Banco Caruana, que financia ônibus para o grupo de Baltazar, é estopim de possibilidade de greve de ônibus em Manaus

ônibus greve

Motoristas e cobradores em assembleia na garagem da empresa Auto Ônibus Líder , em Manaus, ameaçam fazer greve. Não pagamento de horas extras e insatisfação com o Banco Caruana são os principais motivos. Instituição financeira também teve o nome citado na polêmica mudança dos transportes em Mauá, no ABC Paulista. Movimentos sociais dizem que ato da prefeitura permite o restabelecimento do monopólio do grupo ligado a Baltazar José de Sousa, que também conta com os serviços do banco e atuou em Manaus

Banco Caruana, que financia ônibus para o Grupo de Baltazar, é estopim de ameaça de greve em Manaus
Motorista e Cobradores denunciam que instituição financeira cobra taxas e faz descontos abusivos nos salários. Banco teve nome relacionado a polêmica mudança dos transportes de Mauá, no ABC Paulista
ADAMO BAZANI – CBN
A Justiça do Trabalho em Manaus determinou que ao menos 70% da frota de ônibus sejam colocados nas ruas nos horários de pico caso o sindicato dos rodoviários realize uma greve nesta segunda-feira, dia 10 de fevereiro de 2014.
Os trabalhadores pedem a atualização do banco de horas, a compensação de horas cumpridas e não pagas e a retirada do banco Caruana que presta serviços à empresa Líder Transportes, uma das concessionárias da capital do Amazonas.
O Banco Caruana é envolvido em outras polêmicas no setor de transportes. Em Mauá, na Grande São Paulo, a instituição que financia ônibus para o grupo de empresários ligado a Baltazar José de Sousa, que deteve o monopólio dos transportes na cidade por cerca de 30 anos, é apontada por representantes de movimentos sociais por estar supostamente relacionada à decisão do prefeito Donisete Braga em reformular os transportes na cidade e retirar a operadora Leblon Transporte de Passageiros do município.
Para os movimentos sociais, a mudança adotada pelo prefeito Donisete Braga é uma forma de restabelecer o monopólio de forma disfarçada ao grupo de empresários ligados a Baltazar.
De acordo com documentos apresentados na Câmara Municipal de Mauá em dezembro, pelo ativista Rafael Rodrigues, a família controladora do Caruana tem ligações com Baltazar e com a Suzantur, empresa contratada emergencialmente pela prefeitura de Mauá para assumir os transportes no lugar da Viação Cidade de Mauá, de Baltazar, que está em processo de recuperação judicial, e da Leblon, companhia paranaense da família Isaak.
A Viação Cidade de Mauá está em processo de recuperação judicial referente à empresa Soltur – Solimões Transportes e Turismo, de Baltazar, em Manaus, mesma cidade onde o Caruana presta serviços financeiros para empresas de ônibus.
O banco e a Suzantur negam relação e o prefeito Donisete Braga nega perseguição a empresas de ônibus e diz que quer melhorar a mobilidade na cidade.
Leblon e Viação Cidade de Mauá são acusadas de fazerem supostas consultas sem autorização a dados de bilhetagem eletrônica. O caso é contestado na Justiça e não é consenso nem mesmo no paço municipal. A procuradora da cidade, Thaís de Almeida Mianna, entendeu que não houve invasão ao sistema de bilhetagem controlado pela PK -9 e as consultas foram treinadas e autorizadas pelo paço. Ela recomendou a realização de uma nova sindicância, mas o prefeito Donisete Braga e o secretário de Mobilidade Urbana, Paulo Eugênio, ignoraram a recomendação.
Em Mauá, o Caruana realizava os pagamentos dos funcionários de Baltazar, desde a época da Viação Barão de Mauá e Viação Januária. Os funcionários tinham uma espécie de cartão de crédito do Caruana.
No Amazonas, os trabalhadores se queixam de taxas abusivas do Caruana e descontos não previstos em lei. A empresa de ônibus Líder, que conta com os serviços do banco de José Garcia Netto, o Netinho, nega conduta abusiva do Caruana.
Acompanhe reportagem do portal D24M – http://www.d24am.com/noticias/amazonas/liminar-obriga-que-70-da-frota-de-onibus-circule-na-segundafeira/105942

Caruana

Banco Caruana teve o nome envolvido na polêmica mudança nos transportes de Mauá promovida pelo prefeito Donisete Braga e pelo secretário de mobilidade urbana, Paulo Eugênio Pereira. Banco financia ônibus para empresas de grupos ligados a Baltazar José de Sousa que deteve o monopólio dos transportes por cerca de 30 anos na cidade. Banco financiou ônibus da Estrela de Mauá, fundada por Baltazar e de David Barione Neto, cujos ônibus agora operam pela emergencial Suzantur contratada pela administração de Donisete.

Manaus – Liminar concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na última sexta-feira (7),em favor do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) obriga que as empresas do sistema de transporte coletivo de Manaus operem com 70% da frota, caso o Sindicato dos Rodoviários tente fechar garagens de empresas de ônibus nesta segunda-feira.
No documento, o desembargador do Trabalho da 11ª Região, David Alves de Melo, determinou que o Sindicato dos Rodoviários deve manter 70% dos trabalhadores em atividade durante os horário de pico, pela manhã, de 6h às 9h, e a tarde no intervalo de 17h às 20h. Para os demais horários, ele estabeleceu um percentual de 30%.
“Destacamos que a liminar estabelece que 70% de cada linha operem e não de cada empresa. Algumas lideranças dos rodoviários estão deturpando as informações, e estão querendo parar 70%, o que vai de encontro a liminar estabelecida pelo desembargador”, explica o assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges.
Se a liminar for descumprida, o Sindicato dos Rodoviários poderá ser multado em R$ 50 mil por hora de paralisação. Além disso, os manifestantes devem ficar cerca de 50 metros longe das garagens.
O documento apresentado pelos rodoviários como pauta de greve é a compensação de horas aos trabalhadores, a atualização do banco de horas e a retirada de uma empresa de serviços financeiros, que presta serviço à empresa Líder Transportes.
“Eles querem adiantar a pauta da Convenção Coletiva que tem como data base até o dia 1º de maio para ser discutida. Em relação à empresa de serviços financeiros que atua na Líder, isso pode ser resolvido sem que haja greve. Não há fundamentos lógicos para uma greve. O transporte coletivo é um mecanismo essencial que garante o direito, de ir e vir, de trabalhadores e estudantes que dependem dele”, ressalta Borges.
Líder garante que funcionários recebem salário sem descontos
A Auto Ônibus Líder ressalta que as denúncias referentes ao Banco Caruana, que efetua o pagamento dos colaboradores da empresa, são infundadas. Nas últimas semanas o Sindicato dos Rodoviários especulou algumas informações de que o banco têm taxas abusivas, o que é contestado pela direção da empresa.
“Os salário dos trabalhadores são pagos em dia, e todo o valor depositado é sacado por eles, sem desconto algum. Nossa empresa não iria compactuar com esse tipo de situação, não é da nossa índole prejudicar o nosso colaborador. Essas informações que os rodoviários estão plantando não são verdades”, garante o diretor.
Ainda de acordo com diretor, caso as acusações contra a empresa e ao banco persistam, as devidas providências serão tomadas.

13 comentários em Banco Caruana, que financia ônibus para o grupo de Baltazar, é estopim de possibilidade de greve de ônibus em Manaus

  1. Que empresas de Manaus são do Baltazar?

  2. Luís Marcello Gallo // 10 de Fevereiro de 2014 às 01:10 // Responder

    Ádamo, boa noite.
    Depois de tantas idas e vindas, que fim levaram a Leblon e a Suzantur em Mauá? Acabei me perdendo…
    Atenciosamente,
    Luís Marcello Gallo.
    Enviado pelo meu aparelho BlackBerry® da Vivo

  3. justica sendo feita contra a tribo de Baltazar, e so os motoristas mesmo p fazer justica. alias nao eh possivel q todo mundo ta forjando ‘taxas e descontos abusivos pró Caruana’

  4. Uepaaa!!! eu também tenho problemas com a CARUANA aqui em Santo André. Invalidei cartão de credito, estava eu pagando os juros, e ao invés de reduzir, aumentava..
    Sendo isso desde 2008, de 2.200,00 com pagamentos de 150,00 de parcela mensal, em 6 meses está por 2.000 ???

  5. Impressionante a pilantragem que está ocorrendo nos transportes de várias cidades envolvendo empresas de ônibus, bancos e as prefeituras que também são “sócias” desta pilantragem. Para você terem uma idéia, na “cidade modelo” a URBS cobrar 4% de taxa de gerenciamento !!! PQP ! Não é a prefeitura de Curitiba que deveria pagar o salário dos funcionários publicos da URBS ? Esses 4% de taxa de gerenciamento cobrado das empresas de ônibus cheira a trambique e dos grandes ! A foto desta reportagem não confere com a empresa LIDER. Pelo que sei quem usa a cor cor amarela em MANAUS é a GLOBAL GREEN que tem o código 07 no início dos prefixos de todos os ônibus (lá usam-se 7 digitos no prefixo) A não ser que a LÍDER use um outro tipo de amarelo que no caso da postagem desta matéria ficou similar ao da GLOBAL.

  6. O banco q ja financiou ônibus para Baltazar gerou problemas em Manaus e a culpa é do Baltazar?????? kkkkk
    Se o raciocinio é esse vamos la: O Baltazar compra diesel da Petrobras, então a plataforma q afundou anos atrás a culpa foi dele também!!!! kkkkkkkkkkkkkkk
    Se vc financiou alguma vez um carro na BV por exemplo, e ela estivesse com problemas na justiça (hipoteticamente), o titulo da matéria seria: BANCO BV, O MESMO QUE FINANCIOU CARRO DE ADAMO, ESTÁ COM PROBLEMA NA JUSTIÇA!!! kkkkkkkkkkkk
    Parabéns pela matéria!!!

    • Roberto Mancini, acredito que o senhor teve dificuldades na leitura e interpretação do texto.

      Eu gostaria que o senhor, por gentileza, apontasse a parte da matéria que atribui “culpa do Baltazar” – como dizem as suas próprias palavras, ao imbróglio em Manaus. Eu mesmo que escrevi não achei.

      O fato de uma matéria relembrar episódios de personagens ou instituições em diferentes casos é comum na imprensa e chega a ser uma utilidade pública, esclarecendo e mostrando os fatos e suspeitas que possam incidir sobre tais entes de personalidades físicas e jurídicas, desde que o contraditório seja apresentado, como o foi no presente texto.

      No mais, agradeço o acesso ao Blog e recomendo que o senhor faça uma releitura com atenção a este ou demais textos que futuramente o senhor tiver acesso neste ou em outros espaços.

      Cordialmente,

      • Roberto Mancini // 12 de Fevereiro de 2014 às 17:41 //

        Só não entendo o motivo de citar o nome de um cliente do Banco no titulo e no corpo do texto. Ou cita todos os clientes ou não cita ninguém.

      • Porque o cliente é do setor de setor de transportes, do qual o Caruana teve outra notícia gerada em outra região. Assim, pode ser usada a citação.
        Agora, convenhamos, citar todos os clientes de um banco não ficaria um título meio grande, Mancini?

  7. Hamilton Karlay Amaral // 25 de novembro de 2014 às 15:23 // Responder

    Esse banco pra mim é um fantasma!
    não tem telefone e nem escritório aqui em Manaus.

  8. Apenas uma correção. Na legenda da foto acima diz que a garagem é da empresa “Auto Ônibus Líder”, mas que na verdade é da empresa GLOBAL CREEN
    (Antiga Vitoria Regia)
    ótima Materia!!!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: