Audiência pública vai dar início ao processo de licitação dos ônibus metropolitanos de São Paulo pela EMTU

Publicado em: 1 de setembro de 2016
onibus

Ônibus no ABC Paulista. Licitação pode remodelar prestação de serviços

Ainda não foi descartada a possibilidade de eliminação da área do ABC Paulista com a incorporação por outras regiões

ADAMO BAZANI

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos dá início ao processo de licitação dos transportes metropolitanos por ônibus na Grande São Paulo, no próximo dia 19 deste mês, quando realiza uma audiência pública para discutir o edital que deve definir como serão os serviços nas 39 cidades.

A licitação envolve uma demanda de dois milhões de passageiros por dia, que usam os seis mil ônibus das 45 empresas filiadas ao CMT – Consórcio Metropolitano de Transportes, que hoje operam em torno de 600 linhas.

A última licitação realizada para a Grande São Paulo foi em 2006, quando o sistema foi dividido em cinco áreas operacionais. No entanto, apenas quatro delas foram efetivamente licitadas. A área 5, correspondente ao ABC Paulista, ainda opera por meio de contratos precários.

Desde então, a EMTU tentou sem sucesso licitar seis vezes a região do ABC. Em uma delas, os  empresários barraram a licitação na Justiça e nas demais cinco vezes esvaziaram o certame.

Os empresários de ônibus alegam que as exigências das demais áreas não poderiam ser aplicadas para o ABC Paulista, que teria custos e realidades operacionais diferentes.

Por causa disso, a área 5 vive diferenças gritantes entre as operadoras.

Enquanto há empresas que até possuem certificados de qualidade, como Auto Viação ABC e a Rigras, por exemplo, outras companhias como as de Baltazar José de Sousa, a exemplo da EAOSA – Empresa Auto Ônibus Santo André, Viação Ribeirão Pires, Urbana, Imigrantes, Riacho Grande e São Camilo, possuem as piores classificações em qualidade de serviço pela EMTU,  veículos antigos, sem acessibilidade e que quebram constantemente.

De forma geral, as linhas no ABC Paulista também apresentam defasagens em relação à realidade dos passageiros. Muitas dessas linhas estão praticamente obsoletas, com trajetos muito longos e serpenteados, enquanto existem ligações que não têm oferta adequada de ônibus.

Diante das dificuldades de licitação dos ônibus metropolitanos no ABC, a EMTU estuda a possibilidade de extinguir a área 5 e anexar as linhas às outras áreas operacionais. A possibilidade, inclusive, foi discutida mais de uma vez em audiências do Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização – CDPED. Relembre aqui: https://diariodotransporte.com.br/2016/08/16/gestao-alckmin-volta-a-cogitar-extincao-da-area-5-e-quer-mais-onibus-com-motor-traseiro-nas-linhas-metropolitanas/

A licitação da EMTU não envolve o Corredor Metropolitano ABD, operado pela Metra entre São Mateus, na zona leste de São Paulo, ao Jabaquara, na zona sul, pelos municípios de Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema, além da extensão entre Diadema e Morumbi, na zona sul de São Paulo .

A concessão do Corredor é diferente e se refere a uma licitação cujo contrato foi  assinado em 24 de maio de 1997 e ainda está em vigor.

O aviso de audiência pública:

Aviso de Audiência Pública 001/2016 A Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos comunica aos usuários e agentes do setor de transportes, bem como aos demais interessados, que realizará Audiência Pública para apresentar o Projeto de Concessão para prestação e exploração dos serviços públicos de transporte coletivo intermunicipal de passageiros na REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO – RMSP, prestados pelo SISTEMA REGULAR (comum, seletivo e especial) de linhas de ônibus e pelos demais veículos de baixa e média capacidade, atuais e que vierem a ser implantados, incluindo os VEÍCULOS e as GARAGENS, bem como sua operação e manutenção. A Audiência Pública será aberta ao público em geral e será realizada no dia 19-09-2016, às 09h, no Instituto de Engenharia, localizado na Avenida Doutor Dante Pazzanese, 120, São Paulo/ SP, CEP 04012-180. 

AS ÁREAS (ATUAIS) DA EMTU NA GRANDE SÃO PAULO:

ÁREA 1: Cotia, Embu das Artes, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra,Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista – Operadoras:  Consórcio Intervias – Viação Miracatiba Ltda, Viação Pirajuçara Ltda, Viação Raposo Tavares

ÁREA 2: Barueri, Cajamar, Caieiras, Carapicuíba, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba – Operadoras: Consórcio Anhanguera – Auto Viação Urubupungá Ltda, Auto Ônibus Moratense Ltda, Benfica Transporte e Turismo Ltda, Del Rey Transporte Ltda, Empresa de Transporte e Turismo Carapicuíba Ltda, Ralip Transporte Rodoviários Ltda, Viação Cidade de Caieiras Ltda,  Viação Cidade de Caieiras Ltda – Franco da Rocha, Viação Osasco Ltda, Viação Osasco Ltda – Filial

ÁREA 3:  Arujá, Guarulhos, Mairiporã, Santa Isabel. Operadoras: Empresa de Transportes Mairiporã Ltda,  Empresa de Ônibus Guarulhos S/A,  Empresa de Ônibus Pássaro Marron Ltda,  Empresa de Ônibus Vila Galvão Ltda,  Guarulhos Transportes S/A, Terminal Metropolitano Taboão – Guarulhos, Transmetro – Transportes Metropolitanos S/A, Viação Arujá Ltda, Viação Atual Ltda, Viação Transdutra Ltda, Vipol Transportes Rodoviários Ltda.

ÁREA 4: Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba,Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Suzano. Operadoras: Consórcio Unileste – CS Brasil Transporte de Passageiros e Serviços Ambientais Ltda (Júlio Simões),  Radial Transporte Coletivo Ltda, Viação Jacareí

ÁREA 5: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires,  Rio Grande da Serra. Operadoras (não há consórcios): Auto Viação ABC Ltda, Auto Viação Triângulo Ltda,  Empresa Auto Ônibus Santo André Ltda, Empresa Expresso São Bernardo do Campo Ltda,  Empresa Urbana Santo André Ltda, Rigras – Transportes Coletivos e Turismo Ltda,  Trans-Bus Transportes Coletivos Ltda, Transportes Coletivos Parque das Nações Ltda,  Viação Imigrantes, Tucuruvi Transportes e Turismo Ltda,  VIPE – Viação Padre Eustáquio Ltda, Viação Riacho Grande Ltda,  Viação Ribeirão Pires Ltda,  Viação Santa Paula Ltda, Viação São Camilo Ltda,  Viação São José Transporte Ltda

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Léo disse:

    Será que a CS Brasil entraria na briga p/ operar a área 5?

  2. Everton Costa Goltara disse:

    Quanto a licitação das RTO, como fica? pois os permissionários também tem que serem licitados.

  3. Everton Costa Goltara disse:

    E os permissionários da RTO da EMTU-SP/Grande São Paulo que são o transporte alternativo metropolitano? Eles também deveriam ser liciados pois permissões a pessoas físicas como é o caso da RTO também deveriam ser licitadas como determina a lei.

  4. Friend disse:

    Basta a EMTU criar uma clausula em caso de uma empresa se recusar a participar da licitação, basta retirar do sistema e fazer a licitação com que estiver interessado. Uma empresa que poderia participar e seria muito bem vinda era a Leblon. Imagina ela entrando na região de Mauá e dando o troco no Baltazar e no Donizete.

  5. Leandro disse:

    Prezados, a realidade do transporte intermunicipal é muito diferente ao do sistema municipal, principalmente nas cidades atendidas pelos transportes sobre trilhos. Existe-se mesmo a necessidade de estudos profundos no setor.

Deixe uma resposta