Para Fabus, Finame atrelada a TJLP poderia estimular vendas de ônibus e garantir empregos

Ônibus em circulação. Fabricantes dizem que frota no País poderia ter maior índice de renovação se juros de financiamentos fossem menores.

Hoje, na prática, juros giram em torno de 17%. Em entrevista ao Blog Ponto de Ônibus, presidente da entidade, José Antônio Fernandes Martins, diz que foi entregue uma carta ao BNDES com as sugestões do setor

ADAMO BAZANI

A produção para o mercado interno de ônibus no Brasil registrou no acumulado entre janeiro e novembro de 2015, queda de 44% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram produzidos 12 mil 498 ônibus neste ano apenas para o mercado interno. Os números são da FABUS – Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus.

A produção geral acumula neste ano entre janeiro e novembro queda de 37,4%, com 15 mil 970 unidades.

O que explica uma queda menor na produção total é o desempenho das exportações, segundo os relatórios da FABUS, aos quais o Blog Ponto de Ônibus teve acesso. As exportações subiram 8,3% também de janeiro a novembro de 2015 com volume de 3 mil 472 ônibus.

O presidente da FABUS, José Antônio Fernandes Martins, conversou por telefone com o Blog Ponto de Ônibus, nesta terça-feira 15 de dezembro de 2015.

Ele disse que o cenário do setor é preocupante tanto em relação à produção como ao nível de empregos. Segundo Martins, a expectativa é de que sejam produzidos em todo o ano de 2015 “algo em torno de 17 mil ônibus”. Se a previsão se concretizar, o número vai significar uma queda de cerca de 50% em relação ao nível de produção dos anos anteriores cujos números ficaram entre 32 mil e 34 mil ônibus fabricados.

Os números da FABUS passam a real situação do mercado de ônibus já que refletem não apenas a produção de chassis, mas o total de ônibus já encarroçados que vão para as ruas.

“A crise econômica é um fator preocupante, mas o principal problema do setor é o alto custo de financiamento. O Finame está muito pesado para os frotistas, o que está impedindo a renovação. Financiamento é fundamental.”– disse

Martins contou ao Blog Ponto de Ônibus que a FABUS e a ANFIR – Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários entregaram na semana passada uma carta ao BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social propondo novas taxas de juros para o Finame atreladas à TJLP -Taxa de Juros de Longo Prazo. Pela proposta, uma cobertura de quase o total do valor do ônibus poderia ter uma taxa de 11% a 12%. Hoje, na prática, os juros podem chegar a 17,5% ao ano.

VEJA A DIFERENÇA:

Hoje Finame Ônibus: Para pequenas e médias empresas, há cobertura de 90% do valor do ônibus, sendo que 70% têm juros de 9,5% ao ano e sobre os outros 20% incidem 17%. O prazo de pagamento é de seis anos. Para as grandes empresas, o financiamento também é de 90%, sendo que sobre 50% incidem 10% de juros e sobre os outros 40% do valor do ônibus, os juros são de 17,5%. O prazo também é de seis anos.

Proposta Finame TJLP- Ônibus e Caminhões:

Pela proposta dos fabricantes de ônibus Finame TJLP cobriria 90 % do valor do veículo tanto para micro, pequena, média ou grande empresa. O prazo de pagamento seria de até 180 meses com carência de um ano.

A composição dos juros seria da seguinte maneira: 70% do valor financiado teriam a TJLP, mais 0,9% de taxa do BNDES e mais a taxa do banco agente de crédito. Hoje a TJLP é de 7% ao ano. Os outros 30% do valor financiado teriam a TJLP, 1,9% do BNDES e mais o Spreed do banco que opera o financiamento.

“Acreditamos que esta proposta é compatível com a realidade econômica brasileira, não pressionando os cofres públicos e ao mesmo tempo vai estimular a produção de ônibus e renovação de frota, o que é um ganho para a indústria, para os trabalhadores e também para cidades com melhor serviços de mobilidade” – disse Martins

O BNDES ainda não deu ainda retorno aos fabricantes, mas estuda a proposta.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Para Fabus, Finame atrelada a TJLP poderia estimular vendas de ônibus e garantir empregos

  1. 15 anos para pagamento de um ônibus? exagerado! pelas licitações, os ônibus terão vida de 7 a 10 anos! fora que a partir de 5 anos um ônibus gera tanta manutenção que se torna impossuível ainda pagar parcelas de seu financiamento!
    Com toda certeza essa formula vai gerar calotes!

1 Trackback / Pingback

  1. Taxa de juros para ônibus novos em linha de R$ 3 bilhões deve ser em torno de 9% ao ano – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: