Tarifa em Curitiba e região metropolitana ainda promete discussões tensas

ônibus

Ônibus em Curitiba. Semanas após o Carnaval prometem negociações acirradas entre Governo do Estado e Prefeitura quanto aos valores das tarifas e subsídios às integrações.

Reajuste da tarifa técnica de Curitiba é adiado após convênio
Nos próximos quinze dias, prefeitura e estado vão negociar subsídios para integrações com ônibus metropolitanos
ADAMO BAZANI – CBN
As próximas duas semanas após o Carnaval prometem negociações tensas entre a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado do Paraná por causa das tarifas de ônibus.
Na última sexta-feira, a Comec – Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, órgão do Governo Estadual, e a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., autarquia municipal, renovaram o convênio por mais 15 dias, o que mantém a tarifa técnica, que representa os custos do sistema por passageiro, a R$ 2,99. Já a tarifa social, paga pelos usuários do sistema, é de R$ 2,70.
De acordo com o contrato de licitação de 2010, assinado com as empresas de ônibus municipais de Curitiba, os reajustes devem ser anuais e aplicados em 26 de fevereiro.
Mas a tarifa não é apenas municipal. A RIT – Rede Integrada de Transporte engloba 13 municípios que possuem o mesmo valor de passagens e permitem a transferência gratuita entre os ônibus das diferentes cidades.
O Governo do Estado anunciou na semana passada a liberação neste ano de R$ 80 milhões para subsidiar as integrações. Segundo o governador Beto Richa, R$ 10 milhões foram liberados em janeiro e fevereiro, R$ 5 milhões serão repassados diretamente para a Urbs por mês e o restante será proveniente da desoneração do ICMS sobre o diesel dos ônibus.
Ocorre que o prefeito Gustavo Fruet afirmou que os R$ 5 milhões de depósitos diretos por mês são “insuficientes”, versão contestada pelo Estado.
Fruet disse que apenas os serviços municipais poderiam ser custeados com a tarifa social de R$ 2,70, mas que as linhas metropolitanas precisam de subsídios.
Para o prefeito, o valor mínimo para garantir as integrações no ano é de R$ 100 milhões, superior aos R$ 80 milhões anunciados pelo Estado.
As tarifas em Curitiba e região metropolitana extrapolaram a esfera administrativa já ganharam a Justiça.
O TCE – Tribunal de Contas do Estado do Paraná, depois de estudos, concluiu que a tarifa técnica poderia ser reduzida em até R$ 0,43, alterando a metodologia de cálculo e reduzindo custos de gerenciamento público.
As empresas de ônibus conseguiram uma liminar na Justiça estadual impedindo provisoriamente que a recomendação do TCE fosse colocada em prática.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

1 comentário em Tarifa em Curitiba e região metropolitana ainda promete discussões tensas

  1. Amigos, boa noite.

    Na hora de fazer cortesia com chapeu alheio com subsideos e o escambal, aumentar o diesel em 8% e subir todos os precos no supermercado e facil.

    Porque na hora de desembolsar o subsidio e tanta chroradeira.

    E se tudo aumenta porque o buzao nao aumenta?

    Pra acabar com esse samba, apesar de hoje ser carnaval, estatiza o buzao no Brasil inteiro, nao aumenta tarifa, enche de cargo comissionados daqui ha 20 anos ainda estaremos andando de Apachezinho 2004, totalmente re re re re re re re re re formado nas oficinas das CMTC’s de cada estado e municipio.

    Com essa mentalidade e para isso que caminhamos.

    Alguem duvida ?????????????

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: