BYD vai fazer elétrico com padrões para São Paulo nos EUA

BYD articulado

Ônibus elétrico com padrão chinês sendo testado em São Paulo. Unidade para a capital paulista está sendo feita na Califórnia. Divulgação

BYD vai fazer elétrico com padrões para São Paulo nos EUA

Um modelo já está circulando na cidade e os testes vão ser monitorados por empresa independente de auditoria

ADAMO BAZANI

Quem circula pelas ruas de São Paulo já deve ter cruzado com ele. Trata-se de um ônibus articulado, em tonalidade dourada, com um design diferente dos veículos de transporte coletivo que prestam serviços na Capital Paulista.

O veículo é de fabricação chinesa, da BYD Build Your Dream, e está sendo testado neste mês na cidade.

Movido a energia elétrica, dependendo somente de baterias, o modelo K 11 não emite poluentes e gera pouco ruído. De acordo com a fabricante, a autonomia das baterias é de 260 quilômetros com a carga completa e o veículo, de 18,9 metros de comprimento, pode transportar 120 passageiros, como qualquer outro ônibus articulado.

O ônibus deve inicialmente ser testado sem passageiros. Todo o desempenho será monitorado por uma empresa de auditoria independente credenciada pela SPTrans – São Paulo Transporte.

Com a cobrança da sociedade para as reduções da poluição e com a necessidade de a capital ampliar a frota de ônibus menos poluentes, determinada pela lei 14.933, de 2009, conhecida como Lei de Mudanças Climáticas, a BYD vê na cidade de São Paulo um mercado em crescimento e não quer perder tempo.

A chinesa anunciou que um modelo articulado com os padrões exigidos pela SPTrans já está sendo produzido na unidade dos Estados Unidos:

“A BYD USA já está produzindo um segundo ônibus elétrico articulado, que cumpre todas as especificações técnicas do DENATRAN e da SPTRANS, em sua fábrica em Lancaster, na Califórnia. Esse novo ônibus virá ao Brasil para uma segunda etapa dos testes com a SPTRANS com passageiros normais em linhas comerciais. Técnicos da SPTRANS devem visitar o veículo na Califórnia ainda em setembro de 2015 para vistoriar a nova versão do K11 especialmente desenvolvida para mercado brasileiro. A segunda etapa dos testes deve se dar início em meados de novembro de 2015 em São Paulo.” – informa a fabricante em nota.

A BYD deve inaugurar uma planta em Campinas no mês de setembro para “produzir chassis de ônibus urbanos padron (12m e 12,5m) e futuramente, outros modelos de chassis de ônibus urbanos e rodoviários.”

Na nota, a empresa diz que até 2017 deve investir US$ 400 milhões no Brasil

Com investimento previsto de US$ 400 milhões em três novas fábricas no Brasil entre 2014-2017, a BYD entra com força no mercado Brasileiro. A primeira unidade industrial em Campinas, São Paulo, tem previsão de abertura em Outubro de 2015 e deve abrigar o centro de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e protótipos, fabricação de chassis de ônibus elétricos urbanos e articulados, bem como montar baterias recarregáveis e painéis solares fotovoltaicos. A segunda e terceira unidades serão iniciadas entre 2016 e 2017 para fabricação local de todos os modelos de chassis de ônibus elétricos, bem como uma unidade para as células de baterias recarregáveis. Outros produtos e equipamentos movidos a energia limpa também devem ser adicionados ao portfólio de fabricação local no futuro próximo como sistemas de armazenamento de energia e empilhadeiras elétricas.

Além da chinesa BYD, a fabricante brasileira de tecnologia para ônibus limpos, Eletra, deve trazer novidades como o ônibus elétrico dual, que em um único veículo reúne as tecnologias do trólebus e dos ônibus a bateria.

“O ônibus elétrico híbrido série, sistema desenvolvido pela Eletra, tem tração apenas pelo motor elétrico e a energia para este motor vem de um grupo motor-gerador e um banco de baterias, onde o gerenciamento faz o balanço energético, utilizando estas duas fontes simultaneamente. No híbrido DUAL é possível desligar o grupo motor-gerador e operar o veículo, com desempenho normal, apenas com as baterias. A Eletra, empresa 100% brasileira, prepara o lançamento de novos ônibus em plataforma dual, os primeiros produzidos no país. Os veículos sairão da companhia nas opções híbrido/trólebus ou híbrido/elétrico puro. A partir de um simples acionamento de uma chave no painel de controle, o condutor poderá definir a configuração do veículo.”

A empresa também produz trólebus com marcha autônoma, sistema que permite o veículo andar por alguns quilômetros sem a necessidade de estar ligado aos fios da rede aérea, e ônibus elétricos híbridos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

8 comentários em BYD vai fazer elétrico com padrões para São Paulo nos EUA

  1. O país mais poluente do mundo fazendo ônibus “limpo”! “Veículo” em teste.
    Se essa empresa vingar no Brasil, junto com hibridos da Volvo e a Eletra, a escala de produção dessa tecnologia deve ser maior com a redução do custo de produção provocado pela concorrência. É claro que a globo (e outros) não se manifestarão por contrariar suas convicções contra-ônibus.
    Talvez as mais tradicionais montadoras, Mercedez em especial, tenham até que rever sua tecnologia, onde arla 32 não seja suficiente para encarar essa nova geração de motores ja que os chineses não estão brincando a ponto de produzir sua filial aqui e trazer ônibus especialmente para SP.

  2. Amigos, boa noite.

    Por que o desempenho será monitorado por uma empresa de auditoria independente credenciada pela fisscalizadora ?????????????????????

    Pra que serve a fiscalizadora ????

    Fiscalizar ou gastar ???

    “Técnicos da fiscalizadora devem visitar o veículo na Califórnia”

    Num país em crise, é muito melhor economicamente usar uma vídeo conferência ou ver o buzão via Internet.

    Gente, já inventaram muita tecnologia e o uso destas permite economia de verbas
    públicas.

    Pelos menos uma qualidade a CMTC tinha, ela sempre buscava usar novas tecnologias.

    Mas…

    Como sempre, a culpa é do caranguejo que inspirou muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiita gente a andar pra trás.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Legal mas a Metra, empresa 100% brasileira também tem carros com essas especificações. Carros fabricados no Brasil. Penso que que é para oferecer incentivos, que se faça prioritariamente com empresas nacionais.

    • Concordo contigo, nada contra os chineses, mas continuamos sempre olhando a grama verde do vizinho e deixamos nossa grama secar e morrer.

      A Volvo e a Mercedes já fabricam híbridos aqui no Brasil, a Mercedes tem o e-Bus 100 elétrico, a VW MAN apresentou seus chassis movido a hidrogênio. Ou seja, veículos limpos não faltam aqui no Brasil.

  4. esperemos q de certo!

  5. Estou torcendo pra dar certo,já que não quiseram testar o serviço parecido da Eletra,paciência,pelo menos terá investimento de produção.

  6. na Emtu, sempre existiram os ETERNOS testes de ônibus a HIDROGÊNIO que nunca se tornou realidade, essa chinesa vem de forma agressiva trazer esses ônibus articulados puramente elétricos para sp, mas tenho minhas dúvidas quanto a compra desses veículos por parte das empresas, haja vista que na licitação de ônibus não há obrigatoriedade de compra de uma parcela de ônibus elétricos, esse prefeito e seu ETERNO secretário de transporte do pt são dois incomPeTentes e me parece que quem irá ganhar essa licitação são as mesmas empresas de sempre, é lógico que ônibus 100% elétricos são os melhores, se a electra fabricar mais ônibus puramente elétricos pode concorrer, vamos esperar.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: