Scania apresenta ônibus GNV ou a biometano com carroceria nacional

Publicado em: 24 de agosto de 2016

onibus

Ônibus pode reduzir em 85% as emissões de poluentes, diz fabricante

Chassis devem ser produzidos em escala no Brasil em 2017

ADAMO BAZANI

Finalmente a fabricante de ônibus Scania apresentou de forma oficial seu veículo GNV – Gás Natural Veicular, com carroceria nacional, que também pode ser movido com biometano, que é o gás obtido na decomposição do lixo.

Usado em larga na Europa e também em expansão em cidades de alguns países latinos, como Bogotá, Colômbia; Cidade do México, México; e Lima, Peru o veículo é fruto de testes que ocorreram no Brasil desde 2014. Na ocasião, o Blog Ponto de Ônibus acompanhou a apresentação dos primeiros resultados, com uma carroceria importada. Relembre em: https://diariodotransporte.com.br/2015/01/30/biometano-onius-scania-historia/

A apresentação da unidade ocorreu no Seminário Nacional de Mobilidade Urbana da NTU –  Associação Nacional de Transportes Urbanos, que ocorre em Brasília.

O modelo possui 15 metros de comprimento e capacidade para até 130 passageiros.

O modelo de a carroceria a escolhida é o Viale, da Marcopolo, com piso baixo para ampliar a acessibilidade.

De acordo com a Scania, é o primeiro ônibus da marca movido a biometano ou GNV registrado no Brasil. O anterior possuía um registro especial de testes para veículos importados.

Como já havia descrito a reportagem na época da apresentação dos testes no Rio Grande do Sul, em 2015, o ônibus tem um motor de ciclo otto, que é mais silencioso que os ônibus a diesel.

As emissões de poluentes podem ser até 85% menores que um veículo similar movido a óleo diesel.

Os testes compreenderam circuitos em rodovias e perímetros urbanos, inclusive na Capital Paulista.

De acordo com a Scania, com base em análise da Netz Engenharia Automotiva, com cilindros abastecidos com 300 metros cúbicos de gás (carga total), o ônibus pode ter autonomia de 700 quilômetros nas estradas e 350 quilômetros nas cidades.

Ainda segundo os testes, o custo por quilômetro rodado ficou em R$ 0,89, enquanto um ônibus a diesel tem custo de R$ 1,24 por quilômetro.

O motor é de 280 cavalos de potência e o veículo possui um sensor lambda que calcula a  quantidade de combustível necessária para ser injetada no sistema, o que, segundo a Scania, evitara o mau desempenho que entre os anos de 1980 e 1990 acabou maculando a imagem dos ônibus a gás natural no Brasil.

 Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Já devia ter uns 10 rodando em Sampa.

    Mais 10 batendo lata, não trará mais prejuízo.

    Vamos ver logo se esse sobe os ladeirões tuchadão.

    Acorda Sampa.

    Att,

    Paulo Gil

  2. E SP zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

  3. André disse:

    Ônibus com motor trazeiro equipado com câmbio automático ZF Ecolife de seis velocidades encara bem as subidas.

    1. Paulo Gil disse:

      Andre, bom dia.

      Mesmo movido a GNV ?????

      Att,

      Paulo Gil

      1. Zé Tros disse:

        Depende da motorização Paulo. Os veículos a GNV evoluíram e estão muito distantes daqueles OH-1621LG movidos a GNV que a Mercedes lançou anos atrás.

        Esse chassi tem 280 cv de potência e 1.350 Nm de torque.

  4. Pedro disse:

    As subidas são o calcanhar de aquiles destes modelos, já vi este filme antes e o final foi triste.

Deixe uma resposta