Justiça determina repasses imediatos para integrações na Região Metropolitana de Curitiba

Publicado em: 17 de janeiro de 2014

ônibus

Ônibus da Região Metropolitana de Curitiba. Justiça determina repasse imediato de verbas atrasadas para parte do custeio das integrações nas linhas intermunicipais e equilíbrio econômico do sistema de transportes. Governo do Estado nega atraso.

Justiça determina que Urbs volte a pagar subsídios imediatamente
Empresas estão sem receber dois repasses para custeio de parte das integrações e para equilíbrio financeiro do sistema. Governo do Estado nega atraso
ADAMO BAZANI – CBN
O juiz Roger Vinicius Pires de Camargo Oliveira, da 3ª Vara da Fazenda Pública, Falências e Recuperação Judicial de Curitiba determinou que a Urbs – Urbanização de Curitiba S.A., empresa gerenciadora dos transportes, realize imediatamente os repasses financeiros estipulados em contrato às empresas de ônibus que ligam a capital paranaense às cidades da região metropolitana.
Os subsídios auxiliam no custeio das integrações. É possível usar quantos ônibus forem necessários independentemente do tempo de viagem por R$ 2,70, desde que as conexões sejam feitas nas estações-tubo e nos terminais.
As verbas também auxiliam o equilíbrio econômico do sistema.
O último repasse que deveria ter sido feito na quarta-feira, dia 15 de janeiro, foi suspenso pela Prefeitura de Curitiba.
Mas já são dois meses que as empresas não recebem os recursos: dezembro e janeiro, acumulando R$ 10 milhões aproximadamente.
A prefeitura alega que não realizou os repasses porque não recebeu as verbas previstas do Governo do Estado do Paraná. O Estado nega dever ao poder público municipal.
De acordo com a Urbs, um contrato firmado em maio de 2013, válido até fevereiro deste ano, estipula que a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba – Comec, órgão do Governo do Estado, deva repassar até o dia 10 de cada mês R$ 5 milhões para a prefeitura subsidiar o sistema e as integrações nas linhas que servem a capital e as cidades vizinhas.
A RIT, mesmo sendo uma rede intermunicipal, é gerenciada pela prefeitura de Curitiba através da Urbs desde 1996.
Já o Governo do Estado apresenta versão diferente. Segundo a Comec, os repasses para a Urbs devem ser feitos até o dia 20 de cada mês, sendo referentes ao mês anterior.
Assim, segundo a autarquia estadual, no dia 20 de dezembro foi depositado o repasse referente a novembro e até 20 de janeiro será feito o depósito referente a dezembro.
A determinação pela Justiça do pagamento dos repasses atende pedido do Setransp , o sindicato que representa as empresas de ônibus de Curitiba e Região.
De acordo com a entidade patronal, havia risco de paralisação dos serviços na segunda-feira quando as empresas vão ter de pagar o adiantamento de salários de motoristas e cobradores . As viações alegam falta de recursos.
Os subsídios representam 6% dos custos do sistema.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Comentários

  1. James disse:

    Exemplo…

    Enviado via iPad

    >

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Mandar pagar e facil.

    Ate eu que sou mais bobinho mando.

    Quero ver e gerir corretamente e de fato ter o dinheiro em caixa para fazer o pagamento.

    Galera facam forca ai que eu gemo.

    Bele ?

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta