Ônibus intermunicipais e VLT da Baixada Santista se integram a partir do dia 19

Publicado em: 13 de junho de 2016

vlt-integra

Anúncio foi feito pela EMTU.  Ambos sistemas de transportes são operados pelo Consórcio BR Mobilidade, de Constantino de Oliveira

ADAMO BAZANI

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos anunciou nesta segunda-feira, 13 de junho de 2016, que a partir do próximo domingo, dia 19 de junho, passageiros que usam 37 linhas intermunicipais gerenciadas pela EMTU e que operam na Região Metropolitana da Baixada Santista vão contar com integração com o VLT – Veículo Leve sobre Trilhos, que atualmente hoje opera em nove estações entre Santos e São Vicente.

Ambos os sistemas de transportes, tanto o VLT como os ônibus intermunicipais são operados pelo Consórcio BR Mobilidade, do Grupo Comporte, liderado por Constantino Oliveira, dono da Viação Piracicabana.

Em nota, a EMTU explica que o valor final da viagem depende da tarifa do ônibus metropolitano. Confira o funcionamento:

“O sistema funcionará da seguinte maneira: ao embarcar no ônibus metropolitano será debitada no cartão do usuário a tarifa da linha utilizada, e na integração com o VLT não será debitado valor adicional. No sentido contrário, ao embarcar no VLT, serão debitados no   cartão o valor de R$ 3,80 mais o complemento da tarifa da linha no embarque no ônibus metropolitano. Exemplo: R$ 3,80 (tarifa do VLT) + R$ 0,35 (complemento) = R$ 4,15 (tarifa do ônibus). O débito vai variar de acordo com a tarifa da linha a ser utilizada. 

É necessário que o usuário tenha o Cartão BRCard para a integração entre o VLT e as linhas metropolitanas. As informações para obter o cartão podem ser conhecidas no site www.brmobilidade.com.br.”

Na mesma nota, a gerenciadora de transportes metropolitanos informou que nem todas as linhas inicialmente serão integradas ao Veículo Leve sobre Trilhos e explica os critérios para a escolha.

Do total de 66 linhas da RMBS, as 37 linhas selecionadas para iniciar a integração com o VLT atendem os critérios de circulação no raio de 400 metros ao longo do trajeto VLT. Os serviços são operados com uma frota de cerca de 350 ônibus e atendem diariamente 150 mil passageiros. No primeiro momento a integração será voluntária, ou seja, o usuário poderá optar em continuar a sua viagem na linha de ônibus ou fazer a integração com o VLT.   A integração com as linhas municipais deve ocorrer a partir de dezembro deste ano. A EMTU/SP já iniciou tratativas com as prefeituras de São Vicente e Santos.

 Veja a relação das linhas integradoras no final da matéria:

A empresa também dá previsões sobre a conclusão do sistema que ainda está incompleto:

A operação do VLT da Baixada Santista começou em abril de 2015. Atualmente, nove estações das 15 estações previstas no trecho entre Barreiros, em São Vicente, e Porto de Santos, atendem a população entre as duas cidades. Neste mês de junho começa a operação comercial da 10ª Estação, a Bernardino de Campos, em Santos. Em outubro deste ano todo o trecho de 11 km de extensão será concluído. 

Para o trecho Conselheiro Nébias – Valongo, de 8 km de extensão, a EMTU/SP aguarda a emissão da Licença Ambiental Prévia pela Cetesb para a publicação do edital de contratação de obras que deve ocorrer no segundo semestre deste ano. Esta ligação do VLT contará com um terminal (Valongo) e 13 estações de embarque/desembarque.

Os dois trechos do VLT da Baixada Santista atenderão cerca de 100 mil passageiros  transportados diariamente por 22 VLT´s, 15 deles já entregues pelo fabricante. O restante dos veículos chegará em Santos até 2017. 

O VLT é uma PPP – Parceria Público Privada entre o Governo do Estado de São Paulo e o Consórcio BR Mobilidade Baixada Santista, do Grupo Comporte, de Constantino de Oliveira, fundador da Gol Linhas Aéreas e dono de empresas de ônibus como Viação Piracicabana, que também opera no Litoral.

Confira abaixo a relação das linhas que se integrarão ao VLT:

900 – São Vicente (Jóquei Club) – Santos (Centro) – R$ 4,15

901 – São Vicente (Vila Margarida) – Santos (Centro) – R$ 4,15

901BI1 – São Vicente (Esplanada dos Barreiros) – Santos (Centro) – R$ 4,15

902 – São Vicente (Conjunto Tancredo Neves) – Santos (Centro) – R$ 4,15

903 – São Vicente (Japuí) – Santos (Praça dos Andradas)  – R$ 4,70

903VP1 – São Vicente (Japuí) – Santos (Praça dos Andradas) – R$ 4,70

904 – Praia Grande (Terminal Rodoviário e Urbano Tude Bastos) – Santos (Centro) – R$ 4,15

905 – Peruíbe (Terminal Rodoviário de Peruíbe) – São Vicente (Itararé) – R$ 11,50

907 – São Vicente (Conjunto Tancredo Neves) – Santos (Centro) – R$ 4,15

908 – São Vicente (Parque Bitaru) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

910 – Peruíbe (Terminal Rodoviário de Peruíbe) – Santos (Terminal Rodoviário de Santos) – R$ 24,30

911 – Praia Grande (Terminal Rodoviário e Urbano Tatico Francisco Gomes da Silva) – Cubatão (Usiminas) – R$ 4,65

912 – Praia Grande (Terminal Rodoviário e Urbano Tático Francisco Gomes da Silva) – Cubatão (Usiminas) – R$ 4,65

912BI1 – Praia Grande (Terminal Rodoviário e Urbano Tático Francisco Gomes da Silva) – Cubatão (Usiminas) – 4,65

912DV1 – Praia Grande (Terminal Rodoviário e Urbano Tatico Francisco Gomes da Silva) – Cubatão (Usiminas) – R$ 4,65

915 – São Vicente (Náutica III) – Santos (Canal 4) – R$ 4,75

921 – Itanhaém (Terminal Rodoviário de Itanhaém) – Santos (Terminal Rodoviário de Santos) – R$ 16,40

921VP1 – Mongaguá (Terminal Rodoviário de Mongaguá) – Santos (Terminal Rodoviário de Santos) – R$ 11,15

922 – Peruíbe (Terminal Rodoviário de Peruíbe) – Cubatão (Terminal Rodoviário de Cubatão) – R$ 24,45

927 – Praia Grande (Jardim Samambaia) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,65

931 – Praia Grande (Jardim Samambaia) – Santos (Paquetá) – R$ 4,65

934 – Praia Grande (Terminal Rodoviário e Urbano Tatico Francisco Gomes da Silva) – Santos (Paquetá) – R$ 4,15

934EX1 – Praia Grande (Terminal Rodoviário e Urbano Tatico Francisco Gomes da Silva) – Santos (Paquetá) – R$ 4,15

938 – Cubatão (Vila Esperança) – São Vicente (Itararé) – R$ 4,70

939 – São Vicente (Parque Continental) – Santos (Paquetá) – R$ 4,15

939DV1 – São Vicente (Parque Continental) – Santos (Paquetá) – R$ 4,15

940 – São Vicente (Humaitá) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,65

941 – Praia Grande (Jardim Melvi) – Santos (Conjunto Athie Jorge Cury) – R$ 4,65

942 – São Vicente (Humaitá) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

942VP1 – São Vicente (Rio Branco) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

943 – São Vicente (Parque das Bandeiras Gleba II) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

943BI1 – São Vicente (Vila Ema) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

944 – Santos (Jardim Radio Clube) – Santos (Boqueirão) – R$ 4,60

947 – São Vicente (Humaitá) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

948 – São Vicente (Parque das Bandeiras Gleba II) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

948DV1 – São Vicente (Parque das Bandeiras Gleba II) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,15

952 – São Vicente (Náutica III) – Santos (Ponta da Praia) – R$ 4,75

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. adilson disse:

    me opinião por linha de ônibus intermunicipal direto a Terminal Tático passa pela Ponta Praia com a linha 934 e 934ex, entra Canal 3 pega Avenida Afonso Pena Avenida Mario Covas direto Praia Grande, também Avenida Conselheiro Nébias Avenida Rodrigues Alves, Avenida Almirante Tamandaré Bacia do Macuco Avenida Mario Covas direto Praia Grande

  2. Donizeti tavares da conceição disse:

    A BR Mobilidade deveria ter mais respeito com seus passageiros aqui na baixada santista não cabe mais ônibus sem ar por ser no litoral o calor aqui e intenso também comprar ônibus mais moderno esses com motor na frente e ruim para quem anda e quem trabalha o grupo comporte visa apenas o lucro o conforto a pontualidade deixam a desejar sob a conivência da EMTU.

Deixe uma resposta