MP vai questionar aumento do IPTU para manter tarifa de ônibus

ônibus

Ônibus urbano em São Paulo. Ministério Público quer explicações da prefeitura da capital paulista sobre uso do aumento do IPTU para manutenção das tarifas de ônibus a R$ 3. Foto: Adamo Bazani.

MP vai questionar aumento do IPTU para manutenção de tarifa de ônibus a R$ 3
Promotor quer detalhes sobre os valores que serão aplicados em subsídios e as previsões de próximos aumentos
ADAMO BAZANI – CBN
O Ministério Público de São Paulo quer explicações da prefeitura da capital paulista sobre o uso de recursos do IPTU provenientes do aumento do imposto para subsidiar as empresas de ônibus e as cooperativas de transportes e manter as passagens a R$3.
Após segurar as tarifas para contribuir com a equipe econômica do Governo Federal que temia perder o controle da inflação, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, segurou o valor a R$ 3 e no meio do ano aplicou aumento que elevou as passagens para R$ 3,20. Mas depois dos protestos de rua em junho, Haddad reduziu os vinte centavos, mas já declarou que os recursos para cobrir essa diferença deveriam vir de outras fontes.
Para manter o valor a R$ 3 em 2014, Haddad enviou à Câmara Municipal proposta de orçamento, na qual são previstos subsídios de R$ 1,65 bilhão aos operadores de transportes.
Uma das fontes é o aumento do IPTU, entre 20% e 30% para 1,3 milhão de imóveis.
O promotor de Habitação e Urbanismo, do Ministério Público de São Paulo, Maurício Ribeiro Lopes, declarou nesta segunda-feira que vai enviar à prefeitura um ofício para esclarecer qual a parcela do IPTU será usada para os subsídios e como será a política de reajustes do imposto nos próximos anos.
“Eu não sou contra se fazer com que propriedades valiosas em São Paulo paguem IPTU maior. O que eu acho é que desovar a responsabilidade nos proprietários de imóveis, quando o problema é criado pelos automóveis, é injusto”, disse o promotor na sede do MP em São Paulo.
IPTU ESTAVA CONGELADO:
Por lei, a prefeitura deve revisar periodicamente a Planta Genérica de Valores Imobiliários da Cidade. São estes valores que determinam quanto será o IPTU.
Esta Planta, porém, estava sem revisão desde 2009. Desde esta época, alguns imóveis tiveram valorização de 100% e a prefeitura, ao atualizar a planta, faz com que os ganhos conseguidos por esta valorização sejam revertidos em forma de contribuição para os cofres públicos.
O promotor se mostrou simpático com a proposta da municipalização da Cide – Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico, o imposto da gasolina e do álcool.
Com a municipalização de parte da Cide, os recursos obtidos pelo uso do automóvel particular seriam revertidos ao transporte coletivo. É uma forma de quem se desloca somente de carro, que proporcionalmente ocupa mais espaço urbano e polui mais que um passageiro de transporte público, contribua mais também para a mobilidade urbana.
Estudos mostram que dependo das alíquotas da Cide, o valor das passagens de ônibus hoje em R$ 3 poderia ser reduzido para R$ 1,80.

GESTORES PÚBLICOS SÃO OUVIDOS:

O promotor ouviu representantes da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos e da SPTrans – São Paulo Transportes para continuar o inquérito civil 362/13, aberto em junho. na ocasião das manifestações contra os valores das tarifas de ônibus.
O promotor exigiu mais transparência das empresas e gerenciadoras em relação aos balanços financeiros dos sistemas.
Além da divulgação de dados, o órgão exige clareza para que a população entenda os números.
À Agência Brasil, o Secretário Estadual dos Transportes, Jurandir Fernandes, apontou o crescimenrto no preço dos veículos de transportes coletivos ao mesmo tempo que a gasolina para os veículos particulares acabou ganhando incentivos indiretos.
O secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, ponderou que a tarifa reflete diversos componentes e que alguns não são observados no debate. Ele citou, por exemplo, o custo com os ônibus, que tiveram um aumento de 111% nos últimos dez anos. “Por outro lado, o preço da gasolina ficou achatado e isso incentiva outros modais”, apontou.
O promotor criticou as planilhas da SPTrans. Ele diz que não basta analisar o aumento das tarifas de ônibus apenas pela variação da inflação. Para Maurício Ribeiro Lopes, constantemente tem de ser avaliado o peso de cada item do custo dos transportes em determinados momentos.
Um dos exemplos são os salários. Apesar de a folha de pagamento ainda ser o item de maior custo, algumas funções nas empresas tiveram o número de pessoal reduzido, como a dos cobradores.
As renovações de frota também devem ser analisadas constantemente. Em alguns anos, as renovações são mais intensas que em outros. Assim, este ritmo tem de ser analisado.
O peso de cada item da tarifa, segundo ele, pode variar a cada ano.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes

1 comentário em MP vai questionar aumento do IPTU para manter tarifa de ônibus

  1. Amigos, boa noite.

    De pleno acordo com o MP.

    Bem imóvel não anda em ruas e avenidas e nem polui.

    Ponta do lápis no IPTU e até redução, pois é outro absurdo tarifário.

    Tem de economizar em reforma inútil de algo que nem praça é, isso sim.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: