Faixas foram mais eficientes que vários corredores e aumento da frota de carros reduziu benefícios do rodízio

ônibus

Ônibus municipal em São Paulo em faixa exclusiva na Avenida Paulista. Estudo da CET mostra que o desempenho dos ônibus foi melhor nas faixas do que em alguns corredores da cidade. Além disso, levantamento mostra que os ganhos obtidos pela implantação do rodízio municipal de veículos foram praticamente anulados pelo aumento da frota de veículos particulares. FOTO: Adamo Bazani

Faixas de ônibus foram mais eficientes que corredores, aponta estudo da CET
Estudo sobre a Operação Horário de Pico mostra que aumento da frota de carros particulares foi pior para o trânsito do que se imaginava
ADAMO BAZANI – CBN
Mesmo criticadas por uma parte da população, as faixas exclusivas para ônibus trouxeram benefícios ao transporte coletivo, de acordo com o estudo sobre a Operação Horário de Pico, da CET – Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo.
De uma maneira geral na cidade, a média de velocidade dos ônibus nas faixas subiu de 14,2 km/h para 20,6 km/h em 2013. Os dados levam em conta o total de faixas implantadas em todo o ano passado que somou até metade de dezembro 291 quilômetros. Hoje são 329 quilômetros deste tipo de espaço.
Antes de 2013 eram 105 quilômetros.
Com estrutura antiga, ausência de pontos de ultrapassagem e readequação das linhas, alguns corredores de ônibus na cidade, a maioria consistindo apenas numa faixa à esquerda, tiveram piora no desempenho dos coletivos, principalmente nos horários de pico
A velocidade média dos ônibus no corredor da Avenida Eusébio Matoso, Avenida Rebouças e Rua da Consolação teve redução de 11,7 km/h em 2012 para 7,9 km/h no ano de 2013 entre 16 horas e 17 horas. Já entre 17 horas e 20 horas, considerando horário de pico, a velocidade dos ônibus neste espaço caiu de 9,7 km/h para 6,9 km/h. Para se ter uma ideia, a pé, a média de velocidade de uma pessoa é de 5 km/h.
No horário de pico da manhã, os ônibus neste corredor tiveram redução de velocidade de 23,3 km/h em 2012 para 21 km/h em 2013.
Os números se referem a um enfoque dado pela CET ao desempenho somente dos ônibus que se assemelha a dos demais veículos no restante destas vias que não contam com exclusividade de circulação.
O resultado mostra que os corredores de ônibus da cidade precisam ser qualificados. Os espaços considerados ideais são os sistemas de BRT – Bus Rapid Transit, pelos quais o transporte coletivo tem prioridade total e os passageiros contam com mais conforto, como estações com o piso no mesmo nível do assoalho dos veículos e ônibus mais espaçosos e de melhor categoria.
Os dados dos corredores fazem parte do estudo sobre a Operação Horário de Pico, sobre o Rodízio Municipal de Veículos, ao qual a reportagem da CBN e do Blog Ponto de Ônibus teve acesso na íntegra.
O rodízio municipal de veículos foi instituído em outubro de 1997, na gestão de Celso Pitta.
Segundo o estudo, os ganhos na velocidade média dos veículos em geral na cidade de São Paulo com a implantação de rodízio foram praticamente anulados com o tempo.
No pico da tarde, a redução da velocidade média nas vias onde há o rodízio foi de 20%, passando de 22 km/h para 18 km/h. Já pela manhã houve aumento. Os dados se referem à comparação entre 2012 e 2013.
O que pode explicar o fato de o rodízio não ter trazido ao longo dos anos o benefício que era esperado pela população foi o aumento da frota de veículos particulares na cidade de São Paulo.
Em 1990, a cidade tinha 36 veículos para cada 100 habitantes. Em 2013, este número foi de 66,2 automóveis para cada 100 pessoas.
CONFIRA O ESTUDO NA ÍNTEGRA:
O DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO – DSV, no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO o disposto no art. 6º da Lei n.º 12.490, de 3 de outubro de 1997 e no art.9º do Decreto n.º 37.085, de 3 de outubro de 1997;
CONSIDERANDO as informações da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET, responsável pelo acompanhamento operacional da execução do “Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores”,
RESOLVE:
I – Dar publicidade ao resumo do relatório informativo 15ª Avaliação da Operação Horário de Pico referente do ano de 2013, elaborado pela Companhia de Engenharia de Tráfego – CET, em razão da execução do “Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores”, autorizado pela Lei n.º 12.490, de 3 de outubro de 1997, estabelecido pelo Decreto n.º 37.085, de 3 de outubro de 1997 e suas alterações, conforme Anexo Único desta Portaria.
II – Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
ANEXO ÚNICO DA PORTARIA Nº 37/2014 – DSV-GAB Resumo da 16ª Avaliação Operação Horário de Pico – Período de Janeiro/2013 a Dezembro/2013
1. APRESENTAÇÃO
A Operação Horário de Pico, também conhecida como Rodízio Municipal, é um programa de restrição de circulação ao trânsito, realizado por meio de um escalonamento na utilização dos veículos, exclusivamente para os horários e locais mais críticos da Cidade.
A Operação Horário de Pico foi instituída pela Lei nº 12.490 e regulamentada pelo Decreto nº 37.085, publicados no Diário Oficial do Município em 04 de outubro de 1997. Entrou em vigor dois dias após sua publicação e as autuações foram iniciadas a partir do oitavo dia de sua vigência (13 de outubro de 1997). Este procedimento foi adotado para que a população pudesse se adaptar à nova condição de circulação.
O Programa tem o objetivo aliviar os congestionamentos no período das 07h00 às 10h00 e das 17h00 às 20h00, restringindo a circulação dos veículos nas ruas e avenidas delimitadas internamente ao chamado Minianel Viário, de acordo com o final de placa e dia da semana.
A proibição estabelecida por finais de placas e por dia da semana é a que segue:
Dia da semana – Finais de Placa Proibidos
Segunda feira 1 e 2
Terça feira 3 e 4
Quarta feira 5 e 6
Quinta feira 7 e 8
Sexta feira 9 e 0
O perímetro do Minianel Viário é composto pela Marginal Tietê, Marginal Pinheiros, Ponte Engº. Ary Torres, Av. dos Bandeirantes, Av. Afonso D’Escragnolle Taunay, Túnel Maria Maluf, Av.Presidente Tancredo Neves, Av. das Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo, Av. Prof. Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Av. Salim Farah Maluf, Ponte do Tatuapé, retornando à Marginal Tietê.
Os automóveis devem obedecer ao rodízio na área interna e nas vias que compõem o Minianel Viário. Os caminhões estavam liberados para circulação nas vias que delimitam o perímetro do Minianel até 25/07/2008. A partir do dia 28/07/2008 estes também foram proibidos de transitar pelo Minianel e, tal como os automóveis, devem obedecer às mesmas regras de restrição de horários e final de placa, conforme estabelecido pelo Decreto 49.800/08.
2. CALENDÁRIO DO RODÍZIO – VIGÊNCIA ANUAL – DAS 07h00 ÀS 10h00 E DAS 17h00 ÀS 20h00
* 1997 – Período entre 06 e 10 de outubro – sem autuação;
* 1997 – Período entre 13 de outubro e 19 de dezembro;
* 1998 – Período de 02 de fevereiro a 30 de abril e
Período de 28 de setembro a 18 de dezembro;
* 1999 – Período de 01 de fevereiro a 30 de junho e
Período de 02 de julho a 17 de dezembro;
* 2000 – Período de 01 de fevereiro a 22 de dezembro;
* 2001 – Período de 02 de fevereiro a 21 de dezembro;
* 2002 – Período de 21 de janeiro a 20 de dezembro;
* 2003 – Período de 20 de janeiro a 19 de dezembro;
* 2004 – Período de 26 de janeiro a 21 de dezembro;
* 2005 – Período de 26 de janeiro a 23 de dezembro;
* 2006 – Período de 30 de janeiro a 22 de dezembro;
* 2007 – Período de 29 de janeiro a 29 de junho e
Período de 12 de julho a 21 de dezembro;
* 2008 – Período de 14 de janeiro a 23 de dezembro;
* 2009 – Período de 12 de janeiro a 23 de dezembro;
* 2010 – Período de 11 de janeiro a 23 de dezembro;
* 2011 – Período de 10 de janeiro a 23 de dezembro;
* 2012 – Período de 16 de janeiro a 21 de dezembro;
* 2013 – Período de 14 de janeiro a 24 de dezembro.
Em 1998, no período de 04 de maio a 25 de setembro, o Rodízio Municipal foi suspenso em função da vigência do Rodízio Estadual no horário das 07h00 às 20h00, obedecendo ao critério de final de placa e dia da semana.
3. ANÁLISE DOS RESULTADOS
3.1. ÍNDICE DE OBEDIÊNCIA
A avaliação da Operação Horário de Pico realizada em 2013 revela uma queda nos índices médios de obediência ao rodízio tanto no pico da manhã como da tarde em relação ao ano anterior. Os valores médios obtidos são 89% de obediência no pico manhã e 82% de obediência no pico tarde. Em 2012 esses índices foram de 90% e 84%, respectivamente, para os picos manhã e tarde.
A seguir, apresenta-se a série histórica dos índices de obediência ao rodízio desde sua implantação.
Índice de Obediência – Média Anual em 5 Locais Monitorados
Pico da Manhã – sentido Bairro/Centro
Pico da Tarde – sentido Centro/Bairro
ANO 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Manhã 91% 90% 88% 87% 86% 85% 84% 85% 87% 87% 88% 89% 89% 90% 90% 89%
Tarde 84% 84% 85% 82% 78% 80% 76% 77% 81% 81% 83% 84% 82% 84% 84% 82%
ÍNDICE DE OBEDIÊNCIA POR LOCAL PESQUISADO
Os resultados de 2013 por local monitorado indicam que os maiores índices de obediência no pico da manhã foram observados na Av. Alcântara Machado e na Av. Eusébio Matoso com 91% de veículos que respeitam o rodízio. A Av. Alcântara Machado e Av. Paulista apresentam o maior índice no período da tarde, com 86%.
Os locais que apresentaram menores índices de obediência no período da manhã em 2013 foram a Av. Santo Amaro com 86% e a Av. do Estado com 88%. Já no período da tarde neste ano, os menores índices de obediência foram na Av. Eusébio Matoso com 74% e a Av. Santo Amaro com 78%.
Índice de Obediência por Local – Média Anual
LOCAL
Av. do Estado Av. Eusébio Matoso Av. Santo Amaro Av. Paulista Av. Alcântara Machado
PERÍODO Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde
1998 89% 80% 92% 85% 91% 84% 92% 88% 91% 85%
1999 86% 78% 92% 85% 91% 84% 91% 88% 91% 86%
2000 78% 86% 92% 83% 88% 80% 90% 90% 91% 85%
2001 84% 76% 88% 82% 87% 82% 88% 85% 89% 83%
2002 83% 74% 88% 81% 85% 77% 86% 87% 87% 73%
2003 80% 75% 88% 80% 84% 77% 83% 85% 88% 81%
2004 81% 69% 88% 74% 84% 75% 82% 82% 87% 80%
2005 80% 68% 88% 81% 84% 75% 82% 82% 89% 81%
2006 79% 73% 91% 82% 87% 80% 86% 85% 90% 83%
2007 83% 74% 90% 84% 86% 78% 87% 85% 90% 83%
2008 83% 76% 90% 84% 87% 81% 87% 88% 92% 84%
2009 87% 77% 91% 85% 89% 83% 88% 89% 92% 84%
2010 85% 79% 91% 80% 87% 82% 89% 87% 91% 80%
2011 89% 80% 92% 81% 89% 83% 89% 88% 92% 87%
2012 90% 84% 93% 81% 87% 83% 89% 89% 92% 85%
2013 88% 85% 91% 74% 86% 78% 89% 86% 91% 86%
Outro resultado importante é o índice que mostra a parcela de motoristas que nos dias do rodízio antecipam a sua viagem para o período das 6h30 às 7h00. Em 2013 o índice médio deste horário ficou em 19%, uma pequena elevação em relação ao ano anterior. No horário 10h00 às 11h00 o índice de participação do grupo em restrição foi de 18%, valor que representa uma queda de 2% em relação a 2012. No horário das 16h00 às 17h00, os índices de participação do grupo em restrição apresentaram uma elevação, voltando ao índice de 2011, com 19%.
ANO 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
06:30 às 07:00 24% 24% 24% 24% 23% 22% 22% 22% 20% 19% 18% 19%
10:00 às 11:00 21% 22% 22% 21% 21% 21% 21% 21% 20% 20% 20% 18%
16:00 às 17:00 20% 20% 20% 20% 20% 20% 20% 19% 19% 19% 18% 19%
ÍNDICE DE OBEDIÊNCIA NA PRIMEIRA MEIA HORA
Este indicador de obediência ao rodízio refere-se ao índice de obediência das primeiras meias horas de cada período proibido.

Estes dados, que foram sistematizados a partir de 2003, mostram que o índice de obediência é sempre menor na primeira meia hora de restrição de cada pico (das 7h00 às 7h30 e das 17h00 às 17h30).
Análises mais detalhadas sobre os índices revelam que em 2013 houve também uma diminuição nos índices médios de obediência nas primeiras meias horas de cada período proibido em relação ao ano de 2012, passando de 85% para 83% no pico da manhã e de 76% para 73% no pico da tarde.
Índice de Obediência na primeira meia hora – Média Anual
PERÍODO
HORÁRIO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
Primeira meia hora manhã (07:00 às 07:30) 74% 74% 75% 80% 79% 80% 84% 82% 84% 85% 83%
Primeira meia hora tarde (17:00 às 17:30) 68% 63% 65% 70% 69% 72% 73% 72% 74% 76% 73%

ÍNDICE DE PARTICIPAÇÃO DO GRUPO EM RESTRIÇÃO
Parte-se do pressuposto que o rodízio retira de circulação 20% da frota de veículos diariamente nos horários de pico. Um porcentual acima de 20% como índice de participação do grupo de restrição (veículos com placas proibidas de circular), em horários imediatamente antes ou após o proibido, indica que o motorista decidiu antecipar ou postergar a sua viagem.
De 2003 até 2006 os resultados se mantiveram praticamente inalterados, com destaque para o horário das 6h30 às 7h00 que apresentava as médias mais elevadas, o que caracterizava antecipação do horário da viagem.
Porém, a partir de 2007 os índices mostram uma tendência de queda até chegar ao mais baixo valor de toda a série histórica em 2012, com 18% de participação de veículos em restrição tanto no horário das 6h30 às 7h00 como no horário das 16h00 às 17h00. Em 2013 o índice médio do horário das 6h30 às 7h00 ficou em 19%, uma pequena elevação em relação ao ano anterior. No horário 10h00 às 11h00 observa-se que a participação de 20% dos veículos em restrição manteve-se inalterada de 2010 a 2012, porém em 2013 houve uma queda de 2% apresentando o menor valor na série histórica que foi de 18%. Já no horário das 16h00 às 17h00, os índices de participação do grupo em restrição apresentaram uma pequena elevação, voltando ao índice de 2011, com 19%.
Participação do Grupo em Restrição – Média Anual
HORÁRIO 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
06:30 às 07:00 24% 24% 24% 23% 22% 22% 22% 20% 19% 18% 19%
10:00 às 11:00 22% 22% 21% 21% 21% 21% 21% 20% 20% 20% 18%
16:00 às 17:00 20% 20% 20% 20% 20% 20% 19% 18% 19% 18% 19%

3.2. VOLUME VEICULAR MÉDIO DA HORA PICO ÁREA INTERNA AO MINIANEL VIÁRIO

Comparando os resultados obtidos antes da implantação do rodízio, verifica-se que nos anos analisados na série histórica no período da manhã, somente no ano de 2003 houve um volume superior ao ano de 1997. No ano de 2013 observa-se uma variação de -8% em relação ao volume “antes do rodízio”, resultado similar ao verificado no ano anterior.
Já para o período da tarde, observa-se uma queda no volume a partir de 2009 e a continuidade dessa tendência de queda em 2013, registrando o menor valor da série histórica, com uma variação de -10% em relação ao volume “antes do rodízio”.
ÁREA EXTERNA AO MINIANEL VIÁRIO
O volume veicular médio na área externa à restrição em apresentou uma redução nos dois períodos em relação ao volume apurado no ano de 2012. Comparado ao período de préimplantação em 1997 foi observada queda de -8% no período da manhã e o aumento de +8% no pico da tarde.
Volume Veicular Médio da Hora Pico
ANO ÁREA INTERNA AO MINIANEL
(5 PONTOS PESQUISADOS) ÁREA EXTERNA AO MINIANEL
(3 PONT0S PESQUISADOS)
MANHÃ TARDE MANHÃ TARDE
1997* 3.661 3.743 3.959 3.851
2003 3.690 4.113 4.002 4.235
2004 3.566 3.816 3.912 4.117
2005 3.389 3.758 3.825 4.076
2006 3.412 3.863 3.837 4.188
2007 3.377 4.120 4.049 4.462
2008 3.355 3.746 4.231 4.323
2009 3.296 3.587 4.069 4.164
2010 3.491 3.570 4.561 4.451
2011 3.363 3.628 4.266 4.433
2012 3.364 3.510 4.149 4.405
2013 3.380 3.363 3.634 4.167
*Antes do Rodízio

3.3. TEMPO DE PERCURSO E VELOCIDADE MÉDIA DO TRÁFEGO GERAL

Desde o início da Operação Horário de Pico a velocidade do tráfego geral no corredor Consolação/Rebouças/Eusébio Matoso vem sendo monitorada, o que possibilita a análise das variações de velocidade ao longo do tempo neste corredor.

Em 2013 foram coletadas amostras de seis dias em períodos distintos do ano para obter as variações de velocidade, e gerar uma média anual da velocidade deste corredor. A monitoração é realizada durante o período de restrição e uma hora após no pico manhã e uma hora antes da restrição no pico tarde.
É relevante informar que a partir de setembro de 2004 este corredor sofreu alterações na sua característica de trânsito e de operação, devido à implantação do corredor de ônibus Campo Limpo/Rebouças/Centro.
Período da manhã
Em 2013 a média de velocidade no horário proibido (das 7h00 às 10h00) foi de 21,0 km/h, significando uma queda em relação ao ano anterior.
No horário permitido (das 10h00 às 11h00), a média de velocidade foi de 16,3 km/h, uma pequena elevação em relação ao ano anterior quando foi apurada a menor velocidade em toda a série histórica neste horário.
Observa-se, nos resultados obtidos ao longo dos anos de pesquisa, que neste corredor a média da velocidade entre 10h00 e 11h00 é menor do que no período considerado pico da manhã (7h00 às 10h00).
Período da tarde
O resultado da média de velocidade no horário proibido (17h00 às 20h00) em 2013 foi de 6,9 km/h, indicando indicando uma uma queda significativa e a menor velocidade de toda a série histórica.
No horário permitido (16h00 às 17h00) a velocidade média foi de 7,9 km/h, resultado similar ao período proibido neste ano, quando foram registrados os patamares mais baixos da série histórica.
VELOCIDADE MÉDIA ANUAL (km/h)
ANO HORÁRIO PROIBIDO km/h HORÁRIO PERMITIDO km/h
Manhã 07:00/10:00 Tarde 17:00/20:00 Manhã 10:00/11:00 Tarde 16:00/17:00
1997* 18,6 17,5 – –
1998 23,0 16,8 19,7 16,9
1999 23,0 17,1 20,3 18,9
2000 23,5 19,9 22,1 20,0
2001 21,7 17,9 18,5 21,2
2002 23,4 14,6 21,5 16,9
2003 19,4 16,1 17,1 18,1
2004 18,5 12,0 18,1 17,2
2005 19,0 15,4 16,7 18,2
2006 20,0 14,4 14,4 16,0
2007 16,6 13,5 15,1 18,1
2008 19,0 13,5 15,5 18,9
2009 18,7 11,7 16,5 16,1
2010 18,0 11,7 15,4 15,9
2011 20,6 7,6 15,8 11,0
2012 23,3 9,7 13,6 11,7
2013 21,0 6,9 16,3 7,9
*Antes do Rodízio

VELOCIDADE MÉDIA DO TRÁFEGO GERAL

Quanto às velocidades obtidas a partir dos PACs – Postos Avançados de Campo, utilizando uma metodologia diferente do veículo teste e que também monitoram a lentidão na cidade, os resultados foram os seguintes:
Vias de trânsito rápido
Comparativamente ao ano de 2012, em 2013 a velocidade média do pico da manhã apresentou um aumento passando de 42 km/h para 52 km/h, o que significa um aumento de 25%. Já no pico da tarde, a redução da velocidade média foi de 20%, passando de 22 km/h para 18 km/h.
Vias arteriais
Nestas vias, os resultados de 2013 exibiram valores um pouco mais altos em relação ao ano anterior. No pico da manhã a velocidade média obtida foi de 26 km/h, aumento de 12%, e no pico da tarde a velocidade média foi de 16 km/h, um aumento de 3%.
VELOCIDADE MÉDIA DO TRÁFEGO GERAL (km/h)
ANO VIAS DE TRÂNSITO RÁPIDO VIAS ARTERIAIS
Manhã 07:00/10:00 Tarde 17:00/20:00 Manhã 07:00/10:00 Tarde 17:00/20:00
1997* 45 31 18 19
1998 51 31 20 18
1999 52 32 19 22
2000 44 32 16 21
2001 41 30 16 20
2002 42 29 17 20
2003 45 30 21 25
2004 40 19 24 22
2005 43 19 27 22
2006 38 22 23 18
2007 33 26 21 17
2008 38 20 24 15
2009 36 14 24 16
2010 39 20 26 16
2011 48 26 26 17
2012 42 22 23 15
2013 52 18 26 16
*Antes do Rodízio
3.4. LENTIDÃO
A análise comparativa das médias da lentidão anual foi realizada levando-se em consideração os dados dos anos de 2008 a 2013 devido à mudança, a partir de 2007, da extensão das vias monitoradas.
As análises indicam que em 2013 as maiores lentidões do dia concentram-se no pico da tarde, atingindo seu ápice às 19h00, com valores médios de 135 km, 12% maior que no ano de 2012, que apresentou média de lentidão de 120 km.
Agregando as extensões de lentidão média por período observa-se que no período da manhã (07h00 às 10h00) houve uma diminuição de 12% na média da lentidão em comparação ao ano anterior, ficando em 60 km. No período entre os picos (horário das 10h30 às 16h30) a média da lentidão foi de 50 km, o que significa um aumento de 9% em relação a 2012. Já no pico da tarde (das 17h00 às 20h00) a média da lentidão foi de 110 km, um aumento de 20% quando comparada à média para o horário de 2012.
Na análise dos dados observa-se que no ano anterior, a média de lentidão resultou em aumento em todos os horários. Já em 2013, somente o período da manhã apresentou uma redução da lentidão, sendo que as médias de lentidão apuradas nos períodos entre pico e tarde continuam com a tendência de elevação.
LENTIDÃO GERAL DA CIDADE – (MÉDIA ANUAL EM KM)
HORÁRIO (07:00 às 20:00)
ANO 07:00 07:30 08:00 08:30 09:00 09:30 10:00 10:30 11:00 11:30 12:00 12:30 13:00 13:30 14:00 14:30 15:00 15:30 16:00 16:30 17:00 17:30 18:00 18:30 19:00 19:30 20:00
2008 28 54 72 82 89 83 68 61 59 56 52 47 43 38 39 43 48 53 58 69 86 94 109 127 141 126 87
2009 27 44 62 72 82 79 64 57 57 54 50 44 42 38 37 39 44 48 53 63 76 85 99 115 131 120 84
2010 25 41 59 70 78 75 60 52 47 41 37 34 32 29 29 29 32 33 35 42 53 65 79 97 108 94 61
2011 25 43 60 69 77 73 57 50 44 37 31 26 23 20 19 20 22 24 27 35 52 64 80 97 107 86 49
2012 28 46 66 78 89 89 79 70 66 60 50 43 37 33 32 33 35 38 47 55 74 81 95 110 120 103 62
2013 24 41 56 68 77 79 74 68 65 59 51 45 41 37 36 37 41 45 55 69 92 103 115 127 135 119 82

LENTIDÃO GERAL DA CIDADE – (MÉDIA ANUAL EM KM)
COMPARATIVO ENTRE OS PERÍODOS DO DIA
ANO PERÍODO DO DIA
PICO MANHÃ (7:00 às 10:00) ENTRE PICO (10:30 às 16:30) PICO TARDE (17:00 às 20:00)
2008 68 51 110
2009 61 48 101
2010 53 36 80
2012 68 46 92
2013 60 50 110
3.5. ÍNDICE DE MOTORIZAÇÃO
Os dados da frota de veículos da capital paulista fornecidos pelo DETRAN – Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo – indicam que em dezembro de 2013 a cidade de São Paulo apresentava mais de 7,5 milhões de veículos registrados, e dados obtidos pelo SEADE – Sistema Estadual de Análise de Dados – revelavam uma população de pouco mais de 11 milhões de habitantes, o que resulta em uma taxa de motorização de 66,2 veículos para cada 100 habitantes. Quando a Operação Horário de Pico foi instituída, em outubro de 1997, eram 46,2 veículos para cada 100 habitantes. O índice de motorização apresentou um aumento de 43,3% de 1997 para 2013.
Cabe destacar que, no período de vigência da Operação Horário de Pico, o crescimento da frota foi proporcionalmente muito superior ao da população. Enquanto a população aumentou 12,9% de 1997 a 2013, a frota registrada na capital apresentou um incremento de 61,9%.
EVOLUÇÃO DO ÍNDICE DE MOTORIZAÇÃO
ANO POPULAÇÃO FROTA REGISTRADA ÍNDICE DE MOTORIZAÇÃO* (Veíc./100 hab.)
1990 9.512.545 3.421.059 36,0
1991 9.610.659 3.614.799 37,6
1992 9.690.419 3.823.772 39,5
1993 9.774.322 4.092.730 41,9
1994 9.864.512 4.404.616 44,7
1995 9.952.805 4.529.929 45,5
1996 10.040.370 4.671.362 46,5
1997 10.134.220 4.680.012 46,2
1998 10.233.627 4.790.897 46,8
1999 10.333.057 4.880.019 47,2
2000 10.426.384 5.128.234 49,2
2001 10.508.218 5.318.888 50,5
2002 10.552.311 5.491.811 51,7
2003 10.615.844 5.649.318 52,8
2004 10.679.760 5.807.160 53,9
2005 10.744.060 5.332.582 49,1
2006 10.789.058 5.614.084 51,3
2007 10.834.244 5.962.512 54,1
2008 10.940.311 6.369.581 57,4
2009 10.998.813 6.705.024 60,0
2010 11.239.372 6.954.750 61,8
2011 11.337.021 7.186.724 63,5
2012 11.379.114 7.363.210 64,7
2013 11.446.275 7.557.216 66,2
Fonte: – População: SEADE – Informações dos Municípios Paulistas;
Frota: DETRAN/SP
4. CONCLUSÕES
A avaliação da Operação Horário de Pico realizada em 2013 revela uma queda nos índices médios de obediência ao rodízio tanto no pico da manhã como da tarde. Os valores médios obtidos são 89% de obediência no pico manhã e 82% de obediência no pico tarde. Em 2012 esses índices foram de 90% e 84%, respectivamente, para os picos manhã e tarde.
Análises mais detalhadas sobre os índices revelam que em 2013 houve também uma diminuição nos índices médios de obediência nas primeiras meias horas de cada período proibido em relação ao ano de 2012, passando de 85% para 83% no pico da manhã e de 76% para 73% no pico da tarde. Estes resultados mostram que, após um período de aumento nos índices médios de obediência, os valores retornaram a patamares observados nos anos anteriores a 2011.
Os resultados de 2013 por local monitorado indicam que os maiores índices de obediência no pico da manhã foram observados na Av. Alcântara Machado e na Av. Eusébio Matoso com 91% de veículos que respeitam o rodízio. A Av. Alcântara Machado e Av. Paulista apresentam o maior índice no período da tarde, com 86%.
Os locais que apresentaram menores índices de obediência no período da manhã em 2013 foram a Av. Santo Amaro com 86% e a Av. do Estado com 88%. Já no período da tarde neste ano, os menores índices de obediência foram na Av. Eusébio Matoso com 74% e a Av. Santo Amaro com 78%.
Outro resultado importante é o índice que mostra a parcela de motoristas que nos dias do rodízio antecipam a sua viagem para o período das 6h30 às 7h00. Em 2013 o índice médio deste horário ficou em 19%, uma pequena elevação em relação ao ano anterior. No horário 10h00 às 11h00 o índice de participação do grupo em restrição foi de 18%, valor que representa uma queda de 2%. No horário das 16h00 às 17h00, os índices de participação do grupo em restrição apresentaram uma elevação, voltando ao índice de 2011, com 19%.
Com relação ao volume médio de veículos na hora pico que trafegam pelos locais pesquisados, constata-se que a área interna ao Minianel viário ainda apresenta volume veicular médio inferior ao período pré-implantação da Operação Horário de Pico.
Os resultados da velocidade média no corredor monitorado Consolação/Rebouças/Eusébio Matoso indicam, em relação ao ano anterior, uma diminuição na média da velocidade do período da manhã restrito (7h00 às 10h00) de 23,3 km/h em 2012 para 21,0 km/h em 2013. No período permitido (10h00 às 11h00) a velocidade apresentou um aumento passando de 13,6 km/h em 2012 para 16,3 km/h em 2013.
No período da tarde, os resultados da média da velocidade no horário proibido (17h00 às 20h00) indicaram, comparados aos valores obtidos em 2012, uma queda significativa com a obtenção de 6,9 km/h, o menor valor de toda a série histórica.
O mesmo ocorreu com o horário permitido do pico tarde (16h00 às 17h00), no qual a velocidade média de 2013 foi de 7,9 km/h contra 11,7 km/h em 2012.

Após ser observada no ano de 2012 uma elevação nos índices de lentidão da geral na cidade, os valores apurados em 2013 indicam uma redução no período da manhã e parte do entre pico, abrangendo o horário das 07h00 às 11h30. Porém, no restante do dia, houve elevação da lentidão em todos os horários. Este aumento nos índices de lentidão pode estar relacionado com a alta taxa de crescimento da frota registrada na cidade e possível mudança dos padrões de viagem.
Os dados da frota são utilizados para o cálculo do índice de motorização e em 2013 foi apurada a tendência crescente do indicador, alcançando a proporção de 66,2 veículos para cada 100 habitantes.
Conforme previsto em Lei, desde o início da implantação do rodízio municipal têm sido produzidas pesquisas para monitoração da medida através de indicadores.
A fim de acompanhar a dinâmica da Cidade, esses indicadores vêm passando por pequenos ajustes ao longo da série histórica elaborada nestes 16 anos. Desta forma, para a próxima avaliação da Operação Horário de Pico estão previstos alguns ajustes metodológicos.

Para a 17ª Avaliação do ano de 2014 ficam mantidos os monitoramentos dos indicadores de obediência, lentidão e motorização.
Deixam de serem coletados os dados de volume médio das áreas interna e externa e velocidade do corredor Consolação/ Rebouças/Eusébio. No lugar desse serão considerados os desempenhos de velocidade de Corredores na área central e em quatro regiões da cidade.
Identifica-se também que é importante e oportuna a realização de pesquisa de comportamento com entrevista de motoristas em dia de rodízio. Desta forma espera-se obter novos subsídios para o estudo das questões de mobilidade na Cidade de São Paulo.
A Operação Horário de Pico é reconhecida como uma medida necessária ao controle do tráfego e que está incorporada à rotina dos condutores de veículos da cidade. Os resultados obtidos na monitoração anual mostram que a grande maioria dos condutores continua obedecendo à restrição ao trânsito de veículos.
CET
Abril/Maio 2014
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

8 comentários em Faixas foram mais eficientes que vários corredores e aumento da frota de carros reduziu benefícios do rodízio

  1. Sergio Pereira // 8 de Maio de 2014 às 00:16 // Responder

    Adamo, o relatório da CET trata do corredor viário da Rebouças, e não do corredor de ônibus. Portanto as velocidades são relativas ao tráfego geral, não da pista exclusiva. O corredor de ônibus foi implantado em 2004, no entanto a série da CET começa em 1997. Além disso, os ônibus não participam do rodízio, por isso não poderiam ser usados para a avaliação desta medida, concorda? Obrigado

    • Mas a CET em seu estudo fez um “recorte” sobre o desempenho dos ônibus, que traz estes dados. O mais interessante é que a velocidade de carros e ônibus no referido trecho é semelhante, o que reforça a necessidade de aprimoramento deste espaço exclusivo ao transporte coletivo.

  2. professor pardal revoltado // 8 de Maio de 2014 às 00:39 // Responder

    Sou a favor do PEDÁGIO URBANO, tinha que se PAGAR para entrar no CENTRO EXPANDIDO e direcionar o valor para TRANSPORTE COLETIVO, rapidinho construiriam 5 a 6 obras do metrô simultaneamente se houvesse vontade politica.

    • André Marianno // 8 de Maio de 2014 às 11:47 // Responder

      Vontade de colocar pedágio eles têm, e muita, mas graças a Deus não colocam, se não o dinheiro ia para qualquer coisa, menos para o transporte coletivo, pode ter certeza.

    • Para que pedágio urbano? Para aumentar ainda mais os casos de desvios de recursos como fazia como a do IPTU? Ou o cartel dos trens do metro? Além do mais já pagamos inumeros pedágios urbanos, por exemplo para flanelinhas.

  3. Pardal nao adianta pedagio no centro expandido se nos bairros seria mais transito ainda ja que nao pagaria nada,ja o dinheiro ninguem sabe pra onde iria realmente e vontade politica sabe que nunca teremos,interesse sim sempre ha.

  4. vou te falar esta faixas que foram colocadas nos bairros mais distantes como aqui mesmo na z leste ninguem respeita ragueb choffi mesmo só por deus a faixa das 06:00 ÁS 20:00 VAI LÁ VER SE ALGUEM RESPEITA ALGUMA COISA ali na delegacia de s mateus cheia de carro na faixa ,na ragueb nem se fala e td hora carro andando na faixa ,na jacu pessego só por deus ,ai complica mais a linha 354m ja é caus agora esta mais ,sem contar base da policia na jacu pessego proximo hospital sto expedito colocaram clones fechando a faixa de ônibus ,atrapalhando td ,fora os caminhões que quebram fica na direita ,é complicado .vem fazer uma pesquisar aqui neste ugares que mencionei pra ver se adianta alguma coisa é dificil mais temos que acreditar

  5. ainda bem que já estão fazendo uma faixa de Ônibus na avenida dona Belmira marin, estão alargando a avenida para isso.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: