Tarifa Zero Maricá: Prefeito atribuiu agressão à polêmica do transporte

Washington Quaquá

Prefeito de Maricá recebendo atendimentos após agressão nesta quarta-feira. Ele atribuiu fato à disputa com empresas de ônibus. Agressor não confirma. Foto: Divulgação Prefeitura Maricá

Poder público e empresas estão em pé de guerra. Mesmo com decisão judicial, cidade não suspendeu operações da EPT

ADAMO BAZANI

A queda de braços entre a prefeitura de Maricá, no Rio de Janeiro, e as empresas de ônibus que prestam serviços na cidade ganhou mais um capítulo nesta quarta-feira, dia 29 de julho de 2015.

O prefeito Washington Luiz Cardoso Siqueira (Washington Quaquá), do PT, atribui a agressão que sofreu na parte da manhã à polêmica dos transportes.

O chefe do executivo concedia uma entrevista à emissora InterTV, afiliada da TV Globo, quando foi atingido por um chute. O cinegrafista Marcelo Cristian Araújo de Andrade, de 38 anos, também se machucou. A entrevista era sobre a situação dos transportes municipais.

O prefeito sofreu escoriações leves em um braço e um corte no nariz. Já o cinegrafista sofreu uma contusão no tórax causada pelo equipamento, foi também examinado pelos bombeiros e encaminhado para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal, onde fez Raios X e recebeu medicação para estabilização da pressão.

“O que estamos fazendo no transporte desperta a ira de todo um setor econômico da cidade. Não tenho dúvida que essa agressão vem daí. Vem da fiscalização que estamos operando, do transporte gratuito para o povo … Não há direito neste país que seja conquistado sem reação da outra parte, dos que lucram com a desgraça do povo. Não tenho dúvida que é uma reação deste setor”, disse o prefeito Washington Luiz Cardoso Siqueira em nota divulgada pela prefeitura.

O suspeito de agressão, que teria dado um chute nas costas do prefeito, é Antonio Pedro Barcello  Ribeiro, de 20 anos, morador do bairro Pedreiras.

Ao portal “Lei Seca Maricá”, o suspeito confessou a agressão, mas não relacionou o fato ao transporte público.

“Minha avó está internada entre a vida e a morte. Eu agredi mesmo, estava cheio de raiva dele mesmo, fui na intenção de agredir ele mesmo. E eu amarrado no chão, ele veio e me deu um bico na cara. Todo mundo viu” O vídeo do suspeito pode ser assistido no link:

https://www.youtube.com/watch?v=G9vv7f1O2ho

Ao mesmo portal, o prefeito chamou parte do empresariado de fascista, conforme vídeo

Na semana passada, em resposta ao agravo de instrumento do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro – Setrerj, o desembargador Pedro Raguenet, da 21ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, determinou que a EPT – Empresa Pública de Transportes suspendesse as operações nos bairros e regiões já atendidos pela Empresa Nossa Senhora do Amparo e Viação Costa Leste.

A EPT não cobra tarifa dos passageiros. Na ação, acatada pela Justiça, o Seterj alega que as operações da EPT criam uma concorrência desleal com as empresas particulares. O sindicato patronal ainda diz que as empresas têm contrato de operação válido até outubro de 2020.

O prefeito não seguiu a determinação judicial e ordenou fiscalizações de rua às empresas. Segundo o município, 14 ônibus já foram apreendidos. A prefeitura diz que os veículos tinham problemas como “pneus carecas, licenciamento vencido, sujeira, extintores de incêndio com defeito e um dos ônibus trafegava com o lacre da placa diferente do número da documentação.”

As empresas de ônibus não se pronunciaram oficialmente sobre a agressão, mas de maneira informal, um dos diretores disse que o prefeito está usando o fato da manhã desta quarta-feira para “promoção pessoal e política”.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes.

1 comentário em Tarifa Zero Maricá: Prefeito atribuiu agressão à polêmica do transporte

  1. Bom dia !

    1. Ahhhhh coitado ! (com exceção do cinegrafista que estava trabalhando e que, merece o nosso respeito), o agente político ficou todo dodói. Mas, assim como ele, muitos outros agentes, ficam dodói, quando achacam, os empresários (nem todos são demônios), à contribuir com a “merenda”. Quem não quiser, que saia; este é o lema, no setor;

    2. Os Demônios, pagam a “merenda” com prazer, para ver os demais sendo expulsos;

    3. Como diria o Paulo Gil: “Santa Ingenuidade”. Para os “Agentes Políticos”, somos todos criancinhas !

    Abçs.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: