UITP realiza estudo para ampliação dos trólebus na América Latina

Trolebus

Há 40 mil trólebus no mundo. Sistema é considerado solução de mobilidade nos países mais avançados. Especialistas criticam falta de investimentos em mobilidade limpa no Brasil

SUGESTÃO DE CABEÇA: União Internacional de Transporte Público, entidade que reúne especialistas e gestores de mobilidade urbana em 94 países, elaborou um estudo para orientar administradores públicos sobre a implantação de sistemas de transportes coletivos não poluentes, especialmente para a América Latina. Entre os especialistas há um consenso: o Brasil está atrasado quando o assunto é elaboração de polícias de mobilidade que reduzem os níveis de emissões de poluição no ar.

OUÇA A MATÉRIA:

Texto:
O estudo da UITP – União Internacional de Transporte Público levou em conta os custos de implantação e operação de sistemas de ônibus elétricos e a redução dos gastos com saúde pública relacionados à poluição.
Os dados foram apresentados no congresso da entidade internacional realizado em São Paulo nesta terça-feira e serão encaminhados aos gestores públicos das principais cidades latino-americanas.
O coordenador do Grupo de Trabalho de Trólebus para a América Latina da UITP, Roberto Berkes, diz que o Brasil tem tecnologia própria de ônibus não poluentes, mas o poder público fica devendo em relação a investimentos e financiamentos.
SONORA
Atualmente o Brasil possui cerca de 300 trólebus em três sistemas, todos no estado de São Paulo. O estudo mostra que a implantação de um corredor de ônibus elétrico pode ser até um milhão e cem mil dólares mais cara por quilômetro na comparação com um corredor de ônibus comuns. No entanto, de acordo com o especialista em veículos elétricos e membro da ONG Respira São Paulo, que participou dos trabalhos, Jorge Françoso, o estudo mostra que em 25 anos, este custo inicial maior é compensado.
SONORA
Foram citados no congresso exemplos internacionais, como o programa Zeus que, com a participação do Banco Europeu e de fabricantes, criou financiamentos de 23 milhões de Euros para a renovação da frota e desenvolvimento de novas tecnologias em diversas cidades da européias.
Rosário, na Argentina, também enviou representantes para falar sobre a expansão da rede de trólebus local.
De São Paulo, Adamo Bazani.

2 comentários em UITP realiza estudo para ampliação dos trólebus na América Latina

  1. Amigos, boa noite.

    A UITP, precisa ser informada que o Brasil esta sem agua, assim como vamos ter energia eletrica.

    So o e-bus salvara, quando a relacao custo 3 X 1 diesel, for eliminada.

    O Brasil sabe fabricar o e-bus, mas ainda nao aprendeu nada sobre gestao, principalmente da agua, se a evonomia crescer a industria nao tera energia eletrica para trabalhar.

    Melhor comprar tecnologia de Israel e comcar urgentemente a dessanilizar a agua do mar.

    So se pensa no ontem, em infra estrutura basica, nem sabem o que e isso.

    Preparem-se para o racionamento, alguem viu a reportagem sobre a represa de Ilha Solteira, pois e vsi continusr solteria pois se casar nao havera agua para a familia.

    Att,

    Paulo Gil

    • Pra dessalinizar agua do mar precisa esquenta-la de alguma forma…
      Resistências elétricas: a malha tá sem muita energia sobrando
      Derivados do petroleo: seremos independentes, mas vai poluir
      Carvão: vai poluir MUITO
      Geotérmico: nicho
      Nuclear: polêmico
      Na atual condição, não é viável. Não pra alimentar nossas metrópoles e nossa gigantesca economia.
      Tem que se trabalhar no sentido de eletrificar tudo que é pequeno e dá pra faze-lo aos poucos (carros, trens, trólebus, chuveiros) pra no dia que a tão sonhada fusão nuclear chegar pra fazer despencar o preço da eletricidade, possamos entrar nessa nova era sem grandes afazeres.

1 Trackback / Pingback

  1. UITP realiza estudo para ampliação dos trólebus na América Latina | Via Trolebus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: