Brasileiros aprovam subsídios para transportes, diz pesquisa inédita

ônibus

Ônibus interurbano. Pesquisa revela que é baixa a satisfação do brasileiro sobre os transportes, mas que a população não se importa em pagar se houver qualidade e defende subsídios. Foto: Adamo Bazani.

Brasileiros aprovam subsídios para transportes
Pesquisa sobre a qualidade dos serviços no País revela que há muito o que ser melhorado na mobilidade urbana. Gratuidade nas tarifas é desejo de pouco mais da metade dos entrevistados
ADAMO BAZANI – CBN
Definitivamente os serviços públicos e os serviços privados não estão satisfazendo os brasileiros.
De acordo com pesquisa inédita divulgada nesta quinta-feira, dia 24 de abril de 2014, apenas 39,5% dos brasileiros aprovam os serviços públicos. A aprovação dos serviços privados não é muito maior: 51%.
A pesquisa foi realizada pelo CIP – Centro de Inteligência Padrão, do Grupo de Mídia Padrão, e pelo Instituto Data Popular e ouviu ao longo do mês de março três mil pessoas de várias classes sociais em 53 cidades de todas as regiões do país.
Os serviços de transportes coletivos foram mal avaliados, com apenas 38,7% de aprovação, o que revela, segundo Roberto Meir, especialista internacional em Relações de Consumo, e um dos organizadores da pesquisa, a necessidade de mais investimentos e prioridade para a mobilidade urbana.
No entanto, a pesquisa mostra um cenário interessante: a percepção do brasileiro em relação ao financiamento do transporte.
De acordo com os dados, 56% acham que o transporte deve ser gratuito, número bem inferior, por exemplo, aos 91% que defendem gratuidade nos atendimentos em hospitais, na educação básica (ensino básico e fundamental) e nas creches. A pesquisa mostra ainda que 84% defendem que os remédios sejam gratuitos.
Para os três mil entrevistados, 32% acham que o estado deve bancar metade dos custos dos transportes, isso pode ser em forma de subsídios diretos, isenções fiscais ou outro tipo de participação do poder público.
Já 10% acreditam que a população deveria bancar tudo.
A percepção dos brasileiros mostra o que o setor de transportes vem defendendo há vários anos. Se houver incentivos para um serviço que beneficia a sociedade como um todo, as passagens poderiam ser mais baixas e a qualidade superior.
Isso corrigiria a distorção atual pela qual todo o custo da tarifa recai sobre o passageiro pagante, que hoje, inclusive, banca as gratuidades.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: