Sindicato reafirma possibilidade de greve de ônibus em São Paulo

Publicado em: 22 de agosto de 2016

onibus

Ônibus em São Paulo. Paralisação pode afetar todo sistema

Nesta terça-feira, presidente da entidade deve se reunir com secretário municipal de transportes para discutir impasse

ADAMO BAZANI

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo – Sindmotoristas reafirmou, nesta segunda-feira, 22 de agosto de 2016, a possibilidade de paralisação de todo o sistema de transportes da capital paulista, a partir do dia 1º de setembro.

O motivo é que as empresas sinalizaram que não podem pagar em parcela única a PLR – Participação nos Lucros e Resultados, de R$ 1300, acertada em campanha salarial ocorrida em maio.

O presidente da entidade, Valdevan de Jesus Santos, o Noventa, conversou por telefone com o Blog Ponto de Ônibus agora há pouco (18h37)e disse que a situação está “insustentável”

“O PLR – Participação nos Lucros e Resultados dos trabalhadores está sofrendo uma ameaça real. A prefeitura não pagou mais de R$ 130 milhões às empresas pelos serviços prestados e os patrões disseram que não têm condições de depositar o valor nas contas dos trabalhadores. Nós não queremos chegar a essa situação, mas se continuar assim, a greve geral da categoria vai ser o único caminho” – disse Valdevan  Noventa que afirmou ainda que várias empresas de ônibus também atrasaram o pagamento do vale, o adiantamento de 40% do salário que deveria ser depositado no último dia 20.

Uma das empresas, a Viação Cidade Dutra, da zona Sul de São Paulo, até o fechamento desta reportagem ainda não tinha realizado o depósito deste adiantamento.

Pode haver paralisação nas primeiras horas desta terça-feira. As negociações durante a noite vão tentar evitar. A empresa pediu que os trabalhadores esperem até às 10 desta terça.

O presidente do sindicato dos trabalhadores disse que nesta terça-feira por volta das 14 horas deve se encontrar com Secretário Municipal de Transportes, Jilmar Tatto, para debater a situação. Logo após o encontro, o sindicalista deve conceder uma coletiva à imprensa para anunciar eventuais medidas que podem ser tomadas.

O Blog Ponto de Ônibus revelou na última sexta-feira, 19 de agosto, que a prefeitura de São Paulo deve mais de R$ 133 milhões ao sistema de transportes por causa de gratuidades e pagamentos que não foram repassados pelos serviços prestados.

O presidente do SPUrbanuss, sindicato das empresas, Francisco Christovam, disse à reportagem por telefone na ocasião, que os atrasos vêm se arrastando desde os primeiros meses do ano.

“As empresas de ônibus de São Paulo não estão quebradas. Quando esse problema começou, as empresas foram aos bancos e buscaram no mercado [financeiro] os recursos necessários até a prefeitura realizar os depósitos. Mas a bola de neve foi aumentando, o valor foi aumentando com tempo. Não é justo que os trabalhadores paguem por essa situação, nós não queremos isso. A situação é delicada e envolve pessoas, não tem como tratar com frieza” 

Em nota ao Blog Ponto de Ônibus, a Secretaria de Transportes informou que “A SPTrans vem cumprindo normalmente os contratos firmados com as operadoras.”

Relembre a matéria completa em:

https://diariodotransporte.com.br/2016/08/19/sao-paulo-pode-ter-greve-de-onibus-e-prefeitura-deve-mais-de-r-130-milhoes-as-viacoes/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Digitação: Wilson Bazani

Foto:

Comentários

  1. Roberto Dias disse:

    Parece que estamos navegando diariamente em um Barco Furado. A prefeitura resolve dar gratuidade a todo mundo, não tem controle nem fiscalização sobre isto. A evasão de renda está por todos os lados e de todas as formas, e no final das contas, quem tem que arcar com as consequências é sempre o trabalhador, que é quem de fato faz o serviço pesado. O que sobra para nós da Capital, é um salário super defasado, (em se comparando com outras cidades), mas responsabilidades com o tamanho do veiculo crescendo a cada ano, e pra completar o pesadelo, as inúmeras câmaras e radares furtando nossos salários e nos deixando com o pânico da pontuação injusta em nossa habilitação. Ora pois, um motorista amador usa seu carrinho meia hora por dia para ir ao trabalho, e tem os mesmos critérios de pontuação que um profissional que fica em média 12 horas por dia, com uma carroça de 23 metros! Ai você escolhe, passa com essa carroçona de 23 metros na mudança de farol, ou mete o pé no freio e derruba 250 passageiros que estão em pé dentro da tal carroça! (Está na hora de cobrar dos nossos políticos, uma mudança nos critérios de quantidade e vencimento desdta pontuação injusta). Pelo que vejo, está cada dia mais insustentável trabalhar no sistema de transporte urbano de passageiros na Capital Paulista!!!

  2. Sem controle nos gastos da nisso, empresas e prefeitura.

  3. Julio Jesimiel Gotardo disse:

    Para resolver esse impasse, é a prefeitura fazer uma PPE, Parceria Prefeitura Estado e investir pesado em linhas de Metrô, VLT e Monotrilho com ligações de ônibus elétricos para abastecer esses modais.Onibus Elétricos, Trolebus em distâncias de no máximo 3 km dos bairros até as Estações dos modais sobre trilho.

  4. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Hoje por volta das 11 horas, entre Cidade Jardim, Faria Lima e Reboucas eu vi TODOS os tipos de articulados e Mileniuns, batendo lata, sendo subutilizados.

    Desse jeito quem vai ter lucro ???????

    E quem vai ganhar PLR ????? NEM EU.

    O capital rodande e de alto custo e risvo e se nao tem passageiros, nao tem lucro.

    O contribuinte ta falido.

    A fiscalizadora ja devia ter implantado um novo “mod6s operandi”, mas…

    E logico que colocarao articuladoes na feente do certame homologado, agora, prejuizo na certa.

    Melhor vender esses articuladoes enquanto sao novos, pois o cenario es4a PRETO.

    Buzao de alto custo e pouco passageiro, nem a Viacao Santo Atraso tera lucro.

    Essa ta facik, sem dingeiro vai pagar o que.

    Morerao com o proprio veneno.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta