EMTU vai assumir gerenciamento de intermunicipais de Sorocaba

ônibus

Ônibus intermunicipal em Sorocaba com destino a Boituva. Serviços passam a ser gerenciados pela EMTU e pintura será padronizada. Foto: Adamo Bazani.

Intermunicipais de Sorocaba serão gerenciados pela EMTU
Gestão deve começar em abril do ano que vem, quando a Artesp deixa de cuidar dos serviços
ADAMO BAZANI – CBN
Decreto publicado na semana passada no Diário Oficial do Estado transfere o gerenciamento dos transportes intermunicipais na região de Sorocaba, interior de São Paulo, da Artesp – Agência Reguladora dos Serviços Delegados de Transportes do Estado de São Paulo para a STM – Secretaria de Transportes Metropolitanos.
A mudança ocorre em abril de 2015 e envolve 26 cidades que formam a região metropolitana de Sorocaba que foi criada formalmente em maio deste ano. Entre os municípios desta nova macrorregião estão Alambari, Alumínio, Araçariguama, Araçoiaba da Serra, Boituva, Capela do Alto, Cerquilho, Cesário Lange, Ibiúna, Iperó, Itu, Jumirim, Mairinque, Piedade, Pilar do Sul, Porto Feliz, Salto, Salto de Pirapora, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sarapuí, Sorocaba, Tapiraí, Tatuí, Tietê e Votorantim.
De acordo com o decreto nº 60.865, assinado na semana passada, a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos tem seis meses para definir secções de tarifas, novos itinerários, formar equipes de fiscalização e gestão para assumir a responsabilidade dos serviços que continuam sendo operados pelas empresas particulares.
Além de novas possibilidades de tarifas, os passageiros da região vão ter de se acostumar com a pintura padronizada da EMTU nos ônibus, a mesma adotada na Região Metropolitana de Campinas, Região Metropolitana da Baixada Santista e Região Metropolitana de São Paulo.
O sistema Orca, dos Operadores Regionais Coletivos Autônomos, com vans em deslocamentos menores e integração com linhas municipais também fazem parte dos planos.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

10 comentários em EMTU vai assumir gerenciamento de intermunicipais de Sorocaba

  1. A grande questão é: agora teremos um continuum de Sorocaba até Queluz com pintura azul e diagonais cinzas e vermelhas, mas pouca ou nenhuma integração das linhas entre as RMs!

  2. Bom dia ADAMO
    O controle estatal é necessário, porém padronizar todos os ônibus na pintura EMTU, é prejudicar diretamente os passageiros, pois estes vão demorar mais para encontrar o “seu” ônibus. É o que já ocorre nas regiões da Grande São Paulo, Baixada Santista, Campinas e Vale do Paraíba, onde o sistema anda mais lento por conta, não só dos problemas de tráfego, mas também por conta da padronização efetuada no passado, que dificulta a identificação das empresas operadoras por parte dos passageiros.
    Não há dúvidas de que a EMTU deve controlar todo o sistema, porém cada empresa de ônibus deveria manter sua imagem junto à população que atende, até para evitar o que ocorre hoje em dia, quando o povo confunde a EMTU com a empresa operadora, em alguns casos fazendo com que todas sejam iguais, não permitindo distinguir as empresas que atendem bem das que não atendem tão bem assim.
    Que pena! SOROCABA e Região perdem o visual de excelência de seus ônibus intermunicipais, excelência essa que havia antes nos ônibus das Regiões Metropolitanas hoje padronizadas.
    Finalmente, lembro que a programação visual é o meio pelo qual a empresa se posiciona na mente dos seus públicos de relacionamento. O Governo do Estado de São Paulo, com essa medida, mais atrapalha do que ajuda os cidadãos.
    Abraços,
    MARIO CUSTÓDIO

  3. Amigos, boa noite.

    Sorte dos fornecedores de pigmento azul.

    No mais, arrrrrrrghhhhhhhh.

    Gerenciamento ? Sera ??????

    Att,

    Paulo Gil

    • Ewerton Santos Lourenço (PNE Guarulhos) // 5 de novembro de 2014 às 20:49 // Responder

      Boa noite internautas,

      Pois bem, vamos lá! Eu acho que deveria ter aquele selo com o logo da empresa que opera aa linhas. Porque as empresa tem oa mesmo. Modelos de ônibus e o selo de logo facilita muito a sua identificação.

  4. Vagner "Ligeiro" Abreu // 8 de novembro de 2014 às 12:38 // Responder

    Uma curiosidade:

    Os ônibus que atendem entre São Roque de/à Cotia e Itapevi, ambas são linhas da Piracicabana e andam com veículos JÁ no padrão EMTU, porém sem a identificação completa, apenas tendo os ônibus nas cores Azul com faixa branca. Dizem que eram veículos que atendiam no litoral.

    Em ambas as linhas, somada à linha de Araçariguama à Itapevi, os serviços podem ser pagos com créditos do BOM, sendo o custo entre Itapevi e São Roque de R$ 3,55.

    Entre São Roque e Sorocaba, atende a Rápido Campinas, com custos de R$ 4,50, sem cartão Bom.

    É interessante a adoção da EMTU como gerenciadora, já que os serviços prestados pelas operadoras na região tem intervalos dentre médio a alto. As linhas entre São Roque a Itapevi tem intervalos médios (cerca de 20 a 40 minutos entre cada veículo).

    O que torço com isso é a possibilidade de uso do Cartão Bom para fazer viagens nesta região, e também a redução de intervalos, além de linhas mais eficientes. O gerenciamento pela EMTU pode ajudar a definir linhas diferentes para um mesmo destino. Por exemplo, pode ser feito tanto uma linha Itapevi – Sorocaba (como já existiu na época do Expresso São Roque), indo direto pelas rodovias e apenas passando nos centros das cidades, quanto pode ser feita linhas que passam dentro de bairros importantes.

    A ARTESP é boa para gerir linhas intermunicipais de longa distância. Que continue assim.

  5. eu gostaria de saber se tem a linha sorocaba/cesário lange e quanto (por enquanto) custa a passagem? Posso fazer a carteirinha do estudante? e onde?

  6. gostaria de saber se os cargos de fiscalização serão por meio de concursos ou não. como posso ter esta informação.

  7. A Emtu por ser uma autarquia se faz necessário concurso aonde no site PCI concursos consta provas e editais ateriores

  8. Boa tarde ADAMO
    Começou a padronização das pinturas em SOROCABA. Ontem (21-04-2015) vi um S JOÃO padronizado.
    Mais uma vez reitero: o gerenciamento estatal, no caso específico EMTU é importante e interessa aos clientes, passageiros, até porque pode se utilizar meios eletrônicos interessantes, como o Cartão BOM.
    Porém, não precisa padronizar todos os ônibus, como se os passageiros fossem obrigados a conviver eternamente com a pintura padrão EMTU, de sofrível gosto, diga-se de passagem.
    Mantenho meu posicionamento de que cada empresa de ônibus, organizada em consórcio ou não, deve ter seu próprio padrão visual, que é o meio pelo qual ela se posiciona na mente dos seus clientes, no caso os passageiros de ônibus. A EMTU gerencia, a empresa opera.
    Saudações,
    MARIO CUSTÓDIO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: