Termina sem acordo reunião entre sindicato e Metrô

Metrô

Metrô em São Paulo pode parar na quinta-feira. Terminou sem acordo reunião de conciliação entre a Companhia do Metropolitano e os trabalhadores nesta segunda-feira. Novo encontro deve ser realizado na quarta-feira para tentar evitar a greve. Foto : São Paulo Trem Jeito.

Termina sem acordo audiência entre sindicato e Metrô
Categoria promete greve para o dia 05 de junho, quinta-feira
ADAMO BAZANI – CBN
Terminou sem acordo a reunião de conciliação o Sindicato dos Metroviários e a Companhia do Metrô, realizada na tarde desta segunda-feira, dia 02 de junho de 2014 no TRT – Tribunal Regional do Trabalho.
Uma nova reunião deve ser realizada na próxima quarta-feira, dia 04 de junho, às 11 horas.
Se novamente não houver entendimento, São Paulo pode enfrentar uma greve de metrô nesta quinta-feira, dia 05 de junho.
O Metrô ofereceu novamente nesta segunda-feira reajuste salarial de 7,8%. Inicialmente a Companhia do Metropolitano tinha ofertado 5,2% de aumento salarial, o que representava índice abaixo de diversos indicadores inflacionários.
Os sindicatos dos metroviários e dos engenheiros querem aumento de 16,5%; sendo 7,98% (IGPM – Índice Geral de Preços ao Consumidor) e 7,5% (reajuste real). O Metrô oferece 7,8% total para ambas as categorias. Os trabalhadores pediram inicialmente reajuste salarial de 35,47% – 7,95% como reposição da inflação e 25,5% de aumento real; alta de 13,25% do vale-refeição, reajuste no vale-alimentação de R$ 247,69 para R$ 397,80, plano de saúde para os trabalhadores já aposentados e participação de resultados igual para todas as funções.
De acordo com nota da Assessoria de Imprensa do TRT – Tribunal Regional do Trabalho, “a reunião foi conduzida pelas magistradas Ivani Contini Bramante e Patrícia Therezinha de Toledo. A convite do TRT-2, também esteve presente o secretário de Estado da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes”
Diariamente, o metrô em São Paulo transporta 4,5 milhões de pessoas. São quatro linhas sob responsabilidade do estado e uma da iniciativa privativa.
Linhas Estatais do Metrô de São Paulo:
Linha 1 Azul Metrô: Jabaquara-Tucuruvi
Linha 2 Verde Metrô: Vila Prudente – Vila Madalena
Linha 3 Vermelha Metrô: Itaquera – Barra Funda
Linha 5 Lilás Metrô: Capão Redondo – Adolfo Pinheiro
Linha Privada do Metrô (que não faz parte das negociações):
Linha 4 Amarela: Butantã – Luz
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

3 comentários em Termina sem acordo reunião entre sindicato e Metrô

  1. Uma coisa não entendi até hoje gente ! O ninho tucano está há quase 20 anos enraizado no Palácio (ou seria ninho?) e NÃO PRIVATIZOU todo o sistema de metrô de São Paulo!
    Como todo mundo sabe quando o ninho estava confortavelmente instalado em Brasília de janeiro de 1995 à dezembro de 2002 privatizou naquela época tudo que fosse possível embora muitas privatizações foram a preço de banana! A Cia Vale do Rio Doce foi apenas UM exemplo!
    Mesmo privatizando a preço de banana o Brasil em si não melhorou pois vieram os 12 anos seguintes do partido da estrela e hoje temos uma PETROBRÁS quebrada! (isso sem contar com as outras estatais). Considerando o histórico do ninho em SP que levou 20 anos para fazer o que o ninho tucano federal fez em apenas 8, tenho medo do que possa vir pela frente independente dos tucanos conseguirem fazer ninho em Brasília ou manterem seu confortável ninho no Estado de SP. A verdade é uma só sendo o próximo governo estadual ou federal petralha ou não, estamos lascados !!! Vem chumbo grosso aí pessoal ! Preparem os bolsos !

  2. Devia privatizar era tudo do Metrô ja que funcionario publico quer aumento quase todo ano,palhaçada isso como sempre,ninguem lembra disso nas eleiçoes pra governador engraçado ne.

  3. Rolland T. Flackphayser // 4 de junho de 2014 às 08:14 // Responder

    Em relação à trabalhadores da iniciativa privada, os metroviários de SP ganham excelentemente bem. Essa de querer repor inflação em salários que já são consideravelmente altos é somente jogo de intrigas entre o PSDB e as “esquerdas” que vão do PTralha ao PSTU. Governo de São Paulo deveria pensar seriamente em privatizar o serviço de trens para impedir que sindicatos façam a população de refém para seus negócios escusos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: