Fechamentos de empresas de ônibus urbanos no Rio de Janeiro causam preocupação em população, trabalhadores e empresários

Ônibus da Algarve, a quinta empresa de ônibus a fechar as portas em menos de um ano no Rio de Janeiro.

Somente no ano passado, quatro companhias de ônibus encerraram as atividades. A mais recente, neste ano, foi a Algarve que a partir de hoje deixa de operar 19 linhas na zona oeste

ADAMO BAZANI

Com informações O DIA

O setor de transportes de passageiros está em alerta no Rio de Janeiro. Nesta segunda-feira, 25 de janeiro de 2016, mais uma empresa de ônibus deixa de operar, é a Viação Algarve, que integrava o Consórcio Santa Cruz, e operava 19 linhas na zona oeste do Rio de Janeiro. A empresa tinha 462 funcionários e em torno de 100 veículos.

De acordo com o Rio Ônibus, que é o sindicato que representa as companhias de ônibus, a situação das empresas, que já não era favorável desde o início do ano passado, piorou a partir de agosto. Uma parte desta realidade por causa da crise econômica no País, motivada pelo descontrole das contas públicas por parte do Governo Federal: houve uma queda de 12% na demanda de passageiros no estado do Rio de Janeiro e o desemprego em outros setores também afetou a emissão de Vales-Transportes. Segundo a entidade, 90 mil vales deixaram de ser comprados em 2015.

A preocupação também é muito grande entre os trabalhadores. Por causa do quadro econômico atual, quatro empresas de ônibus deixaram de operar no ano passado, o que representou 1.980 demissões. O Rio Ônibus diz que a maior parte destes trabalhadores foi aproveitada pelas empresas que assumiram as linhas e que a população sentiu menos o impacto do fechamento das companhias de ônibus.

De acordo com Sintraturb, sindicato que representa os trabalhadores, a situação atual é bastante preocupante se comparada com os números de outros anos . De 1982 até 2004, sete empresas fecharam. Em 2015, quatro empresas encerraram as atividades e agora, no início de 2016, foi a vez da Algarve. O Sindicato aposta que outras companhias podem fechar as portas ainda em 2016.

A Algarve é uma empresa do Grupo Breda Rio e surgiu, para a licitação de 2010, da cisão da Auto Viação Jabour.

Empresários, especialistas em mobilidade urbana e trabalhadores sugerem uma série de medidas para evitar o fechamento de outras empresas, mais demissões e até mesmo reflexos na operação para os passageiros. Entre elas, maior controle da gratuidade com restrições e uso de tecnologia como biometria facial, aumento dos subsídios para que haja um equilíbrio melhor nas contas do transporte e fontes externas de recursos, uma das ideias é, para todo o país, o direcionamento de parte da Cide, o chamado imposto sobre gasolina para subsidiar o transporte coletivo.

As empresas que encerraram as atividades recentemente foram:

2016

– Algarve (Consórcio Santa Cruz)

2015

– Translitorânea (Consórcio Intersul)

– Rio Rotas (Consórcio Santa Cruz)

– Andorinha (Consórcio Santa Cruz)

– Top Rio (Consórcio Internorte)

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

13 comentários em Fechamentos de empresas de ônibus urbanos no Rio de Janeiro causam preocupação em população, trabalhadores e empresários

  1. Bom dia,

    é muito estranho! Tudo do mesmo empresário.

  2. Jhonatan Ferreira de Mello // 25 de Janeiro de 2016 às 10:43 // Responder

    Enquanto o poder público tratar o transporte coletivo como segundo plano nunca haverá solução!
    Nos dias de hoje – quem pode, compra um veículo particular! Gastar em média R$ 6,50 para espera, má conservação e superlotação dos ônibus e demais modais ninguém está mais afim. Abraço

  3. Gostaria de saber onde posso encontrar dados economicos de queda ou crescimento do setor de transporte rodoviário de passageiros. Alguém poderia me ajudar?

  4. É bastante perigosa a situação em que fica o transporte no RJ. Cada vez mais um monopolio. A cada Empresa do Grupo Breda que fecha, amplia-se o domínio do Sr. Barata.

  5. Enquanto em SP aumentou o numero de passageiros no Rio diminuiu, isto mostra que no Brasil cada região tem realidades diferentes, mas o RJ esta vivendo um desmando e quebradeira generalizada, com exemplo a saúde que também quebrou.

  6. Engraçado que lá pela década de 90, o RJ era modelo de transporte tanto que os carros rodavam na cidade no máximo 3 anos e iam pra SP e outras cidades, e como morei lá o transporte era realmente muito bom, cada empresa com sua identidade visual que era todas lindas e hoje o RIO está nessa situação. Não sei se antes dessa licitação já estava ruim mas parece que começou a piorar com ela, outra coisa essa pintura padrão do município é simplesmente horrorosa, quem foi o gênio que criou essa identidade visual…

  7. Victor Morais Mdc // 27 de Janeiro de 2016 às 17:15 // Responder

    Só com um adendo, as empresas que encerraram as atividades são praticamente do mesmo grupo.(Andorinha, Rio Rotas, Via Rio e agora Algarve) .

  8. O governo deveria arcar com as gratuidades, pelo menos 50%.

  9. Eh uma pouca vergonha… Mas uma empresa de ônibus parando de operar né Seu Álvaro. Só me entristeco porque muitos profissionais de trabalho ficarão desempregados. Os Motoristas ainda tem uma chance de conseguir trabalhar. Mas e os Cobradores, a manuntencão e outros como vão ficar nessa? Já que o Senhor Governador, o Senhor Prefeito e a Presidenta do País estão dando a mínima para o trabalhador?

  10. O sistema de consórcios deu certo em muitos lugares no Brasil. Mas, nem sempre o que dá certo em um lugar, dá certo em outro. Essa é a prova de que o sistema de consórcios não deu certo no Rio. Muitas empresas faliram (Translitorânea, Rio Rotas, Andorinha, Via Rio e Algarve) e outras estão no vermelho. As mudanças radicais que o prefeito faz nas linhas são muito confusas e são todas avisadas de última hora, fazendo com que os passageiros fiquem totalmente perdidos.

    O BRT veio como uma proposta de ser uma OPÇÃO de transporte, mas com as mudanças e encurtamentos de linhas que a prefeitura fez, obrigou as pessoas a utilizarem o BRT.

    Com o BRT, muitos lugares deixaram de ter conduções diretas. Em algumas localidades populosas, trajetos que eram feitos com apenas 1 condução agora são feitos com 3 conduções (Alimentador + BRT + Alimentador), fazendo o passageiro perder muito tempo, Isso é mobilidade urbana?

    É melhor a prefeitura do Rio rever certos conceitos em relação aos ônibus, principalmente o modus operandi dos BRTs e alimentadores.

  11. nao e so no rio de janeiro que as empresas estao falindo nao , na baixada fluminense tem duas que estao por um fio , uma e a caravele e uni rio , salario atrasado . nao paga inss , nem ticket alimentaçao resumindo tudo errado nessa empresa e a outra e a evanil esta com salario atrasado e a seis meses nao paga o sodexo . essas empresas estao a porta da falencia , a caravele entao ja deveria ter falido a muito tempo….

  12. mudaran muito o sistema de transporte começando errado com a iraa de ferrar com os trabalhadores, e o sindicato que não fala nada, começando a a retirada de cobradores, injusto isso dirijir e falar no celular não pode.
    e dirigir e cobrar pode??
    es fica a questão dos empresarios sem coraçaão a trabalharem errado, e acabam com a porra do olho grande se ferrando tambem, porque se trabalhassen certo com certeza não haveria isso que esta acontecendo hoje..
    e quem acaba se dando bem é a poracaria dos consórcios sempre na midia, juntos com esse prefeitinho que nós temos hoje que acabou com o transporte de antigamente.
    e colocaram o maldito brt da morte que com porra do olho grande agora de vez em ser 2 vagoes agora ja estao colocando 3.

  13. Boa tarde aos administradores da empresa evanil, a empresa esta nessa crise e só não sai porque vocês não estão pensando. Peguem essas linhas da praça Mauá, vila isabel, o castelo de nova iguaçu, candelária e distribuam por jardim nova era, jardim pitoresco, jardim palmares, fazendo a mesma rota do rosa dos ventos que volta para nova iguaçu pelo jardim pitoresco na rua castor o outro saindo de jardim palmares e passando pela alcir brasil em jardim nova era, com certeza vcs terão passageiros o dia inteiro. Passem a rodoviária de nova iguaçu para a nossa senhora da penha ou são José, construam uma rodoviária descente de vocês no ponto final do c. Soares, no terreno da igreja nova vida. O lucro de vocês sera grande e claro melhorem esses ônibus. Obs.: Atualizem o nome dessa linha c. Soares não tem nada haver com o ponto final dele. Vamos lá senhores uma empresa de 60 anos como essa não pode continuar assim. Força e avante.

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Justiça determina que 100% da frota dos ônibus do Rio de Janeiro tenham ar-condicionado até o final deste ano | BLOG PONTO DE ÔNIBUS
  2. Rio de Janeiro perde em segunda instância e todos os ônibus terão de possuir ar condicionado até o final deste ano | BLOG PONTO DE ÔNIBUS

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: