa do sistema, que desde 2015, os atrasos têm sido recorrentes, mas que aumentaram de valor gradativamente.

PASSAGEM CARA QUE NÃO DÁ CONTA:

A situação financeira do sistema de São Paulo mostra uma realidade sobre a mobilidade urbana no país. As tarifas são altas para os passageiros, mas não são suficientes para bancar a operação nas cidades.

Entre as soluções apontadas por especialistas estão a criação de fundos para bancar gratuidades, mais critérios para a concessão de novas isenções tarifárias para determinadas classes de passageiros e reestruturação dos sistemas, deixando os serviços mais eficientes, com a criação de novas malhas de ônibus que evitem sobreposições de linhas.

A prioridade ao transporte coletivo por ônibus no espaço urbano, com a expansão de faixas e corredores, também auxilia a redução dos custos de operação e, consequentemente, para os passageiros e as necessidades de complemetações.

Neste ano, somente na capital paulista, os subsídios ao sistema devem chegar a R$ 2 bilhões. O sistema de São Paulo custa hoje em torno de R$ 8 bilhões por ano.

Um dos objetivos da licitação dos transportes na capital é reduzir os custos de operação, aumentando a eficiência.

O certame, que chegou a ficar bloqueado pelo TCM – Tribunal de Contas do Município por nove meses, foi liberado em julho deste ano, mas o prefeito Fernando Haddad disse que o processo só deve ser retomado após as eleições.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa tarde.

    Falando-$e em valore$, é oportuno analisar os dados que eu obtive no dia 06.09.16, das 8:24 as 8:54 hs, pela janela de um prédio; referente aos buzões que trafegaram na faixa do buzão da Avenida 23 de Maio, no sentido centro bairro, próximo do viaduto

    06.09.2016 – AVENIDA 23 DE MAIO – SENTIDO CENTRO BAIRRO – PRÓXIMO VIADUTO – Das 8:24 as 8:54 hs.
    HORA TIPO COR CARRO BOTA
    8:24 Articulado Azul —
    8:25 Articulado Vinho SIM
    8:25 Articulado Vinho SIM
    8:27 Cabritinho Branco —
    8:27 Van – CET/DSV — —
    8:28 Articulado Azul SIM
    8:28 Articulado Azul SIM
    8:28 Milenium Azul —
    8:28 EMTU – AIRPORT SERVICE — —
    8:30 Articulado Azul —
    8:30 Milenium Azul —
    8:31 Articulado Azul SIM
    8:31 Articulado Vinho SIM
    8:31 Milenium Verde —
    8:31 Rodoviário — —
    8:31 Articulado Azul —
    8:32 Viatura CET/DSV — —
    8:32 Linguição Vinho —
    8:34 Rodoviário — —
    8:35 Articulado Azul —
    06.09.2016 – AVENIDA 23 DE MAIO – SENTIDO CENTRO BAIRRO – PRÓXIMO VIADUTO – Das 8:24 as 8:54 hs.
    HORA TIPO COR CARRO BOTA
    8:36 Articulado Trucadinho Prata/Preto —
    8:36 Articulado Vinho SIM
    8:36 Articulado Trucadinho Azul SIM
    8:36 Milenium Azul SIM
    8:37 Articulado Trucadinho Vinho SIM
    8:37 Articulado Vinho SIM
    8:38 Articulado Azul SIM
    8:38 Articulado Trucadinho Vinho SIM
    8:40 Articulado Azul —
    8:40 Van Atende — —
    8:40 Articulado Azul —
    8:41 Milenium Azul SIM
    8:41 Cabritinho Azul SIM
    8:41 EMTU Cinza —
    8:42 Milenium Azul SIM
    8:42 Articulado Trucadinho Prata/Preto SIM
    8:42 Cabritinho Azul SIM
    8:43 Articulado Trucadinho Azul —
    8:44 EMTU Cinza —
    8:44 Articulado Azul —
    8:46 Articulado Trucadinho Azul Escuro —
    8:46 Articulado Azul SIM
    8:46 Articulado Trucadinho Prata/Preto SIM
    8:46 Cabritinho Azul SIM
    06.09.2016 – AVENIDA 23 DE MAIO – SENTIDO CENTRO BAIRRO – PRÓXIMO VIADUTO – Das 8:24 as 8:54 hs.
    HORA TIPO COR CARRO BOTA
    8:46 Rodoviário — —
    8:48 Milenium Verde Escuro —
    8:49 Cabritinho Azul —
    8:50 Linguição Vinho —
    8:51 Articulado Vinho —
    8:52 Articulado Trucadinho Vinho SIM
    8:52 Milenium Vinho SIM
    8:52 Milenium Azul —
    8:53 Milenium Verde Escuro —
    8:54 Linguição Vinho —

    Deixo para discussão algumas questões:

    a) Esse volume está correto ?
    b) Esse volume está em excesso ?
    c) Esse volume está a menor ?
    d) A quantidade de “carro bota” não é um erro ?
    e) O GPS não consegue eliminar ou controlar o “carro bota” ?
    f) Qual o custo desse fluxo de buzão na faixa da 23 ?

    Att,
    Paulo Gil

  2. Paulo Gil disse:

    Complementando, o nome do viaduto:

    Viaduto Beneficiência Portuguesa.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Uma correção importante:

    O sentido foi “BAIRRO – CENTRO”

    Desculpem.

    Att,

    Paulo Gil

  4. Flávio disse:

    Às empresas podem sobreviver sem subsídios! Trabalho no sistema e recebo R$1.68 por passageiro e pago 2 funcionários.
    A prefeitura inverta esse bilhete é retém valores! Deixem o dinheiro circular. Cartão para idosos, pessoas com necessidades especiais esses sim a prefeitura tem que pagar a meia tarifa é um dever

  5. Roberto Dias disse:

    Ainda assim, tem gente em campanha para prefeitura, oferecendo mais gratuidade. A coisa está feia, mais tentam pintar de branco pra ficar menos feia. Enquanto isto, falta asfalto para recapear as vias esburacadas ou cheias de péssimos remendos, por onde trafegam os ônibus. Os ônibus trepidam e chacoalham mais que um barco velho em um mar revolto. Asfalto horrível é sinônimo de desconforto geral, tanto para os operadores, quanto para os usuários.

  6. Isso não e novidade, quer dar gratuidade pra todo mundo, da nisso.

  7. Paulo Gil disse:

    Flavio, bom dia.

    Se o passageiro paga R$ 3.80 e você recebe R$ 1,68/passageiro; pra quem vai os R$ 2,12/passageiro ???

    Para a PMSP/SMT ?

    E as empresas (embora agora todos são empresas) quanto recebem por passageiro transportado ?

    Bom, concluo que a tarifa correta é R$ 1,68; afinal a PMSP/SMT não devem receber nada, afinal os contribuintes já pagam um Zilhão de impostos.

    Adamo, sera legal se fizesse uma matéria sobre a REAL matemática do buzão.

    Pelo visto esta dando muito lucro e não é só para as empresas do buzão não.

    Os cidadãos precisam entender estas contas.

    Por isso que tem tanto Articuladinho Trucadinho batendo lata,de graça não é.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta