Câmara aprova fim do rodízio municipal de veículos em São Paulo

fim rodízio municipal veículos

Congestionamento em São Paulo. Câmara aprova fim do rodízio municipal de veículos. Foto Blog Maplink

Câmara aprova fim do rodízio de veículos em São Paulo
Votação foi simbólica e segue para prefeitura. Para autor da proposta, medida não surte mais efeito na cidade
ADAMO BAZANI – CBN
Em votação simbólica, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou na noite desta quarta-feira, dia 28 de maio de 2014, o fim do rodízio municipal de veículos.
O PL PL 15/2006, do vereador Adilson Amadeu (PTB), segue para sanção ou veto do prefeito Fernando Haddad.
A assessoria de imprensa da prefeitura diz que o executivo espera a chegada da proposta para análise
O vereador afirmou que apresentou o projeto porque, na visão dele, o rodízio não consegue mais seus objetivos que são reduzir a poluição e os níveis de congestionamento.
A Câmara Municipal de São Paulo, em nota, diz que, segundo o vereador, o rodízio estimulou o paulistano a comprar um segundo carro:
“Segundo o projeto, a lei que implementou o rodízio foi criada para combater o problema de poluição ambiental na Capital, mas o crescimento da utilização de carros bicombustíveis (flex) tornou a frota menos poluente. O vereador argumenta também que a lei “incentivou” os paulistanos a adquirirem um segundo veículo, geralmente mais antigo e mais poluidor — para burlar o rodízio. Para Amadeu, a medida não tem mais efeito no trânsito de São Paulo. “Quando o rodízio foi implantado, não tinha o número de carros que tem hoje. A gente percebe que a classe média alta tem hoje dois, três carros na garagem para circular nos dias de rodízio. O reflexo [do rodízio] é zero”.
O vereador ainda acrescentou que em São Paulo circulam 2,5 milhões de veículos por dia de maneira irregular sem qualquer tipo de fiscalização, inclusive sobre rodízio.
Especialistas, no entanto, defendem a manutenção da restrição dos veículos de acordo com os finais das placas e dizem que o projeto segue em direção oposta das políticas de mobilidade urbana que tendem a desestimular o uso do transporte individual e privilegiar o transporte coletivo.
A prefeitura de São Paulo anunciou que quer expandir a quantidade de vias que passarão a ter o rodízio. Assim, dificilmente a proposta deve passar no executivo.
A votação foi rápida, demorou menos de um minuto. Votação simbólica não quer dizer que ela não tem valor, mas sim que não houve registro nominal dos votos.
Em votação simbólica, vários projetos são apreciados de uma vez só.
Se a votação fosse nominal, somando as bancadas do PSD, do PSDB e do PT, que reúnem 27 dos 55 vereadores, o projeto não teria aprovação.
A forma como foi conduzida a votação foi considerada uma estratégia por parte dos vereadores que são contrários ao fim do rodízio. Eles alegaram que o projeto não deveria ser apreciado em votação simbólica.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

6 comentários em Câmara aprova fim do rodízio municipal de veículos em São Paulo

  1. Roberto Valente // 29 de Maio de 2014 às 01:25 // Responder

    tá certo já passou da hora de acabar este tipo de restrição JÁ DEU O QUE TINHA QUE DAR, em troca que tal implantar o pedágio urbano no centro expandido para bancar o transporte coletivo, seria uma solução para melhorar o transito e para melhorar a mobilidade. Quem quer ir para o centro tinha que PAGAR queria ver se não desestimularia o transporte individual, ETA PREFEITURA BURRA…

  2. William de Jesus // 29 de Maio de 2014 às 03:04 // Responder

    “a lei “incentivou” os paulistanos a adquirirem um segundo veículo, geralmente mais antigo e mais poluidor”. E há alguma mentira nisso? No atual sistema, onde não há uma frota com o minimo de conforto, chefes cada vez mais exigentes, IPI reduzido, etc, eles achavam mesmo que o rodízio iria inibir o paulistano de sair com o carro e enfrentar horas em um ônibus!? Claro que não!! E alás, suspender a lei do rodizio só vai piorar ainda mais a situação em SP. O melhor mesmo seria ter rodizio com tres ou quatro finais de placas, e não dois. “AH, mas e o segundo carro?” Não importa, mesmo tendo mais um carro, com quatro finais de placas estando presas no rodízio, isso aliviaria. Mas já que se cagou, que que tem soltar um pum a mais, né?

  3. E só fiscalizar as pistas preferenciais para ônibus, o que não esta ocorrendo e deixar os carros parados nas suas devidas faixas, alias todos sabem que o vereador Adilson e o vereador das concessionarias, que ele não e simpatizante da mobilidade urbana, tanto é que quando candidato tinha um poster enorme dele em frente a uma grande concessionaria na radial leste, o que não tem nada de errado, cada um luta pela sua tribo.

  4. Paulo Roberto Mariano Silva // 29 de Maio de 2014 às 16:23 // Responder

    para mim, quanto mais rodizio, mais aquece a venda dos revendedores de veiculos usados, pena que ninguém percebeu isso até hoje. Agora falam de rodizio de quatro placas, o que vai acontecer?? Muita gente vai comprar um terceiro carro, e isso NINGUÉM PERCEBE, pelo contrário a população está acostumado com RESTRIÇÕES e não acordam para esta realidade, lamentável. Também estou com o Roberto Valente, PEDÁGIO URBANO JÁ.

  5. LEDRAJ SARCE DOPRA // 30 de Maio de 2014 às 17:30 // Responder

    eu acho que deve voltar os execultivos como tinha na época da CMTC assim o paulistano vai deixar os carros em casa e ir trabalhar de execultivos ÔNIBUS URBANOS EXECULTIVOS JÁ.

  6. Uma coisa que nao foi dita com isso ai seria um caos por ainda do que ja e,o Haddad ira vetar o projeto ja foi confirmado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: