Empresas de Ribeirão Preto serão investigadas pelo Ministério Público

ônibus

Ônibus em Ribeirão Preto. Empresas são acusadas de calote e de não cumprirem exigências dos contratos.

Ministério Público vai investigar “calote” de empresas de ônibus Ribeirão Preto
Companhias de ônibus são acusadas de não repassarem recursos para a prefeitura e não renovarem frotas e criarem linhas como prevê o contrato
ADAMO BAZANI – CBN
As empresas de ônibus que formam o Consórcio Pró-Urbano, em Ribeirão Preto, são acusadas de descumprirem diversos pontos do contrato de concessão de serviços firmado com a prefeitura por meio de licitação.
O Ministério Público Estadual vai apurar diversas denúncias feitas pela prefeitura, como o atraso de dois meses no pagamento da taxa de gerenciamento da empresa pública fiscalizadora, Transerp. A dívida chega a R$ 346,7 mil e a prefeitura chegou a cogitar em extingui-la para reduzir os valores das passagens municipais.
Além disso, as companhias são acusadas de não seguirem cronograma de renovação de frota, implantação de novas linhas de ônibus e de não terem concluído a construção do terminal de ônibus da Avenida Jerônimo Gonçalves, que deveria ser entregue em 29 de maio.
O Consórcio se defende dizendo que em 2013, até agora, a demanda de passageiros caiu 3,3%, prejudicando as finanças da empresa. Antes da reformulação dos transportes, segundo o Pró-Urbano, a demanda de passageiros mensal em média era de 3 milhões 718 mil passageiros. Agora a média é de R$ 3 milhões 73 mil usuários por mês.
De acordo ainda com o Consórcio, foram colocados 19 ônibus a mais nas ruas, num total de 347 veículos, que representaram investimentos de R$ 6milhões e comprometimento de 6% das receitas mensais.
O Consórcio recorreu à Justiça para alterar o contrato e aumentar o valor da tarifa, hoje em R$ 2,80. Na primeira instância, o pedido foi negado, agora o processo está no Tribunal de Justiça.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

2 comentários em Empresas de Ribeirão Preto serão investigadas pelo Ministério Público

  1. Amigos, boa noite

    Sinceramente eu estou em dúvida:

    Transporte coletivo no Brasil será circo ou hospício ?

    Bobinho eu sou né.

    Esperteza mesmo, palhaço (com todo respeito ao profissionais de circo) só os passageiros
    mesmo.

    Att,

    Paulo Gil

  2. O que a Pró-Urbano vem fazendo em Ribeirão Preto é ridículo! Como podem dizer que o preço “ideal” para não terem prejuízos seja de R$ 3,40 sendo que não existe nenhuma estrutura construída? Absurdo!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: