Passageiros de ônibus em São Paulo podem gerar informações sobre a cidade por meio de aplicativo

Ônibus em São Paulo. Passageiros podem ser geradores de informações sobre a cidade

Todas as informações são em tempo real, inclusive sobre eventos culturais

ADAMO BAZANI
Atualmente, as principais ferramentas de tecnologia não servem apenas para informar o público, mas se tornam oportunidades pelas quais o público também pode gerar informações.
E esta realidade tem chegado ao setor de transportes coletivos.
Um aplicativo destinado para passageiros da capital paulista permite que a população tenha acesso a dados como a previsão de chegada dos ônibus nos pontos, horários, trajetos e a localização dos veículos, mas também possibilita que o usuário informe em tempo real as condições de trânsito, imprevistos, atrasos, inundações, situação de conservação e limpeza do ônibus, além de dados gerais sobre a cidade, até mesmo eventos e dicas culturais.
O aplicativo chamado Coletivo é gratuito e funciona em celulares com o sistema Android.
A ferramenta foi criada pela empresa Scipopulis, que entre outros trabalhos, atuou na produção do caderno técnico “Big Data para análise de métricas de qualidade de transporte: metodologia e aplicação” com a SPTrans – São Paulo Transporte e ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos.
“Em São Paulo, mais de 6,5 milhões de pessoas usam transporte público diariamente, 65% das quais tem smartphone. Nosso foco está no usuário habitual de transporte público, de 16 a 45 anos, o que inclui estudantes secundaristas e universitários que utilizam o transporte público de manhã até a noite, trabalhadores que não possuem carro e profissionais liberais que possuem carro, mas usam o transporte público como opção. É um público majoritariamente feminino (60%) que complementa sua viagem a pé” – disse em nota, o diretor da empresa, Roberto Speicys.
A companhia diz que o aplicativo já registou mais de sete mil instalações, com aproximadamente mil usuários novos por mês.
Ainda de acordo com a empresa, o Coletivo tem o objetivo de “criar uma comunidade de passageiros engajados em melhorar o transporte público e em fornecer informações que ajudem as pessoas a se locomover. A colaboração é a funcionalidade mais importante e os mecanismos para que ela aconteça são simples e facilmente acessíveis. Há um potencial para criar uma comunidade que gere dados em grande quantidade e alta qualidade.”
O Android foi escolhido porque, de acordo com a desenvolvedora do aplicativo, é o “sistema operacional usado nos smartphones de mais de 85% dos passageiros de transporte público na cidade de São Paulo. Mas há planos de expansão para outras plataformas.”
Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes